O Google tem um projeto para acelerar a internet móvel: trata-se do AMP, um formato simplificado para páginas da web. Ele não tem suporte a recursos complexos de JavaScript, e utiliza um cache para carregamento mais rápido.

O AMP vem sendo adotado por diversos veículos de comunicação, incluindo o Tecnoblog, mas alguns sites decidiram usar um “truque” para direcionar os usuários à versão completa — e o Google não gostou.

As páginas AMP têm destaque nas buscas do Google em smartphones: elas aparecem em um carrossel de notícias na parte superior. No entanto, elas têm menos anúncios e menos links para outras partes do site.

Por isso, alguns veículos decidiram colocar apenas uma prévia do seu conteúdo nessa versão mais rápida, com um link no fim para a página original. Dessa forma, eles conseguem prioridade nas buscas do Google e também mais dinheiro de anúncios.

Exemplo criado pelo Google para demonstrar a prática de “teaser” em páginas AMP

O Google quer acabar com esta prática. A partir de fevereiro de 2018, “quando encontrarmos uma página AMP que não contém o mesmo conteúdo crítico que a equivalente original, vamos direcionar nossos usuários para a página original”, diz a empresa. O webmaster será avisado disso.

O AMP já passou por outros problemas. Hackers usaram o recurso para tentar enganar usuários e invadir contas do Gmail. Além disso, o link para a versão original — que deveria aparecer na parte superior — nem sempre é carregado, exigindo que o usuário modifique a URL manualmente para acessá-la.

Com informações: Google, The Verge.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marcos Soares Santos
Outra putaria muito sacana é o famoso "clique para ver a continuação" em páginas normais. Separam a matéria em partes miúdas pro usuário ter que recarregar a página pelo menos umas 4 vezes, gerando aquela famosa graninha.
Leandro
penaliza o site e cabô
Aloísio
Felipe,você sabe dizer se as fabricantes terão liberdade para encher esse Android Go de lixos desnecessários?
Sidney Piesco
Mas para isso existe o poder do consumidor, que pode escolher acessar ou não um site. Tenho certeza que em breve o Google será processado na Europa por isso e terá que pagar uma multa. Isso sempre acontece com Google e Microsoft. Lá na Europa os caras não são burros e percebem quando essas empresas estão jogando para assegurar o monopólio. https://www.tecmundo.com.br/google/118342-google-multada-r-9-bilhoes-europa-anticompetitiva.htm
Thiago Silva

Basicamente, tem muito site com uso abusivo de propagandas e decisões questionáveis de design que prejudicam em muito a navegação em dispositivos móveis. A Google impor um padrão para melhorar isso não é algo ruim necessáriamente.

Mas também é claro que eles fazem isso porque eles praticamente detém o monopólio de buscas. É por ter esse poder que eles podem impor um padrão e castigar sites por não o usarem ou usarem de forma errônea ou prejudicial.

Thiago Silva

Mas seria um pouco inocente não imaginar que eles visam lucro e retorno por uma medida implementada por eles. A questão é que eles se encontram em uma condição de poder ditar regras como essas.

Leandro

humpf...pra que AMP? pra ser monopolio de busca? é so otimizar o site e cabô

Sid

Isso mesmo, Breno. O que eu não concordo é isso ser feito de maneira forçada pelo Google. Por que ele tem que decidir como o site deve ser feito? Por que o usuário não decide deixando de visitar aqueles que são pesados e têm pouco a oferecer?
O que eu quero dizer com tudo que escrevi é que o Google não está fazendo isso pensando em você ou em mim. Ele tem algo mais importante para a empresa por trás de tudo isso do que importante para nós. Provavelmente está ligado à necessidade de controlar de forma mais eficaz o conteúdo e, principalmente, os anúncios. Pensem nisso. Eles não perderiam tanto tempo e dinheiro trabalhando em algo que seria em benefício somente do usuário.
Sempre que vejo algo assim fico pensando o que tem por trás de tudo isso. São milhões de dólares investidos. Para quê?

