Início » Mobile » Será que o Essential Phone é tão resistente assim? (não)

Será que o Essential Phone é tão resistente assim? (não)

Smartphone de Andy Rubin tem moldura de titânio e traseira de cerâmica

Por
12/09/2017 às 12h04
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Além de suportar módulos, ter um corte peculiar na tela e ser criado pelo pai do Android, o Essential Phone possui uma característica que passou despercebida por alguns: um design com traseira de cerâmica e moldura de titânio.

Diz a Essential que o titânio é o “material perfeito” para criar “uma das coisas mais essenciais das nossas vidas, uma que todos nós derrubamos às vezes”, já que ele não arranha nem dobra, diferente do alumínio. Então, JerryRigEverything resolveu botar o aparelho à prova.

Como nota o SlashGear, Zack Nelson raramente faz testes de queda (ele é mais conhecido por dobrar os aparelhos e acender um isqueiro embaixo deles). Mas, como o Essential Phone possui materiais diferentes e um apelo de resistência, vamos ver como o smartphone se saiu (cenas fortes a seguir):

O resultado é que, se você deixar o Essential Phone cair com a traseira para baixo, não há muito com o que se preocupar: a cerâmica sobreviveu intacta depois de várias quedas. No entanto, o vidro da tela continua sendo… vidro. E o display logo ficou cheio de trincos nos primeiros testes, chegando a apresentar alguns buracos depois de outros “acidentes”, até falhar completamente.

O ponto fraco das telas de vidro normalmente fica nas extremidades — se a moldura de titânio pressionar os cantos do display durante uma queda, por exemplo, você ganhará alguns trincos. Por isso, o Essential Phone tem uma faixa de plástico em torno da tela para tentar absorver o impacto, mas parece que isso não é suficiente.

A recomendação, portanto, continua sendo a mesma de qualquer outro smartphone de plástico ou alumínio: se você é desastrado, coloque uma capinha.

  • leoleonardo85

    Eu vi esse vídeo ontem (por algum motivo gosto muito de ver Drop test) e a saída que vi foi colocar cerâmica no celular todo, a traseira terminou o teste 100%. ehehehe

    • Ou moldura de titânio + traseira de cerâmica + tela de safira. Já que vamos ter smartphones de 1.200 dólares, dá pra chutar o pau da barraca logo.

      • Essa seria a versão Force dos celulares de 1200 dólares. Custariam uns 2000.

      • Safira é mais resistente a riscos que vidro por ser mais dura (e menos flexível)… Quebrar ela quebra mais fácil 9pelos mesmos motivos).

  • Renan Maia Fernandes

    Ele sonorizou o que acontece toda vez que deixamos nossos aparelhos caírem, olhar em câmera lenta e Sadness and Sorrow.

  • Wesley Cruz

    Rapaz…Essa cerâmica surpreendeu em? Quanto a tela, já era esperado. Mas fiquei de cara com a traseira de cerâmica, ainda mais por eu ter um relógio que o corpo é feito de cerâmica, mas não resistiu a uma queda de cima do criado-mudo. :/

  • Marcus Araújo

    Ué, o teste confirmou o que a empresa disse: a traseira não entorta nem risca. Algum resultado diferente disso foi demonstrado no vídeo?

    Eu acho que esse tipo de crítica nos remete muito às primeiras telas com Gorilla Glass: a empresa dizia que era resistente a arranhões e o “mundo tech” entendeu que era resistente também a quedas, criticando bastante quando um aparelho com Gorilla Glass quebrava a tela.

    Ou seja, vejo isso como uma crítica completamente sem fundamento.

    • Renan

      O que eles anunciam no site é que o celular é tão resistente que dispensa capinhas. Isso não é verdade para impactos na parte de vidro.

      “There’s a reason titanium is used to build rockets and replace bones. Unlike aluminum, which is what most phones are made of, titanium doesn’t scratch, dent, or bend.* That’s why you won’t find an area for phone cases on our site.”

      • Marcus Araújo

        Dispensaram a capinha, não a película.

        Ainda acho que estão criticando por não cumprir o que não prometeram.

        • Abraão Caldas

          A película não absorve impactos “de dentro”

          • Marcus Araújo

            Mas se estamos (ou melhor, se estão, porque não me incluo nesse grupo) falando de tela mais resistente ou menos resistente, recomendação de não utilizar uma película faria sentido no contexto, até porque há capinhas puramente estéticas, extremamente finas, e há capinhas que ao menos dizem ser anti-impacto. Digo por mim que nunca usei capinha pensando que a tela estaria preservada (até porque já quebrei tela usando capinha), mas sim para preservar o aparelho de arranhões e sujeira.

            E bem, só para esclarecer o que eu coloquei aqui: a empresa não falou em aumento de resistência da tela em lugar algum, e ninguém aqui colocou uma fala em que a empresa tenha mencionado este ponto. Falou-se em traseira resistente a riscos e que não entorta, bem como da desnecessidade de utilizar de uma capinha. Isto foi o que disseram.

            Pessoal faz muito esforço desnecessário para enxergar algo nas entrelinhas que simplesmente não existe. Dispensar capinha nunca será o mesmo que dizer que a tela é mais resistente. As pessoas que pelo visto estão escolhendo entender isso porque querem acreditar que houve uma menção implícita à tela ali (e criticam a empresa simplesmente porque não querem reconhecer que tiveram um entendimento equivocado). E de fato, uma traseira que não entorna e não risca é uma traseira mais resistente, o que torna o conjunto aparelho em si mais resistente. Isto não é o mesmo que dizer que a tela é mais resistente.

  • Nicolas Gleiser

    Gosto do titulo !clickbait
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    // na maioria das linguagens de programação o ! antes de algo é a negação dele

  • Richardson

    Curioso aguardando daqui a 1 ano o que vão falar sobre as tais telas de “vidro”, sem borda, tela infinita e outras coisas que fogem à realidade/NECESSIDADE de se utilizar capinhas.