Início » Mobile » Uma olhada de perto no Quantum Sky e no Quantum V

Uma olhada de perto no Quantum Sky e no Quantum V

Os dois aparelhos são as novas opções da Quantum para quem está disposto a pagar um pouco mais; o modelo V chama atenção por ter projetor embutido

Por
1 ano atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora
Quantum Sky

A curitibana Quantum trabalha, prioritariamente, com smartphones acessíveis, como o Quantum Go 2 e o Quantum Muv Up, para citar os modelos mais recentes. Mas a companhia vem, aos poucos, aumentando as suas incursões em segmentos um pouco mais ousados. É o que a levou a lançar o Quantum Sky, modelo que vem para ser o topo de linha da marca.

De quebra, a empresa também anunciou o Quantum V, smartphone que traz uma funcionalidade peculiar: um projetor a laser que gera imagens com tamanho equivalente ao de uma tela de 80 polegadas. Não é o primeiro aparelho a ter uma função como essa, mas não deixa de ser uma ideia surpreendente.

Intermediário premium com ar de topo de linha

No portfólio da marca não existe nenhum smartphone tecnicamente superior ao Quantum Sky, razão pela qual podemos considerar o modelo o topo de linha da marca. Mas só da marca, pois, no mercado, o Quantum Sky está mais para um intermediário premium. Ou algo assim.

Quantum Sky

As especificações incluem tela IPS de 5,5 polegadas com resolução full HD (401 ppi), processador octa-core MediaTek Helio P10 (MT6755) de 2 GHz, GPU Mali-T860MP2 de 700 MHz, 4 GB de RAM, 64 GB para armazenamento interno de dados (54 GB livres para o usuário) e bateria de 4.010 mAh com suporte a recarga rápida.

É um conjunto que, no meu primeiro teste, teve desempenho consistente nas tarefas mais comuns — navegador, YouTube, fotos, enfim. No review é que vamos saber como o Quantum Sky se sai no dia a dia, mas uma coisa é perceptível já nos primeiros minutos: o modelo vem com o Android 7.0 Nougat (com promessa de atualização para o Android 8.0 Oreo) e uma interface pouco modificada que, como tal, ajuda o aparelho a se comportar de maneira estável.

Quantum Sky

A Quantum afirma que, para chegar às especificações do Sky, fez uma pesquisa de mercado. A empresa afirma que descobriu, por exemplo, que os usuários brasileiros anseiam mais por baterias de longa duração e que telas grandes são cada vez mais interessantes por aqui.

Mas, aparentemente, essa pesquisa não levou em conta que a maioria das pessoas não gosta de uma gaveta de chips do tipo “ou”: no Quantum Sky, você instala dois SIM cards (um é micro e ou outro é nano) ou um SIM card e um microSD (de até 256 GB). Não dá para ter os três.

Quantum Sky

Essa pesquisa também serviu de base para as câmeras: a traseira tem sensor de 13 megapixels; a frontal, de 16 megapixels. O brasileiro gosta muito de selfies, daí uma atenção maior à câmera frontal. É o que a companhia dá a entender. Os números são bons, mas a abertura das duas câmeras é f/2,0. Vamos ver como ambas se saem nos testes (as câmeras do Quantum Fly, modelo do ano passado, não impressionaram).

Alumínio “aeronáutico”

Se você gosta de celular todo preto, precisa saber desde já que só a frente do Quantum Sky vem nessa cor: a traseira, não removível, é prata ou dourada (nessa versão, a frente é branca). Não há outras opções de cores.

Quantum Sky

Mas a Quantum faz questão de ressaltar que a traseira é feita de uma liga de alumínio usada pela indústria aeronáutica, material que traz leveza e resistência ao mesmo tempo. De fato, o dispositivo parece mesmo ser bem resistente.

A textura da traseira é fosca, portanto, é difícil deixar marcas de dedos ali. Eu fiquei preocupado com uma possível facilidade de o smartphone escorregar das mãos, mas a curvatura das laterais dá uma boa ajuda na pegada.

Quantum Sky

É claro que o alumínio também deixa o dispositivo mais bonito. Mas, no quesito estética, o Quantum Sky me causou uma mistura de sensações. Observando de frente, ele me lembrou um aparelho da Samsung, principalmente por causa do formato do leitor de impressões. Mas, no toque, o leitor lembra mais um smartphone atual da Motorola.

Quantum Sky

Uma coisa é certa: fonte de inspiração não faltou aqui.

Quantum V: parece uma lanterna, mas é um projetor

Havia alguns indícios de que a Quantum iria anunciar mais de um smartphone nesta semana. O que ninguém esperava é que esse segundo modelo viesse com um projetor a laser. Essa é a principal característica do Quantum V. Mas quem precisa de um projetor?

Por causa do projetor, o Quantum V é um pouco mais grosso que a média: 10,3 mm

Por causa do projetor, o Quantum V é um pouco mais grosso que a média: 10,3 mm

A gente logo pensa em professores em aula ou profissionais que precisam de alguma praticidade em reuniões. Mas a Quantum vê mais potencial aí. Você pode usar o projetor para assistir a um filme da Netflix quando estiver em um hotel ou mostrar fotos do churrasco para os seus amigos, por exemplo.

Mesmo assim, é difícil não pensar que um produto como esse terá um público bem limitado. Mas o projetor realmente funciona. Ele fica na parte superior do aparelho e, desligado, faz a gente lembrar da lanternas que os celulares de anos atrás tinham.

Quantum V Quantum V

Como já dito, o projetor do Quantum V pode exibir imagens com tamanho de uma tela de até 80 polegadas (em uma distância de até dois metros). A resolução é HD, o contraste é de 5000:1 e o brilho é de 31 lúmens. Haverá um pequeno suporte para deixar o smartphone apoiado em uma superfície durante a projeção.

Para lidar com essa e as demais tarefas, o Quantum V tem alguns números parecidos com os do Quantum Sky: tela IPS full HD de 5,5 polegadas, processador octa-core MediaTek MT6750 de 1,5 GHz, 4 GB de RAM, 64 GB para armazenamento interno de dados, bateria de 4.000 mAh (que aguenta até quatros horas seguidas de projeção), câmera traseira de 13 megapixels, câmera frontal de 8 megapixels e leitor de impressões digitais, mas na traseira.

Quantum V

No evento de lançamento, a projeção me pareceu bastante decente: as cores estavam fortes, a resolução era suficiente para enxergar os detalhes e não havia atraso na exibição ou outros problemas parecidos. Mas convém fazer um teste mais demorado para dar um parecer sobre o projetor. Já pedimos uma unidade para análise.

Preços e disponibilidade

O Quantum V já está em pré-venda no site da Quantum, mas ele só chega em novembro. O preço de lançamento é de R$ 1.799. Pelo menos inicialmente, o modelo só estará disponível na cor azul.

Já o Quantum Sky foi lançado nesta quarta-feira (30) por R$ 1.349 reais. Por enquanto, só é possível comprá-lo no site da Quantum ou nos quiosques da empresa.

Será que vale a pena? Espere só mais um pouco para descobrir. Estamos com uma unidade do Quantum Sky para testes. O review sai nos próximos dias. Enquanto isso, deixe as suas dúvidas sobre o modelo aí nos comentários.