Gaël Duval é conhecido como o pai da distribuição Mandrake Linux, mas em breve ele também poderá carregar a fama de ser o criador do Eelo, sistema operacional baseado no Android que promete ser livre do ecossistema do Google, tanto quanto possível. Mas, antes disso, o projeto precisa arrecadar pelo menos € 25 mil no Kickstarter.

Eelo Android

O Android é o sistema operacional móvel mais utilizado do mundo e, como tal, deixa o Google em uma posição bastante privilegiada no mercado. Via de regra, a companhia cuida do desenvolvimento da plataforma e a oferece aos fabricantes de dispositivos móveis mediante acordos de licenciamento. Assim, as empresas podem incluir em seus aparelhos as ferramentas e serviços do Google.

Soa como uma relação justa, afinal, o Google se preocupa em manter a homogeneidade do Android e em torná-lo cada vez mais abrangente enquanto os fabricantes cuidam apenas dos seus dispositivos e de uma ou outra adaptação de software. Porém, para muita gente, esse esquema dificulta a adoção de serviços concorrentes e dá poderes demais ao Google por permitir que a companhia tenha acesso a uma enormidade de dados dos usuários.

É aí que o Eelo entra em cena. A proposta de Duval e equipe é disponibilizar um sistema operacional de código aberto que contempla um conjunto básico de aplicativos e serviços, mas exclui recursos que não favorecem a privacidade. O pacote inclui cliente de email, ferramentas de produtividade e serviços de armazenamento nas nuvens que, teoricamente, são menos invasivos.

Se o usuário quiser instalar algum app do Google, tudo bem, essa é uma decisão que cabe a ele. Porém, esse ponto revela a maior dificuldade de um projeto desse tipo: desenvolver uma versão do Android sem o ecossistema do Google implica na ausência do Google Play, do Google Services e de outros recursos importantes para o funcionamento de determinados serviços.

Primeira versão usável do Eelo

Duval deve pelo menos amenizar parte dos possíveis problemas dando acesso a serviços como o F-Droid, que disponibiliza aplicativos gratuitos e open source. O APKPure também pode ser incluído, apesar de o foco deste estar em apps gratuitos, mas não necessariamente de código aberto.

Até certo ponto, o sistema operacional em si também já está preparado para não depender dos recursos do Google: o Eelo vai ter como base o LineageOS, lembra dele? Trata-se de um sistema baseado no Android que sucedeu o finado CyanogenMod.

Embora o projeto não tenha fins lucrativos, os esforços de desenvolvimento têm custos. É por isso que Duval colocou o Eelo no Kickstarter. As recompensas incluem camisetas, reconhecimento como membro oficial do projeto e, para quem fizer as contribuições mais generosas, aparelhos Xiaomi Mi 5s ou Mi Mix 2 com o Eelo instalado.

A primeira versão oficial deve ser liberada para os colaboradores no primeiro trimestre de 2018. Há mais informações no site oficial do Eelo.

Com informações: Neowin, Fossbytes

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Thiago Augusto

Recentemente estou percendo uma novidade, redes sociais decentralizadas baseadas na blockchain.
Isso pode ser a grande solução inesperada, as soluções tecnologicas tendem a ser impressionantes.

Carlin

Justamente, reviravoltas são possíveis, mas vemos o caso do Facebook, "todo mundo" sonha com uma nova grande rede social que possa dar fim ao reinado do Facebook, mais até agora isso não aconteceu e acredito que nem tenha pretensão de acontecer! Hoje existem muitas coisas atreladas para que algo realmente possa "vingar" no caso de um novo sistema operacional ele precisa antes mesmo de ser lançado suporto dos principais App's que o consumidor usa, no caso de redes sociais, é preciso no minimo ter uma base de usuários que possam "naturalmente" se tornarem chamariz de novos usuários para assim fazer a coisa crescer de maneira "orgânica".

Thiago Augusto

haha então me avise antes

Thiago Augusto

E possivelmente o Android também mandará.

Thiago Augusto

Não creio do mesmo, sempre que têm alguém muito forte no mercado parece impossivel que algo o supere, porém se tratando de tecnologia, quando você menos espera acontece uma revira volta no mercado.

Carlin

O problema é que fazer isso agora, não parece ser uma alternativa interessante, o mercado e o usuário não é mais o mesmo de quando o Symbian, blackberry, Java, Android, chegaram!
Hoje já existe um minimo necessário de necessidades que o usuário comum julga ser necessário para o seu uso, dentro desse aspecto chegar "hoje" com um novo sistema operacional é praticamente "impossível"!

Gustavo Sarmento
Cobalto

Ok, colega.
Da próxima vez tenta responder no mesmo ano com, sei lá, menos de 3 meses de diferença.

Thiago Augusto

A proposta é bem firma e bem clara. A melhoria traz muito mais bonus que ônus, têm uma chance boa.
E sim, sempre vai ter mais históricos fracassados que de sucesso.

Thiago Augusto

Symbian, Blackberry, Java, Android.
Tu acha que botavam fé no Android no começo?

Mas básicamente, sem necessidade de Google, sem necessidade de apps rodar no fundo, menor consumo de memória, menor travamento, maior durabilidade de bateria. Ainda roda todos os apps que já Rodam no Android.

Essa é uma fatia de mercado que pode ser muito bem explorada, hoje temos dois abrangentes sistemas móveis, Android e iOS.

Thiago Augusto

O Ponciano ta certo mesmo, já cansei de extremos mal falados baseados em ignorância.
Só porque o cara descreveu muito bem a situção, não motivo para sua ironia estar válida.

Eudes Marques
sistema sem google ! eu usei e gostava muito do Windows Phone.
Richardson Dos Santos Neves
Não faz sentido trazer nada embutido, nem em nuvem. A loja de apps Amazon funcionaria?
Ed. Blake
Lineage é baseada no aosp.
Natthan Fruche Terzi
O projeto é bem formulado e acredito que deve ser bem bacana, é como se fosse uma rom Custom mas com uma empresa séria financiando o desenvolvimento, mas precisava ter o logo tão a cara do Google.
Exibir mais comentários