Início » Demais assuntos » China inaugura “estrada solar” que absorve luz para converter em eletricidade

China inaugura “estrada solar” que absorve luz para converter em eletricidade

Por
28/12/2017 às 14h32
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

A China supera outros países em se tratando de energia solar: sua capacidade instalada é de 77 gigawatts. Desta vez, eles inauguraram um trecho de via expressa que gera eletricidade a partir da luz do Sol.

A primeira “estrada solar” da China foi inaugurada nesta quinta-feira (28) em Jinan, capital da província de Shandong. O trecho de 2 km “pode converter a luz solar em eletricidade e transferi-la diretamente para a rede elétrica”, explica a agência de notícias estatal People’s Daily.

A área coberta tem 5.755 m², e é composta por três camadas: concreto translúcido na parte superior; painéis fotovoltaicos no meio; e isolamento na parte inferior.

Zhang Hongchao, especialista em engenharia de transporte da Universidade de Tongji, diz à CCTV que esta via expressa pode lidar com 10 vezes mais pressão que o asfalto comum.

Em um ano, ela poderia gerar 1 milhão de kWh. Essa energia será usada na iluminação pública e em um sistema para derretimento de neve na estrada, além de estações para carregamento de veículos elétricos, que serão adicionadas no futuro.

O custo da estrada solar é alto: cerca de 3.000 yuan (R$ 1.500) por metro quadrado, significativamente maior do que o asfalto comum — é a principal crítica em relação a esse tipo de projeto. Ele saiu pelo equivalente a R$ 8,5 milhões.

No final de 2016, a França inaugurou um trecho de estrada com painéis solares. Localizada na vila de Tourouvre-au-Perche, ela tem 1 km de extensão e 2.800 m² de área. O projeto custou € 5 milhões (cerca de R$ 17,5 milhões) e permanecerá em testes até o final de 2018.

Com informações: Quartz.

  • Juan Lourenço

    Tem o dobro da área do francês e custou metade, ou seja, custou 1/4 por metro quadrado, tá é bom

    • Douglas Souza Luz

      chineses tem esse dom de fazer o mesmo mais barato e com qualidade semelhante.

      • Só tirar o custo dos trabalhadores, se é que me entende…

        • Gato Branco

          Você está alguns anos atrasado, e pouco sabe de custos de produtos industrializados.

          Na indústria (com excessão da têxtil) em qualquer parte do mundo, o custo de mão de obra não ultrapassa 10% do total do produto. Logo, mesmo que trabalhassem de graça, não é isso que faz a China ser o que é.

          Outra: O salario do trabalhador chinês já é maior que o brasileiro, nas mesmas funções.

          Mão de obra é mercadoria escassa. Você (ainda) não pode produzir pessoas em massa, e quanto mais experientes e qualificados, profissionais tem mais valor.

          Em um ambiente de livre mercado, sem regras rígidas, funcionário bom escolhe onde quer trabalhar, e até os ruins tem emprego, pois não há nada que impeça você de empreender, de trabalhar, de comprar, vender, trocar, ser contratado, etc.

          O modelo brasileiro segue o francês. Agora você vê que o “custo Brasil” não surgiu do nada.

  • Fabiano

    cerca de 3.000 yuan (R$ 1.500) por metro quadrado, significativamente maior do que o asfalto comum [, que é de R$XXXXX,XX]

    • Verdade, faltou o valor base, já que nem todo mundo trabalha com asfalto pra saber o valor.

      • Também fiquei curioso!

      • Joaomanoel

        Matéria do G1 de 2015:
        “Segundo a assessoria, o preço do metro quadrado de asfalto em Campo Grande em média é de R$17,50 e o custo da tonelada de massa asfáltica é de R$204,33.”.