Sid

Concordo. Ninguém precisa de uma foto 4K. Mas não concordo em limitar dessa forma os sites obrigando eles a ficarem em segundo plano nas pesquisas. Acho que o próprio usuário acaba fazendo uma triagem nesses casos. Se o site é muito pesado com coisas inúteis, basta não acessá-lo mais. Mas se é pesado por ter coisas necessárias, o usuário tem o direito de ter todas essas informações, mesmo sabendo que está gastando tráfego de internet.

Jonas S. Marques

As pessoas confundem design com milhares de imagens girando pulando e tremilicando na página. O plugin mais popular de 2016 e 2017 para o Wordpress é o Revslider, um plugin que coloca imagens desnecessárias no meio da página, imagens quase sempre gigantescas e mal otimizadas.
O AMP funciona para dispositivos móveis, e não, ninguém precisa de uma imagem em 4 K ocupando 1/8 de uma tela de 5,5 polegadas pesando 4 MB.

Felipe Ventura

Eles fizeram, é o Android Go: https://tecnoblog.net/21493...

Sid

Bem, como dizia meu pai, "cada um é cada um".
Eu tenho meu pensamento sobre isso e você tem o seu. respeito o seu, apesar de discordar.

Renan

"Os sites ficam mais pesados para poderem lhe entregar mais conteúdo."

Será? Porque o que eu procuro nos sites é conteúdo e não efeitos visuais. Um site cheio de efeitos visuais e animações irrelevantes não me entrega mais conteúdo.

Um site que consome centenas de megabytes de RAM e que transfere vários megabytes apenas para me mostrar meia dúzia de informações não me entrega mais conteúdo.

"Hoje quando você faz uma compra existem códigos e mais códigos para garantirem a sua segurança e também a da loja."

Que legal, e que esses códigos fiquem no servidor, no back-end, onde presumivelmente é o lugar deles, até mesmo porque eu posso fuçar no meu browser mas não no servidor da loja.

"Uma página não precisa de um logotipo de alta resolução, mas muitas
vezes precisa de imagens detalhadas para você poder dar o zoom e ver
algum detalhe."

O problema é que muitas vezes, principalmente em notícias, a imagem não é relevante! Se eu abro uma notícia sobre criação de vagas de emprego, eu não preciso de uma imagem de uma carteira de trabalho, se eu abro uma notícia sobre videogames eu não preciso da foto de um joystick, etc...

Sid

Concordo. O Google fica pegando no pé de desenvolvedores de site mas não faz a lição de casa. Por que o android tem que ser tão pesado que não roda em aparelhos de entrada? Por que não ter uma versão mais simples para esses aparelhos?

Sid

Renan, acho que você não entendeu meu ponto de vista. Inclusive não estou aqui para discutir com o outro só porque ele tem uma ideia diferente da minha.
O que eu quero dizer é que hoje temos aparelhos que são muito limitados para navegação na internet - os smartphones são aparelhos muito limitados quando comparados aos computadores - e além disso, temos internet que parece que parou no tempo. Ela é muito lenta. Seu desenvolvimento foi freado por não haver interesse em grande investimento. E, devido a isso, fica mais fácil você limitar o que as pessoas podem ver do que tentar desenvolver algo melhor.
Os sites ficam mais pesados para poderem lhe entregar mais conteúdo. Hoje quando você faz uma compra existem códigos e mais códigos para garantirem a sua segurança e também a da loja. Quando você vai interagir com o site, de alguma maneira, existe um poderoso algorítimo por trás do que você está fazendo. E o Google parece querer frear isso. Ainda não sei a verdadeira intenção, pois não é tornar a sua navegação mais leve e economizar o seu pacote de dados. Pode ter certeza.
Uma página não precisa de um logotipo de alta resolução, mas muitas vezes precisa de imagens detalhadas para você poder dar o zoom e ver algum detalhe. Não sei você, mas eu vivo usando o zoom e não gosto quando a foto é de baixa resolução e eu não posso ver o detalhe que estava procurando. Até na compra de algo pela internet a gente quer ver detalhe do produto antes de comprar.
É isso. Acho que expliquei meu ponto de vista e respeito o seu.

Exibir mais comentários