Notícias falsas não são um fenômeno recente, mas, graças à capacidade de disseminação das redes sociais, nunca tiveram tanto alcance quanto nos tempos atuais. Tentando encontrar uma solução que seja pelo menos amenizadora, o Facebook anunciou, nesta semana, novas medidas contra as fake news. Uma delas consiste em não rotular uma notícia considerada falsa como tal.

Facebook - smartphone

Parece contraditório, não? Se uma notícia foi identificada como ilegítima ou tem fortes indícios de trazer informações inconsistentes, é razoável que a rede social coloque um sinal de alerta ali, afinal, a contestação geralmente vem de uma ou mais agências de verificação de fatos.

Mas o Facebook percebeu que a sinalização de fake news não estava surtindo o efeito esperado. Primeiro porque, em muitos casos, o alerta visual só aparecia tardiamente, quando a notícia falsa já havia sido compartilhada por milhares de usuários. Segundo porque o Facebook constatou que notícias sinalizadas como falsas nem sempre deixavam de ser compartilhadas. Muitas vezes acontecia o contrário: o conteúdo passava a ser divulgado com mais intensidade.

Facebook - alerta fake news

É uma constatação surpreendente, mas de fácil compreensão: o sinal de alerta para fake news fazia os usuários prestarem mais atenção na notícia, como um chamariz. Além disso, muitos deles compartilhavam a notícia sinalizada como falsa porque não compreendiam o alerta ou simplesmente para reforçar o seu posicionamento acerca do assunto, como se o alerta estivesse ali, na verdade, para tentar mudar a opinião da pessoa.

No lugar dos alertas, a rede social passará a destacar links relacionados juntos às notícias compartilhadas que levam a publicações que, por serem checadas, automaticamente contestam o conteúdo falso. Nos testes, o Facebook notou que o sistema de links relacionados é mais eficaz na tarefa de evitar que os usuários disseminem fake news. Novamente, não é difícil entender: qual o sentido de compartilhar uma notícia que é contestada com links checados logo abaixo?

Caso o usuário compartilhe uma notícia antes de esta ser classificada como falsa, o Facebook enviará a ele, depois da filtragem, uma notificação a respeito da procedência duvidosa daquele conteúdo.

Facebook - links relacionados

Essas não são as únicas medidas, é claro. O Facebook promete continuar trabalhando junto a agências de verificação de notícias e implementando tecnologias para combater o problema. Faz parte desses esforços tentar compreender o que leva uma pessoa a definir uma informação como precisa ou não em função da fonte do conteúdo.

O estudo sobre esse comportamento não deve afetar o feed de notícias, pelo menos no curto prazo. O objetivo, de acordo com o próprio Facebook, é ter mais um meio de medir se as iniciativas para melhorar a qualidade da informação na rede social estão trazendo os resultados esperados.

Não acredite em seus olhos

Quem é culpado pela disseminação de notícias falsas na internet: as pessoas que compartilham tudo sem checar a veracidade das informações ou as empresas de tecnologia? Facebook e Google estão desenvolvendo tecnologias para que a verdade volte a reinar, seja com algoritmos de inteligência artificial, seja com a ajuda de humanos que fazem trabalhos independentes de verificação de fatos.

Debatemos o assunto no Tecnocast 059. Dá o play e vem com a gente!

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marcelo Pietro
·Presidente acabar de assinar decreto aumentando o salário mínimo em 45%.Com isso o salário mínimo passa a ser de R$ 1359,00 a partir de 1 de janeiro de 2018. Fonte: G1 ·Ex-presidente é condenado em segunda instância e pode ser preso a qualquer momento. Fonte: G1
Ricardo - Vaz Lobo
Qual a graça de compartilhar a verdade, se a mentira é mais saborosa e divertida?
Alexandre Roberto

Acho que e justamente o contrario......vao colocar um link esquerdando

Alexandre Marchetti
Acho que e justamente o contrario......vao colocar um link esquerdando
Deilan Nunes
So colocar um post da caneta desquerdizadora embaixo
Alexandre Roberto

deixa ver se entendi.......se vier das fontes que considero idoneas e parceiras, nada acontece....agora se vier de alguem sem meu carimbo de autenticidade e verdade, eu apresento um contraponto desmentindo o dito cujo e ainda dou uma cutucada em quem replicou o conteudo, e isso?

Puxao de orelha virtual em quem compartilhar o q eu nao acho saudavel e divertido

Alexandre Marchetti
deixa ver se entendi.......se vier das fontes que considero idoneas e parceiras, nada acontece....agora se vier de alguem sem meu carimbo de autenticidade e verdade, eu apresento um contraponto desmentindo o dito cujo e ainda dou uma cutucada em quem replicou o conteudo, e isso? Puxao de orelha virtual em quem compartilhar o q eu nao acho saudavel e divertido