Você está trabalhando em um documento inofensivo no Google Docs quando, de repente, o arquivo é bloqueado por violar os termos de serviço. Poderia ser um caso (meio assustador) de análise em tempo real de tudo o que é escrito na plataforma, mas é apenas um bug do Google mesmo.

Usuários de todo o mundo reclamaram na tarde desta terça-feira (31) que foram impedidos de acessar seus próprios documentos no Google Docs com a mensagem de erro: “Desculpe-nos. Você não pode acessar este item porque ele está violando nossos Termos de Serviço”.

Boa parte dos relatos vem de jornalistas, sendo que os assuntos são os mais diversos possíveis: uma delas estava escrevendo uma história sobre crimes florestais; outro trabalhava em um artigo sobre partidos políticos pós-socialistas na Europa Ocidental.

No Brasil, o analista de comunicação Rafael Rigues conta ao Tecnoblog que escrevia um texto de duas páginas sobre o marketing de um produto — o documento estava compartilhado com um colega de trabalho. Repentinamente, o arquivo sumiu da pasta do colega e o Google sinalizou o documento como “abuso”. Ainda é possível acessar o texto, mas não compartilhá-lo.

O Google diz ao The Verge que “investiga relatos de um problema no Google Docs”.

Atualização em 01/11: o Google resolveu o problema, e enviou um comunicado à imprensa com mais detalhes; ele segue abaixo na íntegra.

Implementamos um código que marcava incorretamente uma pequena porcentagem de documentos no Google Docs como abusivos, fazendo-os serem bloqueados automaticamente. Já liberamos uma correção, e todos os usuários devem ter acesso total a seus documentos.

Proteger os usuários de vírus, malwares e outros conteúdos abusivos é fundamental para a segurança do usuário. Pedimos desculpas pela interrupção; vamos implementar processos para evitar que isso aconteça novamente.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

richardsonvix

Larguei o Google Docs há muito tempo quando perdi muitos documentos criados lá, não os avulsos que mantinha.
Fisicamente documentos criados na plataforma (arquivos no padrão deles) não são sincronizados, quer dizer, existe apenas um atalho para uma URL, esse assim é o arquivo físico, que num processo de movimentação de contas se tornou inválido. A vantagem é que os arquivos de atalhos são pequeno, bytes, não irão ocupar o espaço da sua conta, mas convenhamos que o tamanho de documentos normais não serão grandes a pontos de usuários comuns lotarem suas contas.

O arquivo físico não existe no sincronismo do Google Drive? Você não trás ele para a sua máquina via sync, como confiar numa plataforma assim, salvasse então em .docx, .xlsx e outros, assim como o Onedrive faz. Pior é que ainda induzem fazer essa mesma coisa quando subimos arquivos.

Richardson Dos Santos Neves
Larguei o Google Docs há muito tempo quando perdi muitos documentos criados lá, não os avulsos que mantinha. Fisicamente documentos criados na plataforma (arquivos no padrão deles) não são sincronizados, quer dizer, existe apenas um atalho para uma URL, esse assim é o arquivo físico, que num processo de movimentação de contas se tornou inválido. A vantagem é que os arquivos de atalhos são pequeno, bytes, não irão ocupar o espaço da sua conta, mas convenhamos que o tamanho de documentos normais não serão grandes a pontos de usuários comuns lotarem suas contas. O arquivo físico não existe no sincronismo do Google Drive? Você não trás ele para a sua máquina via sync, como confiar numa plataforma assim, salvasse então em .docx, .xlsx e outros, assim como o Onedrive faz. Pior é que ainda induzem fazer essa mesma coisa quando subimos arquivos.
Fabio Alvez
Viva o LibreOffice!! Livre, gratuito e offline! kkk
JN Marcos
Isso é algo bem real. Sempre deve-se ter uma cópia do arquivo localmente. Principalmente quando você tem apresentações de trabalho.
JN Marcos
O Word e o Word Online.
leoleonardo85
Fica a dica, não deixa nada importante só na Nuvem.
Marks Duarte

Ainda bem que existe o bom e velho Word.

Marks William
Ainda bem que existe o bom e velho Word.
Dayman Novaes
e olha que nem é sexta feira
Renan
Ainda bem que a Google não viola sua privacidade para aumentar os lucros
Leandro
deploy sem testes
Trovalds
"Testando em produção..."
Juan de Souza
Eita...