Início » Comportamento » Getty Images proíbe fotos editadas para “emagrecer” modelos

Getty Images proíbe fotos editadas para “emagrecer” modelos

Por
1 ano atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Ainda que sem perceber, muitas mulheres se baseiam nos corpos perfeitos que aparecem na mídia para buscar padrões de beleza que, na verdade, só existem graças a ferramentas como o Photoshop. Nos casos mais dramáticos, a frustração com os resultados gera sérios problemas psicológicos. É por isso que a Getty Images tomou uma decisão drástica: não vai mais permitir em seu acervo fotos editadas para que a pessoa pareça ser mais magra.

Trata-se de uma decisão impactante porque a Getty Images é um dos maiores bancos de imagens do mundo. O acervo do serviço é usado em campanhas publicitárias, ilustrações de artigos, complementos de notícias e por aí vai. Uma simples busca ali com termos como “bikini” e “fashion model” vai mostrar, predominantemente, mulheres esbeltas e magras.

Porém, não são raros os casos em que a invejável cintura mostrada na foto só foi alcançada graças a um trabalho de edição de imagem. Embora essa prática seja antiga e relativamente bem conhecida, comparações acabam sendo inevitáveis: mesmo cuidando da alimentação e fazendo exercícios físicos, muitas mulheres não conseguem atingir aquele padrão e se frustram. Homens não estão livres disso, mas o problema é mais comum com elas.

Penelope Cruz

É por isso que a decisão da Getty Images chama tanta atenção: a partir de 1º de outubro, nenhuma foto com modelos que tiveram a silhueta diminuída ou aumentada com edição de imagem será aceita no catálogo do serviço.

A própria Getty destaca, no entanto, que a decisão foi tomada em respeito a uma nova lei francesa que proíbe esse tipo de imagem em aplicações comerciais, a não ser que exista um aviso de que houve manipulação via software para alterações no corpo da pessoa mostrada. A multa pelo descumprimento pode chegar a € 37.500.

De acordo com o governo francês, a nova lei visa prevenir a anorexia oriunda da promoção de ideais de beleza inacessíveis. Além da restrição nas imagens, modelos só poderão trabalhar no ramo da moda se tiverem um atestado médico comprovando boa saúde.

Embora a lei tenha validade na França, o comunicado da empresa dá a entender que a nova política terá aplicação global. Só que o efeito da regra é, até certo ponto, questionável. As silhuetas das pessoas não poderão ser retocadas, mas a Getty frisa que mudanças no cabelo, alterações na forma do nariz ou retirada de imperfeições na pele, por exemplo, continuam sendo permitidas.

Com informações: Engadget

Mais sobre: