Início » Negócios » Rede de fast food menciona blockchain e ações disparam 50%

Rede de fast food menciona blockchain e ações disparam 50%

Por
1 ano e meio atrás

Recentemente, notamos por aqui um fenômeno curioso: algumas empresas colocam “crypto” e “blockchain” no nome e suas ações disparam — mesmo quando elas nem mudam de ramo. É o caso, por exemplo, da Long Island Iced Tea Company, que virou Long Blockchain mas ainda vende suco e chá gelado.

Desta vez, a empresa de restaurantes Chanticleer Holdings viu suas ações subirem 50% depois de anunciar que vai transferir seus programas de recompensa para o blockchain.

BGR The Burger Joint, empresa da Chanticleer Holdings

“Todas as refeições feitas em qualquer marca da Chanticleer Holdings irão acumular moedas para o consumidor, que poderão ser usadas em refeições futuras ou negociadas com outros consumidores”, explica a empresa em comunicado. Isso foi o bastante para as ações BURG dispararem quase 50%.

“Comer um hambúrguer agora é uma maneira de minerar criptomoedas”, diz Dennis Becker, CEO da Mobivity, em comunicado. Esta é a empresa que ajudará a Chanticleer a migrar para o blockchain até o final de 2018.

Como explicamos por aqui, o blockchain é uma rede que funciona com blocos encadeados. Ela tem recursos de segurança para validar transações, que são registradas em um livro-razão (ledger) distribuído.

Basicamente, os usuários poderão transferir seus pontos de recompensa entre vários restaurantes, em vez de ficarem presos a um programa específico. Isso usará a tecnologia da Mobivity, que ajudará os restaurantes a acompanhar as preferências dos seus clientes.

“Cada marca tem dados sobre suas interações com um cliente, mas o cliente tem dados sobre TODAS as suas transações com todas as marcas, armazenadas no ledger distribuído da tecnologia blockchain”, diz a empresa em comunicado.

A Chanticleer é dona de várias marcas relacionadas a hambúrgueres nos EUA, incluindo Little Big Burger, American Burger Co. e BGR The Burger Joint. Ela também opera nove restaurantes da rede Hooters, que não vão adotar o blockchain.

Com informações: Ars Technica, Mashable.

Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.