Início » Negócios » Como não ser enganado na Black Friday 2019

Como não ser enganado na Black Friday 2019

Veja 8 dicas do que fazer e não fazer para comprar mais barato e tirar o melhor dessa época de promoções

Jean Prado Por
2 anos atrás

Há alguns anos, uma das principais datas para o varejo brasileiro é a da Black Friday, quando diversas lojas oferecem grandes promoções reais em seus produtos... na maioria das vezes.

Já que estamos próximos da sexta-feira (29) que marca a data, por que não pensar em como se preparar para a Black Friday? Veja abaixo algumas dicas do que fazer (ou não) para realmente comprar mais barato e não passar apuros depois.

1. Evite estas lojas

A primeira dica é importantíssima: não comprar nas 307 lojas listadas pelo Procon-SP que tiveram reclamações registradas e não responderam (ou não foram encontradas), o que pode indicar farsa.

No post, listamos lojas que ainda estão em funcionamento. Entretanto, mesmo os que já saíram do ar podem voltar a qualquer momento, principalmente na época da Black Friday. A lista completa pode ser conferida no site do Procon-SP.

Para facilitar, use o comando CTRL+F na lista de não recomendados e digite o endereço da loja que você encontrou, para verificar se ela já recebeu um alerta vermelho do Procon-SP.

2. Desconfie de preços baixos ou de lojas desconhecidas

Parece besteira falar, mas é bom prestar atenção. Se a promoção estiver com um preço muito abaixo do normal, é bom desconfiar — seja por erro da loja ou má fé. Por exemplo, se um iPhone 11 de 64 GB, que tem preço sugerido de R$ 4.999, estiver por R$ 3.500, é bom redobrar a atenção (dificilmente você consegue comprar por esse preço até importando dos Estados Unidos).

Apple iPhone 11 - Review

Na dúvida, pode valer a pena ligar para o SAC da loja para confirmar o valor e tirar suas dúvidas. Se você não encontrar facilmente as informações de contato ou CNPJ da empresa já é outro motivo para ficar com pulga atrás da orelha.

3. Confira a reputação da loja

Por mais que seja importante evitar lojas desconhecidas, às vezes você nunca tinha visto a loja antes, mas ela age de boa fé. Ou mesmo as lojas conhecidas têm altos índices de reclamação e devem ser evitadas para menos dor de cabeça.

Dessa forma, outra dica importantíssima é checar a reputação da loja em sites como o ou Consumidor.gov.br. Basta digitar o nome do estabelecimento no campo de busca e pesquisar. É possível ver a porcentagem de solicitações atendidas, índice de solução, satisfação, prazo médio de resposta e diversas outras informações importantes.

4. Use o Assistente de Compras

O Assistente de Compras, extensão do Tecnoblog para Google Chrome, confere para você se o produto já ficou mais barato em outros períodos — útil para não pagar a metade do dobro. Ela também tem o módulo Testador de Cupons, que busca e aplica o maior desconto disponível na internet no seu carrinho de compras.

Entre outros recursos da extensão, você pode conferir:

  • Alerta de preços: quer comprar só quando o preço cair R$ 100? É só definir um valor e, caso o produto alcance esse preço, te avisamos que é hora de comprar;
  • Lista de ofertas: você consegue ver direto no site da loja quais as principais promoções ativas;
  • Comparação de preços: agora nosso gráfico também consegue mostrar a comparação de preço entre as lojas concorrentes.

5. Compare o preço do produto

É importante perceber que um bom desconto em uma loja talvez não signifique que o produto está mais barato do que em outros lugares. Por isso, visite diferentes sites e compare o preço dos itens para ver onde vale mais a pena comprar.

Dica: a extensão do Tecnoblog faz esse trabalho duro para você, use o comparador de preços. 😉

6. Confira as condições do direito de arrependimento

De acordo com o art. 49 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), o consumidor tem 7 dias corridos para se arrepender do que comprou pela internet ou por telefone, a partir da data de recebimento do produto. O valor do que foi pago na compra é devolvido integralmente.

No entanto, algumas lojas dificultam as condições de devolução; algumas especificam que o produto não pode nem ser aberto, por exemplo. Por isso, confira as condições que são dadas no direito de arrependimento para evitar dores de cabeça.

7. Cuidado ao fazer compras em redes públicas

É uma dica mais geral, mas também vale para a Black Friday: cuidado ao fazer compras em redes públicas, uma vez que você precisa inserir informações sensíveis no navegador, como dados de cartão de crédito, e essas informações podem ser interceptadas por alguém com um conhecimento técnico no assunto.

Prefira sempre fazer a compra em uma rede privada, protegida por senha e de alguém cuja procedência seja confiável. Se estiver em um lugar que não seja sua casa, considere usar uma VPN para proteger seus dados.

8. Verifique se o site é seguro?

De nada adianta você usar uma VPN se, do outro lado, o site que você navega ou pretende fazer uma compra não está protegido. Especialmente em 2019, noticiamos vários vazamentos de empresas de tecnologia, fintechs e até operadoras de telefonia que tiveram dados de clientes expostos.

E olha que são empresas que têm profissionais e infraestrutura para operar em segurança. Se isso ocorreu com elas, há chances de sites menores também serem pegos.

Por isso, verifique se o site que você encontrou um produto é seguro, para evitar golpes ou a exposição dos seus dados, no futuro.

Colaborou: Lucas Lima.

Mais sobre: ,