Nós precisamos conviver com o fato de que os dispositivos à nossa volta — como laptops, smartphones e smart TVs — têm falhas de segurança. No entanto, essa ameaça é mais perturbadora quando se trata de marca-passos instalados no coração; infelizmente, eles são relativamente fáceis de hackear.

O órgão americano FDA (equivalente à Anvisa) fez um recall voluntário dos marca-passos da Abbott, antes da St. Jude Medical. Eles precisam receber uma atualização de firmware para protegê-los contra vulnerabilidades.

É algo potencialmente perigoso: hackers podem drenar a bateria, modificar as configurações, ou mesmo alterar o nível de batimentos em que o dispositivo mantém o coração do paciente.

Foto por U. Leone/Pixabay

A Abbott, que adquiriu a St. Jude Medical em 2016, explica em uma carta enviada a médicos que a atualização não pode ser aplicada à distância. Ela requer cerca de três minutos na presença do paciente para ser baixada e instalada pelo marca-passo.

A FDA estima que 465 mil marca-passos serão afetados pelo recall nos EUA, incluindo os modelos Accent, Anthem, Accent MRI, Accent ST, Assurance e Allure. Dispositivos fabricados a partir de 28 de agosto não têm mais a falha de segurança.

Um marca-passo, também conhecido como cardioversor desfibrilador implantável (CDI), aplica choques elétricos no seu coração se ele estiver batendo muito rápido, muito devagar, ou se estiver em arritmia. Ele também coleta dados sobre sua atividade cardíaca.

No ano passado, pesquisadores da Bélgica e Inglaterra conseguiram hackear dez modelos de marca-passo usando alguns componentes eletrônicos e uma antena de rádio. E em maio, a empresa de segurança WhiteScope descobriu 8 mil bugs em programadores de marca-passo — ferramenta para ajustar e monitorar o dispositivo — de quatro fabricantes diferentes.

Com informações: ZDNet, Motherboard.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Diogo Nusa
Leandro Nascimento foi inserido com sucesso na lista de boas vindas do capiroto! kkkk...
Caleb Enyawbruce
hmmm alguem errou a mão no humor por aqui
Leandro Nascimento
Que galera sem coração kkk
Ligeiro
Mas isso podemos dizer que é rastreável: sempre que algo tiver uma grande suspeita de ser um "vetor de ataque", saberemos que quem quer algo pior, principalmente para pessoas públicas (como presidentes ou artistas), usará este vetor. Por isso de alguma forma investigarão como - afinal, não é qualquer hacker que vai lá e mexe com marcapasso - além disto, precisa de uma distância suficiente para a ação.
Mario
Se o Maduro, ou qualquer outro ditador contrário aos EUA, tivessem marcapasso hoje eles estariam mortos.
Lucas Carvalho
O grau de feladaputagem de quem hackear um marcapasso é over 9000. (infelizmente existe gente que faria)