Início » Web » YouTube vai reforçar a equipe em 2018 para evitar abuso da plataforma

YouTube vai reforçar a equipe em 2018 para evitar abuso da plataforma

Sem mais Peppa Pig bebendo água sanitária

Por
05/12/2017 às 11h22
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Em 2017, o YouTube passou por sérios apuros, principalmente com os anunciantes. O serviço sofreu um boicote de mais de 250 grandes marcas, que deixaram de veicular anúncios na plataforma. O motivo? As propagandas eram veiculadas em vídeos extremistas ou que promoviam o preconceito, violência e terrorismo.

Depois, o YouTube continuou perdendo anunciantes após um texto denunciar diversos vídeos voltados para crianças, mas que traziam conteúdo violento ou erótico. Havia, por exemplo, algumas “paródias” com a Peppa Pig, em que a personagem de desenho animado era torturada pelo dentista ou bebia água sanitária. Mais de 150 mil vídeos do gênero foram removidos.

Para reforçar sua preocupação com o assunto, o YouTube publicou um texto no blog oficial assinado pela Susan Wojcicki, CEO do serviço, detalhando o que pretende continuar fazendo para evitar abuso da plataforma.

Foto por David Pickett/Flickr

A principal medida é contratar mais gente para moderar conteúdo e encontrar violações das diretrizes de conteúdo. “Revisores humanos continuam essenciais tanto para remover conteúdo quanto para treinar algoritmos de aprendizagem de máquina porque o julgamento humano é crítico para tomar decisões contextualizadas em relação ao conteúdo”, escreveu Wojcicki.

A ideia é fazer com que o aumento da equipe também melhore os algoritmos de machine learning. Wojcicki conta que 98% dos vídeos extremistas que são removidos hoje são detectados pelos algoritmos, que ajudaram a equipe de revisão a apagar quase 5 vezes mais vídeos do que anteriormente.

Todo esse panorama sobre os esforços da equipe serve para tranquilizar os anunciantes e evitar mais boicotes. “Nós queremos que os anunciantes tenham a tranquilidade de que seus anúncios estão sendo veiculados junto a um conteúdo que reflete os valores de sua marca. Igualmente, queremos dar confiança aos criadores de que seu faturamento não será afetado pelas ações de pessoas mal-intencionadas”, disse Wojcicki.

Foto por Michal Jarmoluk/Pixabay

Para tanto, o YouTube vai selecionar quais canais estão qualificados para receber anúncios com base em um critério mais rigoroso e, com uma equipe maior, promover mais curadorias manuais para ter certeza de que os anúncios estão sendo veiculados onde deveriam. No final, isso também deve dar mais estabilidade aos criadores de conteúdo, sem serem prejudicados por quedas expressivas por conta de boicotes.

Por fim, o serviço quer ser mais transparente sobre o que é ou não adequado para ser monetizado, como expresso nas diretrizes da comunidade. Para 2018, Wojcicki prometeu criar relatórios regulares que detalham quais flags o YouTube recebeu e o que eles fizeram a respeito.

Será que o serviço terá mais tranquilidade no ano que vem?

Mais sobre: ,
  • Eduardo Martins

    KidsTube

  • Lucas Carvalho

    #PromessasDeAnoNovo

  • Jacques

    Se o youtube já tava ruim pra criadores de conteúdo, vai passar a ficar bem pior.

    Uma palavrinha que você fale no video e ele pode ser demonetizado pra sempre, vi vários youtubers que conheço reclamarem disso recentemente, tá na hora de ter algum concorrente com um pouco mais de liberdade!

    • Anti anarcocapitalista

      A liberdade de um não deveria ser a prisão do outro.

      Ou seja, defender uma “liberdade” não significa que você pode com a sua inibir a liberdade alheia.

      • Mas vai falar isso pra alguém que tem ideologia de estimação…
        Você é taxado praticamente como um demônio, tal como as pessoas que este infeliz visa atacar.

  • Anti anarcocapitalista

    Para quem não captou, dá para fazer uma analogia com os comentários. Vejamos: só ver aqui ou em outros comentários pela internet o quão muitos são estúpidos sob o manto da “liberdade de expressão.”

    Gente com problemas de sociabilidade, que encontra nos comentários a catarse para suas culpas internas, falando coisas que incomodam os outros só para se sentirem confortáveis e prazeirosos com isso.

    Converta em vídeo e vemos o sadomasoquismo humano em ação.

    • O pior que eu já vi foi um cara defendendo o seu “direito” de ser nazista. Segundo ele era “liberdade de expressão”.

      • Anti anarcocapitalista

        O cara pode dizer que é nazista, stalinista, capitalista, feminista, comentarista. O problema é ele agir como um extremista com sua liberdade de expressão :

        É o dilema da liberdade: por mais que queiramos que a liberdade seja plena, sabemos que certas liberdades não poderão o ser.

        • Muita gente pega a liberdade de expressão e a usa como se ela fornecesse uma imunidade de consequência no pacote. Que se dane se minhas ideias promovem um mal alheio, meu “direito” de falar tem prioridade.
          Isso soa como algo muito absurdo. É praticamente se eu dissesse que eu quisesse matar uma pessoa com vontade, e esperar que as pessoas vejam isso como se estivessem numa boa.

      • Cássio Amaral

        Concordo que liberdade de expressão não é falar o que bem quiser, mas o problema é que geralmente são esquerdistas quem chamam de “nazistas” todos aqueles que discordam de sua ideologia. Ou então o clichê do “discurso de ódio” para tudo que vá de encontro aos que alguns grupos pensam.

  • Someuser10

    “Todo esse panorama sobre os esforços da equipe serve para tranquilizar os anunciantes e evitar mais boicotes. “Nós queremos que os anunciantes tenham a tranquilidade de que seus anúncios estão sendo veiculados junto a um conteúdo que reflete os valores de sua marca. Igualmente, queremos dar confiança aos criadores de que seu faturamento não será afetado pelas ações de pessoas mal-intencionadas”, disse Wojcicki.”

    E não impedir que crianças sejam expostas a um conteúdo degradante, com consequências horríveis para sua formação, em um meio q se coloca como opção segura para os pais.

    dont be evil

  • X1301120415

    Uma pena é que o YouTube não dá chance para o dono do canal se defender de uma punição. Tem muitos canais perdendo os anúncios ou sendo apagados sem conversa! Os YouTubers não conseguem falar com especialistas e ficam presos nas respostas prontas da seção de ajuda. O julgamento é feito por robôs. Tomou punição? Sente-se e chore. Não há formulário pra se defender, não há como provar que o direito é seu. Quando você finalmente consegue uma resposta humana, o tempo da punição está no fim e você já perdeu muitos inscritos e muito dinheiro sem anúncios. Quando prova que está certo, recebe outro e-mail pedindo desculpas. Escrito por outro robô.

  • Sammy

    Eu preferia quando o youtube era só vídeo de gatinho e virais.

    O youtube nunca “lucrou” e se continuar assim nunca vai lucrar pra superar os prejuizos, e ainda tem que pagar pra um bando de doente mentais pra fazer vídeos idiotas e deixar todo mundo mais retardado do que já é.

  • Cássio Amaral

    Remover os vídeos de nutelleiros, nem pensar né, YouTube? Está cada vez mais difícil para os produtores de bom conteúdo, que priorizam qualidade acima de qualidade, permanecer na plataforma. Mas não há muito o que fazer, visto que a concorrência ao YouTube é insignificante.