Início » Web » Ghost é um concorrente do WordPress para publicar conteúdo na web

Ghost é um concorrente do WordPress para publicar conteúdo na web

Por
1 ano atrás

O WordPress é a plataforma dominante para publicar conteúdo na web, presente em 28% dos dez milhões de sites mais visitados, incluindo o Tecnoblog. Mas existe uma alternativa que vem correndo por fora há anos, usada em blogs oficiais da Mozilla, Tinder, Square e OpenAI — e ela finalmente chegou à versão 1.0.

O Ghost permite criar um blog rapidamente, mesmo para quem tem pouco conhecimento técnico. Eu experimentei o serviço e, em questão de minutos, já tinha me inscrito, confirmado meu e-mail e criado um post.

A barra de formatação fica na parte inferior, mas você não precisa usá-la se manjar de Markdown. Trata-se de uma linguagem de marcação que usa alguns caracteres especiais ao redor das palavras. Por exemplo, asteriscos para *itálico*, asteriscos duplos para **negrito**, hashtag para #subtítulo, e assim vai.

Eu peguei este texto sobre Sonic Mania — com bastante mídia e diferentes formatações — para colocar no Ghost. Fiz tudo bastante rápido; me deparei com um problema ao incorporar os vídeos (o código do YouTube estava envolto por um <div> e não funcionava), mas foi fácil resolver. Um recurso bacana é que várias pessoas podem editar um post ao mesmo tempo.

O Ghost também está trabalhando em um novo editor, chamado Koenig, que é mais próximo do Medium; ele será lançado nos próximos meses:

É possível inserir comentários do Disqus (não há um sistema nativo como no Medium); importar posts de plataformas como Tumblr, WordPress e Blogspot; e personalizar o tema do blog; entre outros. Mas ainda faltam recursos avançados, como plugins para expandir as funcionalidades; por enquanto, só existe integração com o Google AMP, Slack e Unsplash.

O Ghost começou como um projeto do Kickstarter em 2013, e tem código aberto. Você pode baixá-lo gratuitamente para hospedar no seu site, ou pagar a partir de US$ 19 mensais para usar a hospedagem do Ghost(Pro) — os primeiros 14 dias são gratuitos.

Com informações: TechCrunch.

Mais sobre: ,