Início » Negócios » O MercadoLivre quer virar a Amazon do Brasil antes da Amazon

O MercadoLivre quer virar a Amazon do Brasil antes da Amazon

Parece estranho, mas as operações de varejo das duas empresas convergem para um ponto em comum

Paulo Higa Por

Ok, talvez o título soe estranho, mas é verdade. Pensa comigo: cerca de metade das vendas da Amazon não vêm da própria loja, mas do marketplace, no qual terceiros anunciam seus produtos na Amazon, que por sua vez ganha uma comissão. E, para permitir as entregas rápidas, os vendedores podem armazenar seus produtos diretamente nos centros de distribuição da Amazon.

Esse modelo é conhecido como fulfillment: em vez de deixar o processo de venda totalmente a cargo do vendedor, a Amazon assume a parte de logística, armazenando, empacotando e enviando os produtos aos clientes. E o MercadoLivre anunciou nesta semana que começou a fazer exatamente isso no Brasil.

O MercadoLivre está começando pequeno em comparação com a Amazon nos Estados Unidos: eles vão atender inicialmente apenas 130 dos maiores vendedores da loja. Os produtos ficarão armazenados em um centro de distribuição em Louveira (SP), e a empresa cuidará da logística no lugar do vendedor.

Ainda assim, o MercadoLivre afirma que pode “escalar rápido” a operação, e que enxerga “uma parcela importante da venda no futuro vindo desse negócio”. Além disso, diferente da Amazon, que cobra uma taxa de acordo com o tamanho do estoque e período do ano (o custo do espaço no final do ano é bem mais caro, por motivos óbvios), o MercadoLivre diz que, para ganhar escala, não vai cobrar dos vendedores.

As duas empresas gostam muito de amarelo, né? (A propósito, esse centro de distribuição é da Amazon.)

Isso é mais uma tentativa do MercadoLivre de crescer para desbancar as gigantes do e-commerce brasileiro, incluindo B2W (Submarino, Americanas e Shoptime), Cnova (Pontofrio e Casas Bahia) e Netshoes, que faturam mais, mas sangram dinheiro. A B2W teve prejuízo de cerca de R$ 3.000 por minuto em 2016 (!), enquanto o MercadoLivre lucrou US$ 136,3 milhões, considerando as operações nos 19 países em que atua.

É bem verdade que o MercadoLivre não tem produtos próprios como a Amazon (que vende de pilhas alcalinas a vinhos) e claramente precisa investir no suporte ao consumidor — quem já precisou de ajuda em ambas as lojas talvez entenda o que estou dizendo. Mas as operações no varejo das duas empresas parecem convergir para um ponto em comum; as receitas da Amazon com marketplace só crescem.

Enquanto isso, a Amazon restringe sua operação brasileira a livros, e-books e Kindles. O Brasil é o único país em que a empresa de Jeff Bezos não possui um varejo mais completo, mesmo depois de cinco anos de operação no país: ela entrou aqui de forma tímida em 2012 e pouquíssimas novidades vieram desde então, como a venda de livros usados por marketplace.

A promessa da Amazon brasileira, agora, é vender produtos do setor de eletrônicos, informática, telefonia e moda, mas trabalhando apenas com o modelo de marketplace, intermediando vendas de outras pessoas. Espera: será que outra empresa já não faz isso aqui no Brasil há quase 20 anos?

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Angelita Santos

Oi eu comprei na Amazon e paguei, mas meu pedido nunca chegou, tento contato mas sem retorno, acho um descaso com os clientes.

stive

E agora que o Mercadolivre mudou regras, deixou agressivas em 27/03/2019. Vendedores pequenos e bons estão com reputação vermelha ou amarela. Só loja oficial que vende. Eu vendia uns 30 produtos por mes e agora so vendo uns 3. E muitas vezes os Correios ta sem sistema e nao da pra cumprir esse prazo de postagem em 24hs. E eles diminuem a reputação do vendedor. A Amazon chegou ai forte, tem promoções, vale a pena testar pra comprar e também vender.

celso f
Comprei 5 camisetas no ML não vieram na cor que escolhi devolvi as camisetas exigi do vendedor que mandasse na cor que escolhi o vendedor não respondeu, não devolveu as camisetas ,não devolveu o dinheiro e o ML não meu deu a menor atenção nunca mais comprei no ML.
Leandro Israel
Boa observação! Moro na região norte, se aparecer uma empresa que ofereça para as regiões norte e nordeste (e talvez até o centro-oeste) os mesmos benefícios e promoções que são sempre oferecidos para o sudeste esta empresa cresceria bastante e poderia até ser uma boa concorrente!
YorkshireTea
E a loja da Amazon não deve demorar. Eles já devem estar em plena atividade de preparação (há alguns meses, houve uma seleção de tradutores para um projeto que envolvia a tradução da descrição de produtos da Amazon).
YorkshireTea
Por falar em Amazon, ela provavelmente vai começar a vender o Fire TV aqui no Brasil em breve. Após a atualização do software, foram adicionados vários idiomas, inclusive o português do Brasil. https://i2.wp.com/www.aftvnews.com/wp-content/uploads/2017/09/Update-5.2.6.0-New-Languages-2.jpg?resize=768%2C432&quality=100 Fonte: http://www.aftvnews.com/amazon-is-likely-making-the-fire-tv-available-globally-very-soon/
Johnny Walker

Será que é medo da Amazon tomar o lugar deles?
Têm de correr atrás mesmo, pois em alguns momentos tive vários problemas com o mercado livre. Eu sei que melhorou, mas ainda está longe do ideal.

Johnny Walker Junior
Será que é medo da Amazon tomar o lugar deles? Têm de correr atrás mesmo, pois em alguns momentos tive vários problemas com o mercado livre. Eu sei que melhorou, mas ainda está longe do ideal.
Johnny Walker

Cara, comprei diversos tipos de mercadorias de material elétrico no mercado livre e tive frete grátis e dividi as compras ainda.
Então isto é relativo.

Johnny Walker Junior
Cara, comprei diversos tipos de mercadorias de material elétrico no mercado livre e tive frete grátis e dividi as compras ainda. Então isto é relativo.
SenHor
"[...] sempre filmo meus unboxing justamente para previnir esse tipo de coisa [...]" - ah, um irmão de nóia!
Hector Bonilla

Concordo. Porém tive excelente suporte da Amazon também; Nada a reclamar.

Digo Meister
Concordo. Porém tive excelente suporte da Amazon também; Nada a reclamar.
Guilherme Borges Cunha
Essa é uma novidade muito interessante, mas estou bastante. Obviamente quando chegar ao Brasil a Amazon tentará replicar sua extremamente eficiente logística que possui nos EUA, mas tanto a Amazon como o Mercado Livre devem quebrar a cara ao terem que lidar com as deficiências em infraestrutura que o Brasil sofre e o governo provavelmente não irá resolver.
Tohn Lenon
Mercado livre é ótimo, a concorrência lá entre vendedores o torna cada vez mais eficiente e confiável. Já comprei quase uma centena de produtos . Única coisa que está estragando realmente é o frete do Correio, mas mesmo assim parece que estão inventando outro tipo de entrega, minha última entrega não foi pelo correio e sim um sistema, não sei se do vendedor ou do mercado, ficou bem mais barato.
Exibir mais comentários