Os recém-anunciados iPhone 8 e iPhone X trazem suporte a uma tecnologia que está disponível há algum tempo no mercado: recarregamento sem fio, por indução, no padrão Qi. É uma funcionalidade bem-vinda, mas que tem a inconveniência de exigir que o smartphone fique apoiado em uma base enquanto a recarga é feita. Um novo dispositivo chamado Pi promete eliminar essa limitação, porém.

Não é a primeira ideia do tipo. Meses atrás, os rumores já davam conta de que o iPhone 8 teria recarga por indução. Uma das tecnologias cogitadas para esse fim foi a WattUp, que tem a proposta de detectar dispositivos compatíveis que estão no mesmo ambiente, fazer sincronização com eles e então iniciar uma recarga à distância.

Pi - recarga sem fio

Talvez por limitações técnicas ou por questões de licenciamento, não rolou. A exemplo de outros smartphones topo de linha, os novos iPhones vieram com o padrão Qi, cuja primeira especificação surgiu em 2010.

O Pi, criado por uma startup de mesmo nome, usa indução ressonante, que é a mesma base tecnológica do Qi, mas com o diferencial de contar com um algoritmo de formação de feixes que promete direcionar campos magnéticos ao redor do dispositivo a ser recarregado.

Esse trabalho é feito por uma espécie de torre com formato de cone que deve ser posicionado em lugares estratégicos dentro do ambiente — no centro da mesa de uma sala de reuniões, por exemplo.

Com isso, o usuário pode fazer a recarga do seu smartphone (ou de outro gadget) simplesmente deixando o dispositivo perto do Pi (bem perto), não sendo necessário apoiá-lo em uma base especial. Dá até para continuar usando o aparelho enquanto a recarga é feita.

De acordo com John Macdonald, pesquisador do MIT que fundou a Pi junto com o colega Lixin Shi, até quatro dispositivos podem ser recarregados simultaneamente sem comprometimento da potência máxima de 10 watts (por aparelho), desde que fiquem em uma distância de até 30 centímetros do Pi.

Se mais dispositivos forem recarregados ao mesmo tempo, o desempenho cairá ligeiramente, o que pode ser solucionado com a adição de componentes que aumentam a capacidade. Os fundadores esperam que versões futuras da tecnologia possam suportar até recarga sem fio de laptops.

Pi - recarga sem fio

Teoricamente, qualquer dispositivo com tecnologia de recarga ressonante pode funcionar com o Pi. Smartphones que não suportam recarregamento sem fio poderão contar com uma capa especial para isso.

Há planos de licenciar a tecnologia para outras empresas, o que poderia permitir que o Pi seja incorporado a um alto-falante inteligente como o Amazon Echo, por exemplo.

Mas, inicialmente, o Pi será vendido como um produto único, que inclusive já pode ser reservado no site oficial. Os primeiros envios estão previstos para 2018. O preço ainda não foi definido, mas a promessa é a de que o produto custe menos de US$ 200. Os primeiros 314 compradores (entendeu o número, né?) terão US$ 50 de desconto.

Com informações: Engadget

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Eddy

"Os primeiros 314 compradores (entendeu o número, né?)"
Yep.

Felipe Silva

eu imagino fazer algo com formato de uma bacia, onde tu chega em casa e larga o celular dentro pra ele carregar.

da até pra pegar um desses Pi, uma bacia, abrir um buraco no fundo da bacia e colocar ele no meio!

Pra mim a grande vantagem do carregamento sem fio é evitar o problema do conector estragar e tu perder o celular.

Carlos Taylor

Isso é bom pois vai unir as pessoas que estão com celular. Chega de cada um ter que ta no canto diferente da casa por conta da falta tomadas.. Agora eu vou poder falar pra minha vó que a tecnologia faz a união!

Maico Andrade

Quem sabe daqui a 10 anos voltando aqui nessa sessão de comentários e rindo (ou não) de tudo isso. =p

John Smith

"desde que fiquem em uma distância de até 30 centímetros do Pi"

Dependendo da situação, a boa e velha conexão por fio permite muito mais "mobilidade" do que isso...

Roberto

Bacana isto... Não sei se a distancia é um problema, mas imagina isto levando energia para cameras IP, repetidores WIFI, caixas de som, lampadas, etc ?

Roberto

na verdade, 7...

Trovalds

Quem sabe daqui a uns 10 anos. Se realmente funcionar. Enquanto isso não acham alternativa pras baterias de Íons de Lítio e a tecnologia está no limite.

Paulo Mateus Guerra

Agora são 20 anos pra Apple colocar nos iPhones!

Rafael F. Silva

Tomara! Não aguento mais tanto fio em cima da minha mes.

Rafael F. Silva

Me pergunto como será a interação desse dispositivo com outros aparelhos eletrônicos sensíveis.

Sei que não deve ser nada similar, mas quem viu uma bobina de tesla perto de eletrônicos sabe o que a eletricidade por indução pode fazer.

Leo Martins

Daqui há uns dois anos vai ser padrão com certeza