Nos Estados Unidos, a FCC (Comissão Federal de Comunicações), órgão equivalente à nossa Anatel, derrubou as regras que garantiam a neutralidade de rede, princípio que proíbe as operadoras de darem tratamento diferenciado para certos serviços ou cobrar mais para acessar determinados conteúdos. O mesmo poderia ocorrer no Brasil, mas o governo se posicionou contra a medida.

Em entrevista à Folha, o ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, declara que tanto ele quanto o governo são contra o fim da neutralidade de rede. É uma posição diferente das operadoras brasileiras, que querem fazer pressão para modificar o decreto que regulamenta o Marco Civil da Internet.

Por aqui, a neutralidade de rede é garantida pelo art. 9º da lei 12.965/2014, que diz: “O responsável pela transmissão, comutação ou roteamento tem o dever de tratar de forma isonômica quaisquer pacotes de dados, sem distinção por conteúdo, origem e destino, serviço, terminal ou aplicação”. Posteriormente, o decreto 8.771/2016, assinado pela presidente Dilma Rousseff, regulamentou a lei.

Sem a neutralidade de rede, as operadoras poderiam bloquear certos sites dependendo do plano de internet contratado; ou mesmo diminuir a velocidade de alguns serviços, como YouTube, Netflix e Spotify, para priorizar suas próprias soluções de streaming de música ou vídeo, o que poderia trazer consequências sérias para a concorrência.

Ainda segundo Kassab, a questão não deverá ser discutida tão cedo no Brasil: “Nós temos que ainda expandir muito o uso da banda larga. […] Não está na hora de discutir a neutralidade ou não. Está na hora de expandir a internet. Isso [fim da neutralidade] ficará para as próximas gerações”.

O argumento das operadoras brasileiras, além da decisão favorável da FCC, era que seria preciso priorizar determinados conteúdos na internet das coisas, já que a tecnologia será utilizada para aplicações críticas, como monitoramento de trânsito ou realização de cirurgias.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Henrique Dias
Não se iludam meus caros, este discurso vale apenas para este ano, que é ano de eleição, passada esta fase, os lobistas das teles virão com muito dinheiro e influência e conseguiram derrubar a neutralidade da rede....
Rolando
Só um exemplo de como essa lei é uma porcaria, quando implementaram ela no Brasil as operadoras de telefonia foram proibidas de dar Whatsapp grátis para os clientes e o governo teve que passar por cima da lei da neutralidade e permitir por causa da pressão púbica. Neutralidade da internet é só uma safadagem para ajudar as grandes empresas e diminuir a competição, não é a toa que são as grandes empresas como Facebook, Google e outras que apoiam essa pilantragem. Essa lei aumenta os custos dos provedores e diminui a competitividade.
Jose X.
sempre
Matheus Alexandre
É ano de eleição, minha gente!
Edson Veloso Murta Júnior
Tipo banda larga (FIXA) você contrata 30 dias por 24 horas. Só que antes dos serviços de streaming a grande maioria dos users pagavam mais não usavam. Quem utilizava cada gota da banda era o doidão que deixava o pc ligado o dia todo no torrent maroto . Então os provedores não tinham essa banda toda. De madrugada o download fica mais rápido, pois mesmo o número de user com o pc ligado no torrent maroto, ter aumentando o consumo de banda ainda é menor, pois o horário de pico são das 18:00 ás 22::00, quando todos chegam em casa e vão dar uma olhada no YOUTUBE e ver um filme ou série na NETFLIX . Vamos ao exemplo Em uma rua têm 30 residências e todos supostamente contrataram 10Mb/s. 30casas x 10Mb/s = 300Mb/s agora imagina um bairro, ou até mesmo ppacotes de 30Mb/s. Não existe essa banda toda, nem utilizando fibra. As operadoras usam QOS para controlar essa banda e nos momentos de pico a rede fica lenta para todos. Mas com os streamings a gambiarra fica evidente pois o video vai pausar e carregar. Para resolver tiveram uma ideia brilhante, remove a neutralidade da rede e o QOS come solto, dando prioridade para NETFLIX e YOUTUBE, pois os users vão reclamar da internet se video no YOUTUBE travar e se a série no NETFLIX der uma engasgada. Outros serviços que consomem muita banda, mas não é de gosto da grande maioria, o QOS come solto, limitando a banda principalmente do torrent maroto. Ufa!! agora você sacou que o problema é exatamente a banda que foi até citado em um dos episódio de A PARADA É PEGAR FOGO -->HALT AND CATCH FIRE. Obs: ao invés de maroto leia eztv kkkkk.
Edson Veloso Murta Júnior
Desculpa! Falha minha.
Flávio Henrique
Gostei do bojack rsrsrs sou fã
Ed. Blake
O que realmente aconteceu: O pacote de 'cafézinhos' oferecido até o momento não foi satisfatório. Operadoras precisam aumentar suas 'apostas'.
Jose X.
gente, que coisa, o estado tem que se meter em tudo né ? deixa o mercado livre que ele se auto-regula /s
Kodos Otros
E a culpa vai ser do PT.
Kodos Otros
Mas segundo o G1zmodo: "Ministro das comunicações afirma que governo lutará contra a neutralidade de rede no Brasil"
G. Croft
Nos EUA a banda larga é dominada por Comcast, AT&T, Time Warner (e Time Warner é dona da AT&T) e Verizon. Outras empresas tem um espaço muito restrito e a maior parte dos EUA não é de interesse econômico pras grandes. É normal ter em muitos lugares só uma empresa fornecendo banda larga. E isso a velocidades ridículas. Conheço gente no Texas que só tem 5 mega disponível e com pacotes de dados restrito, sendo que a cada 1 GB ultrapassado da cota, são US$ 10 a mais na conta. E não tem concorrência que dê jeito nessa situação, pois o interesse econômico está nos grandes centros, onde há certeza de ganhos a curto e médio prazo, fazendo os investidores ficarem felizes.
CtbaBr©
Só não concordo com o povo ser ignorante, talvez muito passivo, mas não ignorante! O problema é que esse "jogo" tem cartas marcada, tipo se der cara eu ganho, se der coroa você perde, ou seja, nós nunca ganharemos com as regras deles!
Tiago Celestino
Pois é.
Carlos Taylor
Não estou apoiando a fim da neutralidade, mas quero ver como vai ser. Tipo, se um grande fornecedor de internet nos EUA limitar o Youtube, por exemplo, outro menor vai acabar conseguindo mais clientes tendo o serviço ilimitado. Quem oferecer o melhor serviço, ganha. Eu sei que existe algo chamado cartel, mas não sei como é a parada dos provedores de lá. Eu sei que tem uns que domina,m em certos estados, mas não sei se existem menores que oferecem (ou podem oferecer) um bom serviço também. Mas de qualquer forma caso alguém bloqueie ou limite qualquer serviço que seja vai da espaço pra outro vim e tomar os seus clientes. Aqui no Brasil com certeza aconteceria de todos limitariam Netflix, Youtube etc, ofereceriam um pacote a mais (bem caro, obviamente) pra ter o serviço ilimitado ou de acordo com seu plano. Todas fariam isso e as menores mesmo que ofereça o serviço ilimitado não tem ou teriam suporte a uma internet decente e ia ficar nessa merda pra nós (como de costume). Se lá nos EUA for assim também, é uma merda mesmo e pronto! (desculpa o texto rsrs)
Exibir mais comentários