O Firefox Quantum trouxe uma nova perspectiva para a Mozilla, mas uma ação mal planejada quase pôs tudo a perder. Ao menos essa é a impressão que usuários que se depararam com a extensão Looking Glass tiveram. Ela surgiu do nada no navegador e, por conta disso, fez muita gente suspeitar de um malware. Logo descobriu-se que tudo não passava de uma ação para promover a série Mr. Robot.

Mr. Robot

É óbvio que o desconfiômetro iria disparar. Para começar, os usuários que notaram o problema não deram permissão para a instalação da Looking Glass. Depois veio a descrição da extensão, toda em letras maiúsculas: “my reality is just different than yours”, algo como “minha realidade é simplesmente diferente da sua”, uma citação de Alice no País das Maravilhas.

Como tudo apontava para um malware possivelmente instalado via bug no Firefox, usuários começaram a relatar o surgimento da extensão em redes sociais e, principalmente, no Reddit. Pouco tempo depois, a Mozilla esclareceu que a extensão nada mais é do que uma campanha para promover Mr. Robot, mais precisamente, a recém-confirmada quarta temporada da série.

Parecia uma boa ideia, afinal, essa é uma série com temática hacker e que possui muitas referências para softwares, tecnologias e serviços online reais. Mas a ação foi conduzida de maneira desastrosa: não estava claro para os usuários que tudo não passava de uma jogada de marketing, até porque ações envolvendo extensões não são comuns.

A Mozilla agiu rápido para corrigir os deslizes. Além de ter se manifestado publicamente sobre a ação, a organização atualizou a extensão para incluir um texto explicando que a Looking Glass é um jogo de realidade alternativa (ARG, na sigla em inglês) que só entra em funcionamento se o usuário acioná-lo.

Mesmo assim, as críticas não cessaram. Muita gente reclamou que a Mozilla, por ser uma organização sem fins lucrativos, não deveria participar de ações desse tipo. Outros usuários entendem que esse tipo de ação ajuda a financiar o desenvolvimento do Firefox e outros softwares, mas criticam o fato de a Mozilla não ter agido com transparência desde o início.

Mas por que somente alguns usuários se depararam com a extensão? Já nas primeiras horas ficou claro que a Looking Glass foi instalada apenas nos computadores de participantes do Shield Studies, programa da Mozilla que permite ao usuário testar recursos experimentais.

fsociety

Muitos recursos disponíveis ali só podem ser instalados após a aprovação do usuário, mas os termos do programa permitem instalações automáticas. Provavelmente, o maior erro está aí: embora possa adicionar extensões automaticamente, a Mozilla deveria ter pedido permissão. É isso o que se espera de uma organização que levanta a bandeira da privacidade e segurança.

No fim das contas, parece que tudo não passou mesmo de um deslize. A Mozilla já sinalizou que aprendeu a lição.

Com informações: Mashable

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Arthur Soares
meo deus, quem foi o publicitário com essa ideia genial?
Marcus Araújo
Esperaria esse tipo de trapalhada do Google e da Microsoft, e não da Mozilla, que sempre passou melhor uma percepção de confiança e respeito ao usuário... Espero que tenham aprendido mesmo, não é por esse caminho que desejo observar a Mozilla seguir.
Molinex
Isso mesmo... Agora na quarta temporada vai aparecer esse mano usando firefox...
Giovani Sousa
Aprendi da pior maneira, foi forçado a me retirar do Google Adsense anos atrás por não seguir as regras, e olha que eles tem uma farta documentação explicando o que não pode. Desde então peguei por hábito ler tudo antes de assinar, ou selecionar li e concordo ... Até mesmo aqui no TB eu li o "Comment Policy" antes do meu primeiro comentário esses tempos.
Zephyro
Mas quem aderiu ao Shield Studies acreditava que o programa seria voltado a experimentos de recursos e funcionalidades visando a melhoria do navegador (como o próprio nome sugere), e não como um meio de propaganda. Isso, aliado ao fato da extensão exibir uma descrição muito pouco informativa e descontextualizada que deixava dúvidas quanto a seu propósito, foi o que causou esse alvoroço. Os usuários que se dispuseram a colaborar por meio do programa se sentiram ludibriados. Não houve uma autorização explícita para instalação de extensões desse tipo. Se a Mozilla tivesse sido clara desde o início, não haveria tanta polêmica.
C. Herrera
"Nada substitui o bom senso." Perfeito! :)
Gustave Dupré
Isso me lembrou que preciso voltar a assistir Mr. Robot, então eu acho que funcionou.
Marcelo Pietro
Concordo,mas vou colocar uma perspectiva diferente. Boa parte dos sites passam dos limites quando o assunto é propaganda.São banners por todo lugar da página. Sites que usam mineradores escondidos acabam roubando processamento da máquina,o que pode deixá-la lenta. E,para terminar.O usuário da internet foi acostumado a ter tudo de graça.Estamos num momento de transição e ainda vai demorar para o hábito de pagar pelo conteúdo pegar.
John Smith
"Outros usuários entendem que esse tipo de ação ajuda a financiar o desenvolvimento do Firefox e outros softwares, mas criticam o fato de a Mozilla não ter agido com transparência desde o início." Me incluo perfeitamente aqui. Entendo que esse tipo de parceria ajuda a arrecadar fundos, mas erraram feio na forma como foi executado. Já que a ideia era atrair visibilidade para a série, deveria ter sido exibida alguma notificação no Firefox assim que a extensão fosse instalada, o que serviria como aviso e de quebra contribuiria para o engajamento do usuário. A descrição da extensão poderia ter sido bem mais clara, também.
Maico Andrade
Fase 4.
Corvo
"Muita gente reclamou que a Mozilla, por ser uma organização sem fins lucrativos, não deveria participar de ações desse tipo" Simples, deixe de usar o navegador, já que não pagou nada não teve nenhum prejuízo. O pessoal ultimamente não quer pagar por nada, não quer ver banner de propaganda, não quer um minerador rodando e a empresa não pode ter sequer patrocinador.
Lucas Santos
Uma rara espécie
Ricardo - Vaz Lobo
Shit happens
Emerson Alecrim
Mas tem que deixar claro, cara. Aparece um negócio com dizeres estranhos, sem nenhuma explicação no seu navegador. Você vai pensar o quê? Vírus, algum espertinho explorando um bug no navegador... Avisa e, de preferência, pede permissão, pois o pessoal se inscreve para ter acesso a recursos experimentais, mas não espera que apareça uma campanha de marketing, até porque a Mozilla não costuma fazer isso.
Emerson Alecrim
O programa prevê instalação automática, mas isso é não regra. Se a Mozilla tivesse pedido permissão, os usuários ficariam sabendo na hora do que se trata e, talvez, teriam até se engajado mais. Nada substitui o bom senso.
Exibir mais comentários