Se alguém pedir para você citar uma empresa que tem o mesmo nome do seu principal produto, a resposta não poderá mais ser "Opera Software". Nesta segunda-feira (18), a companhia confirmou que está alterando o seu nome para Otello Corporation. Com o navegador, porém, nada muda.

Como a Opera Software (na verdade, Opera Software ASA) é uma empresa com muito tempo de mercado, a mudança de nome causa estranheza. Mas, Lars Boilesen, CEO da Opera Software, explicou ao The Next Web que o novo nome faz parte de um acordo legal. Qual? Convém voltarmos um pouquinho ao passado para entendermos.

Em 2015, um consórcio formado principalmente pelas empresas chinesas Beijing Kunlun Tech e Qihoo 360 fez uma oferta de US$ 1,2 bilhão para adquirir a Opera Software. Só que o negócio não foi aprovado por órgãos regulatórios, o que obrigou o consórcio a fazer uma oferta menor, de US$ 600 milhões, para adquirir apenas partes da Opera Software.

Opera

A oferta foi feita em julho de 2016 e aprovada em novembro do mesmo ano. Com o negócio, o consórcio chinês acabou se tornando dono da Opera Software AS (é assim mesmo, com "AS" no final), divisão que cuida de produtos para consumidores finais. Consequentemente, o consórcio também se tornou responsável pelos navegadores Opera.

Perceba que, apesar de não responder mais pelos browsers, a Opera Software continua atuando, mas em outros negócios. A mudança de nome, de acordo com Boilesen, foi necessária porque o consórcio chinês também adquiriu os direitos sobre a marca Opera, razão pela qual o acordo já previa alterações.

Fica claro, portanto, que a Otello Corporation (o nome é uma referência à ópera de mesmo nome) passa a representar as partes não compradas. Estas incluem negócios em áreas como games, anúncios online e telecomunicações. A mudança de nome será gradativa.

Boilesen também é conselheiro estratégico do consórcio chinês. Assim, é de se presumir que ainda haverá vínculos da Otello Corporation com os navegadores Opera, pelo menos por algum tempo.

Com informações: Reuters

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Gil Araújo

O opera agora da Qihoo chinesa, que burla teste nos sites de avaliações e que tem um navegador na china, para combater com o Baidu, onde existe uma birrinha entre as duas, inclusive na justiça, a engine agora é toda dos chines da Qihoo. Muitos engenheiros noruegueses foram demitidos e, em seu lugar entraram os chineses. N é mais confiável. Ele é intuitivo, bonito, mas na segurança, ficou a desejar. Os nossos dados....

senna_4ever
o cliente de email ta quase pronto, so esperar pra liberar ao publico ja liberaram um snapshot de teste para sincronização (favoritos, notas, configurações...)
Programador Front-End
Eu tenho problemas com o inspetor de elementos do vivaldi. ele tem erros não recorrentes no chrome e opera, apesar de na teoria serem iguais
Programador Front-End
O Opera usando chromium pega a sincronização do Chrome facinho. Só passei a usar ele e o Vivaldi por causa disso
Programador Front-End
O Vilvaldi me parece menos bem acabado que o Opera.
Cobalto
Usar a engine do Chrome? Nenhuma. Ter largado tudo que era e virar só uma carcaça personalizada da mesma engine? Quanto a isso eu tenho problema. O Vivaldi também é Chromium e já nasceu com vários recursos do Opera clássico, muitos chegaram depois e tá, tem uns que tão virando promessa estilo microsoft (ok) mas tão lá. Ter menos recurso não significa nada quando o próprio Vivaldi tem menos recurso que a Opera e fez muito mais pra chegar perto do Opera Classico do que o Opera oficial. O Vivaldi é o opera-queridinho-de-todo-mundo-ama-mas-que-ninguem-usa com engine moderna, o Opera é um Chromium com apelo sentimental na marca.
Paulo Eduardo
Chateado... Espero que não vire um Baidu da vida e agora tb fico preocupado com a segurança.
J_Eduardo
Nesta situação, imagino que o Opera neon deva ter ficado com os chineses, ou sei lá ter sido criado por eles. Para mim era um dos navegadores de pc e mac mais legais e diferentes desde o lançamento do chrome, mas por algum motivo não chegou ao mobile então por hábito e costume de usar o chrome e sua sincronização, parei de de usá-lo, depois acabei apagando do Mac e do pc.
Keaton
Até hoje estou esperando o Vivaldi alcançar a glória do antigo Opera... ou ao menos enfiar o cliente de email dentro do navegador...
John Smith
Bem por aí mesmo. O Vivaldi me parece bem competente (usei pouco, mais por curiosidade).
John Smith
Ah sim. Até porque só pelo fato de serem produzidos na China, um iPhone e um LEAGOO são exatamente idênticos, não é mesmo? Francamente.
Molinex
Opera é meu navegador padrão desde que abandonou o presto, e começou a usar um motor de renderização descente... E o fato de ser mantido por um consorcio chines não me incomoda... Pelo contrario, me lembra da infância, e de toda a tecnologia que eu tinha acesso. Proveniente da galeria Pajé...
Gertrudes, a Lhama Morta

Eu tento usar Vivaldi desde que lançou, mas ainda acho o desempenho dele muito ruim :/

Mesmo no trabalho, onde uso um Xeon com 16gb de RAM, ele é muito lento, embora tenha melhorado

Gertrudes, a Lhama
Eu tento usar Vivaldi desde que lançou, mas ainda acho o desempenho dele muito ruim :/ Mesmo no trabalho, onde uso um Xeon com 16gb de RAM, ele é muito lento, embora tenha melhorado
PinPortal ✔️

E qual o problema de se utilizar uma plataforma de código aberto e desenvolver em cima dela? O Opera tem menos recursos que o Google (por isso quase foi comprada sua totalidade por US$ 1,2 bilhão e no final os chineses compraram a parte de browsers por US$ 600 milhões).

Eles têm muito menos funcionários. No desktop ficam atrás do Google, Firefox (Mozilla), IE/Edge (Microsoft), Safaria (Apple), etc.

No mobile tem que concorrer com Google Chrome, Firefox (Mozilla), Uc Browser/Mini (Uc Web, do gigante Alibaba), Safari (Apple), Samsung browser (Samsung), IE Mobile (Microsoft) e o próprio navegador nativo do Android.

Então se basear no projeto Chromium tem mal algum. É como se uma equipe de 500 pessoas fosse responsável por adicionar novas funções a algo que já existe. Focando na interface e em novas funções. O desenvolvimento fica muito mais rápido.

E o grande foco é mobile. É o Opera browser mobile e o Opera Mini. Onde o Opera tem mais de 5% de market share e pode continuar crescendo.

Exibir mais comentários