Início » Celular » iPhone X está tendo problemas de fabricação por causa do Face ID

iPhone X está tendo problemas de fabricação por causa do Face ID

Por
2 anos atrás

Um dos destaques do iPhone X — além do preço salgado — é o desbloqueio por reconhecimento facial 3D, chamado de Face ID. Pelo visto, essa tecnologia é tão complicada de produzir em massa que a Apple precisou fazer alguns ajustes.

Segundo a Bloomberg, a Apple reduziu as especificações para os componentes do Face ID, para que o iPhone X seja produzido mais rápido. A empresa nega.

O Face ID consiste em um projetor, que coloca 30 mil pontos invisíveis no seu rosto; e uma câmera infravermelho que captura a imagem, comparando-a com os dados salvos no aparelho.

O problema está no projetor: a Finisar não atendeu aos requisitos da Apple, enquanto Sharp e LG Innotek tiveram dificuldade em combinar o laser e a lente para fazer o componente — em determinado estágio, apenas 20% deles eram utilizáveis.

Por isso, diz a Bloomberg, a Apple permitiu que as fabricantes reduzissem a precisão do projetor, para que ele seja fabricado mais rapidamente. Isso parece ter ocorrido próximo ao anúncio oficial do iPhone X, em setembro. Ainda não sabemos, no entanto, como isso vai afetar a precisão do Face ID.

Em comunicado, a Apple nega que reduziu as especificações para os componentes do Face ID:

A qualidade e a precisão do Face ID não foram alteradas. A probabilidade continua a ser de 1 em 1.000.000 de uma pessoa aleatória desbloquear seu iPhone com o Face ID.

A afirmação da Bloomberg de que a Apple reduziu a especificação de precisão para o Face ID é completamente falsa, e esperamos que o Face ID seja o novo padrão-ouro para autenticação facial.

Há algumas semanas, o Wall Street Journal explicou que o sensor de reconhecimento facial no iPhone X é dividido em duas metades. O módulo “Romeo” projeta os pontos infravermelhos para mapear o rosto; e o módulo “Juliet” lê essa imagem. O Romeo aparentemente leva mais tempo para ser montado, criando um gargalo na fabricação.

Segundo o analista Ming-Chi Kuo, da KGI Securities, a Apple terá entre 2 e 3 milhões de unidades do iPhone X para seu lançamento, o que não deve ser suficiente para atender a demanda.

A Apple emitiu um comunicado à imprensa nesta terça-feira (25), dizendo que o iPhone X estará disponível em suas lojas físicas, mas recomenda que os clientes “cheguem cedo”. Ele chegará a 55 países e territórios em 3 de novembro, custando a partir de US$ 999.

Com informações: Bloomberg, The Verge. Atualizado às 15h52.