A HTC vem se esforçando em criar smartphones competitivos, para sair da sombra de concorrentes como Samsung e Apple. Desta vez, temos um aparelho com tela quase sem bordas, uma bateria grande e um design translúcido.

Antes de tudo, vale lembrar: o Google adquiriu parte da divisão de smartphones da HTC, contratando metade de seus 4 mil funcionários, mas a taiwanesa vai manter a marca e continuar desenvolvendo celulares de forma independente.

O HTC U11+ possui tela Super LCD de 6 polegadas com resolução Quad HD (2880 x 1440 pixels) e proporção 18:9. Graças às bordas pequenas, ele tem quase o mesmo tamanho do U11, lançado este ano com display de 5,5 polegadas.

Por dentro, as especificações são quase as mesmas: processador Snapdragon 835, combinações 4 GB/64 GB ou 6 GB/128 GB de RAM e armazenamento, e suporte a cartão microSD de até 2 TB.

A bateria agora tem 3.930 mAh, com suporte a carregamento rápido Quick Charge 3.0, e o corpo tem resistência IP68 à água e poeira. O leitor de digitais fica na parte traseira, abaixo da câmera de 12 megapixels com estabilização óptica de imagem; enquanto a câmera frontal tem 8 megapixels.

O U11+ não tem entrada de 3,5 mm, mas a HTC tenta compensar isso de várias formas. O aparelho vem acompanhado por um fone de ouvido USonic com cancelamento de ruído que se encaixa na porta USB Type-C. Além disso, ele tem suporte a tecnologias de áudio sem fio como Bluetooth 5, Qualcomm AptX HD e Sony LDAC. E mais: os alto-falantes frontais agora atingem um volume 30% maior.

Este smartphone já vem com Android 8.0 Oreo direto da caixa, personalizado com a HTC Sense. O U11+ possui três assistentes: Google Assistente, Amazon Alexa e HTC Sense Companion — este último analisa seu dia a dia e comportamento para oferecer sugestões, seja para chegar ao trabalho a tempo ou para carregar a bateria.

E temos aqui o Edge Sense, ativado ao pressionar as bordas do aparelho. Você pode configurar diversos atalhos ao apertar o U11+, como abrir apps, tirar fotos, ou acionar um novo menu radial com atalhos acessíveis com seu polegar.

O HTC U11+ estará disponível inicialmente na cor preta. A versão de 6 GB/128 GB custará € 799 (equivalente a R$ 3 mil). O aparelho será lançado na Europa, Ásia e outros continentes, mas não nos EUA. Como sempre, vale lembrar que a fabricante não tem representação oficial no Brasil.

Há também uma versão com traseira semitranslúcida, mas ela deve chegar ao mercado apenas em 2018.

Com informações: HTC, The Next Web, The Verge.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@Sckillfer

Estou falando de espaço... Telas OLED são (/podem ser) extremamente finas. De quebra gastam menos energia e tem melhor contraste (por não iluminarem a tela inteira, até onde é preto, como faz o LCD).

Sckillfer
Estou falando de espaço... Telas OLED são (/podem ser) extremamente finas. De quebra gastam menos energia e tem melhor contraste (por não iluminarem a tela inteira, até onde é preto, como faz o LCD).
rsacramento
Ok, obrigado
The Moon

P2 é entrada de fone de ouvido, Agora esse P3 eu não sei o que é talvez seja entrada de microfone

Hail Hidra
P2 é entrada de fone de ouvido, Agora esse P3 eu não sei o que é talvez seja entrada de microfone
rsacramento
o que é a entrada P2 e P3? (desculpem a ignorância)
rsacramento
OLED significa melhor qualidade face à iluminação do ecrã em ambientes exteriores? (ao sol, por ex)
@Sckillfer

Que tal ao invés de tirar a P3 pra "liberar espaço" (o U11 tem um oco no lugar da P3), usar uma tela OLED? https://uploads.disquscdn.c...

Sckillfer
Que tal ao invés de tirar a P3 pra "liberar espaço" (o U11 tem um oco no lugar da P3), usar uma tela OLED? https://uploads.disquscdn.com/images/3981a247afcac424788f67aad99001d5d3b2f6f9b9422d4ba6ec51aeb6a8beab.jpg
KARALBPIN
Quando vi pela primeira vez a ideia de bordas apertáveis acreditei que essas bordas substituiriam os botões físicos. Mas o telefone continua com os botões físicos para ligar e desligar o aparelho e para aumentar e diminuir o volume. Ou seja essas porcarias de bordas apertáveis não servem para nada.
Pedro do Caminhão
Belo aparelho!
Renan Araújo
Li, não lembro onde, que esse era o conceito original do Pixel 2 XL, mas a Google cancelou. Gostei mais do que esse da LG (Sem contar a qualidade da HTC -pelo que leio, nunca tive- em construir smartphone)
The Moon

Pelo menos alguém fez certo, Não entendo por que tiram a entrada P2 e mandam a porcaria de um adaptador

Hail Hidra
Pelo menos alguém fez certo, Não entendo por que tiram a entrada P2 e mandam a porcaria de um adaptador
Maicon Bruisma
Preço patamar de S8 e iPhone 8, mas oferecendo mais que o iPhone. HTC sempre lançou aparelhos na faixa da concorrência, e sempre apresentou qualidade acima da média, não é um aparelho que tu pega e já quer trocar, e isso é ótimo, ainda mais pq não é pela marca, mas sim pela qualidade. E o som ??
Exibir mais comentários