Início » Telecomunicações » Internet de 10 Mb/s ou mais vai ser direito garantido por lei no Reino Unido

Internet de 10 Mb/s ou mais vai ser direito garantido por lei no Reino Unido

Emerson Alecrim Por
2 anos atrás

É assim em várias partes do mundo: regiões urbanas são atendidas com vasta oferta de serviços de telecomunicações enquanto áreas rurais ou muito afastadas contam com infraestrutura precária. No Reino Unido, esse problema vai ser bem menos frequente: o governo pretende estabelecer uma lei que assegura o direito do cidadão de contar com conexão à internet banda larga de pelo menos 10 Mb/s (megabits por segundo).

A ideia surgiu formalmente há dois anos, quando o então primeiro-ministro David Cameron apresentou um projeto para garantir conexões com no mínimo 10 Mb/s para todos os cidadãos até 2020, tanto em regiões urbanas quanto em áreas rurais do Reino Unido. Com isso, o acesso à internet passaria a ser uma Universal Service Obligation, ou seja, um serviço de direito fundamental, assim como o fornecimento de água, energia elétrica e gás.

Esse projeto vai mesmo ser levado adiante. A operadora British Telecom (BT) chegou a oferecer ao governo britânico investimentos de até 600 milhões de libras esterlinas para permitir que 1,4 milhão de residências rurais no Reino Unido tenham acesso à internet de pelo menos 10 Mb/s. Porém, o governo decidiu transformar a ideia em serviço universal.

banda larga

Talvez a oferta da BT pudesse acelerar a implementação da infraestrutura necessária para uma cobertura mais ampla. Mas, provavelmente, o governo viu na sugestão uma tentativa da operadora de evitar a aprovação do projeto: "agradecemos a BT por sua proposta, mas decidimos que apenas uma abordagem regulatória fará a banda larga de alta velocidade ser uma realidade para todos no Reino Unido".

O próprio governo explica que a regulamentação traz diversas vantagens, como possibilidade de exigir que a velocidade mínima aumente com o tempo, garantia de implementação de infraestrutura em lugares afastados e mais controle sobre tarifas.

Espera-se que a lei seja aprovada no início de 2018 e leve, no máximo, dois anos para a velocidade mínima passar a valer. Não deve ser uma meta tão difícil de bater: atualmente, cerca de 95% das residências e empresas no Reino Unido contam com conexões de 24 Mb/s ou mais.

Com informações: Engadget