Início » Carros » Nvidia Pegasus é um pequeno supercomputador para carros totalmente autônomos

Nvidia Pegasus é um pequeno supercomputador para carros totalmente autônomos

Por
40 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

A Nvidia conquistou um espaço respeitável em placas de vídeo e chips gráficos, mas perdeu o mercado dos smartphones. Por isso, ela aposta há anos no que pode ser a próxima grande plataforma: carros autônomos.

Desta vez, ela anunciou o Nvidia Drive PX Pegasus, um supercomputador compacto pensado para carros totalmente autônomos. Ele estará disponível no segundo semestre de 2018, ainda sem preço definido.

Ele é capaz de 320 trilhões de operações por segundo, um aumento de treze vezes em relação às gerações anteriores do Drive PX. Por dentro, temos dois processadores Xavier e dois chips gráficos de próxima geração.

Esse poder de computação é necessário devido ao volume de dados que um carro autônomo precisa processar. A Nvidia explica que alguns de seus clientes atuais usam até 16 câmeras e seis LIDARs (sensores para “ver” o mundo ao redor através de lasers), capturando tudo em 360 graus e em tempo real. Também por isso, o Pegasus atinge 1 TB/s em transferência de dados.

A Nvidia diz que essa tecnologia está pronta para carros com autonomia de nível 5, isto é, que podem dirigir sem intervenção humana. Por isso, a empresa imagina que o interior desses veículos será parecido com uma sala de estar ou um escritório, porque não terá volantes, pedais, espelhos ou bancos dianteiros.

Jensen Huang, CEO da Nvidia, apresenta o Pegasus

A escala de autonomia foi criada pela SAE International, e varia de 0 a 5:

  • nível 0: sem autonomia;
  • nível 1: autonomia auxiliar, em que um humano dirige mas recebe ajuda em uma função (desacelerar ao ver um obstáculo, por exemplo)
  • nível 2: autonomia parcial, com sistemas para guiar o veículo e também para acelerar/desacelerar;
  • nível 3: autonomia condicional, em que o veículo pode dirigir sozinho, mas requer que um humano esteja sempre pronto para assumir o comando
  • nível 4: autonomia alta, em que o veículo pode dirigir sozinho mesmo se o humano não responder a alertas para assumir o comando;
  • nível 5: autonomia completa, dispensando a necessidade de um motorista.

A plataforma Drive PX existe há três anos, e a Nvidia tem 225 parceiros automotivos, incluindo 25 que estão desenvolvendo táxis completamente autônomos.

Ela não está sozinha nesse setor. Recentemente, a Intel reforçou sua parceria com o Google para criar carros autônomos de nível 4 e 5; ela também tem acordos com a Ford, BMW e Fiat Chrysler.

Com informações: VentureBeat, ZDNet.