Início » Carros » Google e Intel se unem para criar carros que dirigem totalmente sem motorista

Google e Intel se unem para criar carros que dirigem totalmente sem motorista

Por
40 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Diversas grandes empresas seguem investindo pesado em carros autônomos, e o Google é uma das mais proeminentes. Ela reforçou uma parceria com a Intel para criar veículos de nível 4 e 5 — isto é, que podem dirigir sem intervenção humana.

Intel e Google vêm secretamente trabalhando juntas em carros autônomos desde 2009. Os veículos usam processadores Xeon, soluções de Gigabit Ethernet (para os componentes se comunicarem entre si) e FPGAs Arria (para visão computacional).

Agora, elas estão reforçando a parceria. A Intel acredita que pode fornecer o poder de processamento necessário para criar veículos autônomos de níveis 4 (autonomia alta) e 5 (autonomia completa) — ou seja, que dispensam um motorista ao volante. Veículos da Tesla com Autopilot, por exemplo, estão entre os níveis 2 e 3.

A escala usada aqui foi criada pela SAE International, e varia de 0 a 5:

  • nível 0: sem autonomia;
  • nível 1: autonomia auxiliar, em que um humano dirige mas recebe ajuda em uma função (desacelerar ao ver um obstáculo, por exemplo)
  • nível 2: autonomia parcial, com sistemas para guiar o veículo e também para acelerar/desacelerar;
  • nível 3: autonomia condicional, em que o veículo pode dirigir sozinho, mas requer que um humano esteja sempre pronto para assumir o comando
  • nível 4: autonomia alta, em que o veículo pode dirigir sozinho mesmo se o humano não responder a alertas para assumir o comando;
  • nível 5: autonomia completa, dispensando a necessidade de um motorista.

Como nota o Ars Technica, a Intel investiu pesado para estar presente em veículos autônomos. Ela tem parcerias com a Ford, BMW e Fiat Chrysler; e comprou a israelense Mobileye por US$ 15,3 bilhões, que produz sistemas de visão para carros.

Além disso, a Intel anunciou que planeja criar uma frota de veículos de nível 4 para testes nos EUA, Israel e Europa. Os primeiros veículos vão cair na estrada ainda este ano, e a frota terá mais de 100 carros.

“Dado o ritmo em que a condução autônoma está ganhando vida, espero que os filhos de meus filhos nunca tenham que dirigir um carro”, diz o CEO da Intel, Brian Krzanich, em comunicado.

Poucas empresas estão embarcando sozinhas na missão de criar veículos totalmente autônomos, e as concorrentes da Intel também estão de olho nesse mercado. A Nvidia tem a plataforma Drive PX para veículos autônomos, e fez parcerias com Volvo, Audi, Bosch e outras.

O objetivo é reduzir congestionamentos, com veículos que se comunicam entre si; e aumentar a segurança no trânsito. “Quase 1,3 milhão de pessoas morrem em estradas no mundo todo ano, uma média de 3.877 mortes por dia”, lembra Krzanich. “A tecnologia de condução autônoma pode ajudar a evitar esses erros”.

Com informações: Ars Technica, The Verge.