    • Moshe Mauricio Marques

      Fiz uma pesquisa e encontrei um valor base de R$ 10 a R$ 35 pra asfalto simples, 1 pista, sem acostamento, mas pode variar demais dependendo de cada trecho.
      Fico imaginando quanto custaria isto com o CUSTO BRASIL embutido… 🙁

      • Gabriel

        Não consigo entender qual é o propósito de colocar placas solares em um lugar péssimo como estradas. Para fazer manutenção é preciso parar o trânsito e para que elas aguentem o peso dos veículos o preço aumenta absurdamente.
        O custo do asfalto comum foi dito que fica entre 15 e 35 reais por metro quadrado, já o de placas fotovoltaicas comuns fica por volta de 400 a 500 reais (visto em uma pesquisa rápida). O que justifica ser pago 1500 reais por metro quadrado na estrada da reportagem?? Se faltasse espaço no planeta Terra tudo bem, mas não falta.
        Poderiam colocar placas na beira das estradas, por exemplo. Dessa forma, pelo mesmo preço, poderiam ser instaladas 3 vezes mais placas solares.
        Isso é simplesmente para mostrar “inovação”, “progresso”? Me parece um investimento burro.

        • Junior Martins

          Praticamente toda tecnologia começa cara mesmo, e é sua difusão que a barateia. Mas mesmo assim, combinar tecnologias pode ser útil, por exemplo, investimentos em estradas só são úteis se o tempo menor de transporte que produzirem compensar o custo de produção delas. Mas agora digamos que elas consigam gerar uma economia com base na produção de energia, ou talvez chegar a um ideal custo zero antes de precisarem ser substituídas, é um enorme passo sob essa óptica! Também dá pra considerar a economia na distribuição de energia, que gera desperdícios relacionados à distância e cabeamento.
          E cuidado, mas dizer que não falta espaço na Terra é meio falacioso. Esse espaço não tem um custo zero nem para o empreendedor, que precisa investir em infraestrutura, nem para o planeta, que perde mais e mais de área verde.
          Apesar disso, acho válido o “investimento burro”, a tecnologia de energia solar está longe de um pico de eficiência, e ainda pode haver muitos telhados na China (ou em qualquer outro lugar) que podem servir de base para a ampliação dessa tecnologia antes de justificar o uso de algo tão caro em tão grande escala.

  • Kodos Otros

    [modo vira lata on] Bom, ainda saiu muito mais barato que nossos asfaltos que nao valem nada e custam 3x mais (no minimo) [modo vira lata off]

  • Fabrício Roque

    Como que é feita a limpeza dessa estrada?

    • Nicolas Gleiser

      se essa bagaça aguenta caminhão por cima e o clima, não deve ser um processo de limpeza que vai zoar a bagaça

      • Fabrício Roque

        Eu perguntei mais pra saber a frequencia mesmo. O que deve acumular de sujeira e borracha.. deve obstruir os paineis bem rapido.

        • Nicolas Gleiser

          aaaa sim, realmente deve ser mais frequente

  • “Asfalto translúcido que aguenta 10x a pressão do asfalto comum”.
    Caraca, isso por si só já é uma inovação enorme.

    • Gato Branco

      Vidro líquido ou silicato. Já existe há algumas décadas e é utilizado em acabamentos de pisos industriais com certa frequência, justamente para endurecer o piso.

  • Molinex

    Acho curioso…
    Uma super estrada tecnologica solar, geradora de energia, para o futuro, enquanto a molecadinha não pode usar seus deepins para navegar livremente pela internet e fazer parte do mundo com uma conta no facebook…

    • Não poder usar o FB, pode ser uma coisa muito boa, dependendo do ponto de vista.

      • Molinex

        Sim…
        E 90% dos chineses concordam com você…
        Isso é o mais curioso, 90% apoia o fato do governo barrar esses serviços

  • Jack Silsan

    A China também tá construindo umas ilhas por aí. https://youtu.be/WYL4ov4mJ4o

    • Git Gud

      Tem gente reclamando da Coreia do Norte mas a China é um potencial perigo muito maior.

      • Jose X.

        perigo pra quem ?

        • Git Gud

          Para toda a asia.

      • Alexandre Roberto

        o programa de misseis da coreia do norte foi o melhor “investimento stealth” q o exercito chines fez….todo mubso de olho no gordinho do pastel de flango e os chineses vao ampliando seus limites maritimos

  • Mago Erudito®

    O custo da estrada solar é alto: cerca de 3.000 yuan (R$ 1.500) por metro quadrado, significativamente maior do que o asfalto comum.

    Pelo menos lá eles sabem o valor aqui no Brasil com a farra dos aditivos é impossível saber quanto uma obra vai custar!

  • Mesac Vitor

    Daqui a algum tempo esses investimentos que são considerados altos não será nada comparado ao grande benefício que proporcionarão a corrida por energia está aí só aqui no Brasil que não existe e infelizmente que isso nunca vai acontecer porquê nem estradas de qualidade com asfalto comum, aqui no Brasil nunca teremos esse tipo de inovação porque algum político tem que ganhar dinheiro com o setor elétrico e demais setores de infraestrutura já sucateados

  • Enquanto isto no Brasil as inovações são maiores, o tempo passa e o padrão de crescimento mínimo que todo país consegue (até os mais emergentes), no Brasil é full inversão, estamos em regresso máximo, funk putaria em alta e gente votando com o ânus nas eleições.
    Me pergunto até agora, estou realmente parado no tempo, porque diabos teve o Rio +20 full ecologia, ONU, mamãe eu amo plantas e etc, se sequer reduziram o preço do álcool que é o combustível menos poluente?
    BRs… uma raça, uma espécie, um novo tempo, ONDE MORAM? COMO VOTAM PELO RETO? COMO CONSOMEM MÍDIA ABERTA TENDENCIOSA?
    —-> HOJE, NO GLOBO REPORTER!

  • Profeta Kurumim

    Ora não há o que espantar quanto ao custo; basta lembrar que os primeiros super computadores eram verdadeiros edifícios, cujo custos aos poucos foram sendo amortizados com o desenvolvimento de novas tecnologias “planejadas” por eles. A China, meu pais, dá um exemplo para o Brasil, isto é, enquanto aqui os políticos roubam o dinheiro destinado às pesquisas, lá eles aplicam pensando no “beneficio do povo”…

    • Maxwel De Oliveira Figueiredo

      Benefício do povo?? – quase isso, lembrando que a China tem seus problemas …

  • Alguns países estão fazendo ou já fizeram testes com estradas solares, mas investir num sistema fotovoltaico não otimizado [obs. 1] faz com que o retorno do investimento demore mais que as placas solares comuns. Com a redução do custo dos painéis, talvez seja realmente vantajoso colocá-los debaixo da via, fora do alcance de espertos e intempéries. Deixa-se a saber como planejam fazer a manutenção dos painéis se houver algum defeito, me parece que irá complicar o processo de engenharia, construção e manutenção das estradas. A vantagem é ter todas as estradas gerando energia, distribuindo a geração, mas as desvantagens a esse ponto são tantas, que talvez seja melhor enquanto não desenvolvermos mais as tecnologias para estradas solares, sendo o governo de qualquer país, incentivar a instalação de painéis solares nos telhados das casas e escritórios.
    Como humanidade, só avançamos tentando coisas novas, então eu desejo sucesso aos governos e interessados em colocar a ideia para frente, apesar dos riscos.
    Obs. 1: As melhores implementações de sistemas fotovoltaicos move os painéis como girassóis (que se movem em direção dos raios solares), a fim ter a maior captação possível, porque o sol só incide com um ângulo reto (90º) sobre o solo durante o período do meio-dia, e numa estrada que tem a função primordial de servir de caminho para veículos e afins, a eficiência da captação é drasticamente reduzida, além de existirem outros aspectos que pioram a eficiência da geração solar, como esse concreto transparente, sem contar com as outras condições que já existem e dificultam a captação dos fótons em sistemas de geração solares, como nuvens, clima, entre outros.
    Solar freaking roadways!!

  • Bad Vibes

    Ainda bem que eles estão perdendo tempo e dinheiro com essas besteiras, pois quando resolverem investir em projetos que realmente funcionam vão praticamente dominar o mundo.

  • Bruno Quintela

    Custo da mão de obra,
    China 2km saiu pelo equivalente a R$ 8,5 milhões.
    França 1 km O projeto custou € 5 milhões (cerca de R$ 17,5 milhões)

    Vamos frear um pouco essa “evolução” e começar a pagar melhor o povo.