É claro que a CES 2018 tem espaço para veículos que dispensam motoristas. Decidida a ser um nome forte no segmento, a Nvidia escolheu o evento para apresentar oficialmente o Xavier, processador criado especificamente para ser o cérebro de carros autônomos. Mais de US$ 2 bilhões foram gastos no projeto.

Nvidia Xavier

A nova tecnologia de condução autônoma de veículos da Nvidia é dividida em três plataformas principais:

  • Drive AV: sistema que usa as informações dos diversos sensores do veículo para tomar decisões;
  • Drive AR: suporta realidade aumentada para transmitir dados em tempo real ao usuário quando necessário, podendo exibir no para-brisa informações como velocidade e distância percorrida, por exemplo;
  • Driver IX: usa sensores e algoritmos para identificar o usuário, compreender o contexto da situação e responder de maneira correspondente para criar uma experiência personalizada.

Pois bem, o Xavier será o alicerce das três plataformas. Todas são baseadas em inteligência artificial, portanto, precisam de bastante capacidade de processamento. Só para você ter noção, o Driver IX pode, entre diversas outras funções, perceber que o usuário está se aproximando do carro carregando sacolas e abrir o porta-malas automaticamente.

Pelo menos nos números, o Xavier corresponde às expectativas. O chip tem 9 bilhões de transistores, oito núcleos, GPU Volta de 512 núcleos e consumo de apenas 30 W. De acordo com a Nvidia, o dispositivo é capaz de processar vídeos com 8K e HDR, e tem aceleradores para aprendizagem profunda e visão computacional. A capacidade máxima de processamento é estimada em 30 teraflops.

Jensen Huang, CEO da Nvidia

Jensen Huang, CEO da Nvidia

Ainda de acordo com a companhia, o Xavier pode equipar carros com autonomia nos níveis 4 (autonomia alta) e 5 (autonomia completa, dispensando totalmente o motorista). Não é à toa que o chip estará presente no Drive PX Pegasus, supercomputador compacto desenvolvido para carros totalmente autônomos.

Mas, graças à integração com as plataformas Driver AR e Driver IX, o Xavier também pode atuar como “copiloto”, dando informações sobre o trânsito ou monitorando o motorista para prevenir distrações ou sonolência (um choque para acordar o sujeito ia ser bem interessante, não?).

Os testes começam neste ano. A Nvidia fechou parcerias com dezenas de empresas para fazer avaliações abrangentes. Entre os parceiros mais recentes estão Volkswagen e Uber.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André Mattos
serve para mineirar bitcoins?
Trovalds
nVidia não abre especificações de nada que cria.
Maicon Bruisma
Uma coisa não dá pra negar, é potência bruta. Esperando quando smartphones alcançarão esse nível de poder
Renan
Informações no para-brisas ajudariam demais a manter a atenção no trânsito, especialmente com rotas do GPS
Felipe Xavier
Curti o nome adotado. hahahhaha https://uploads.disquscdn.com/images/2df2bc5e8876b7a993faee82db42a712b161a944714811d862f66b61757bf611.jpg
Ed. Blake
Enquanto os carros autonomos não chegam, eu fico na torcida mesmo é para o Comma.ai do George Hotz dê certo e se popularize. Uma peçinha de hardware barata que te permite ler, analisar e diagnosticar vários dados do seu carro com base nos sensores já existentes vai salvar um pessoal mais leigo de mecânicos picaretas, dentre outras funções bem mais legais.
Maico Andrade
Agora eu buguei em relação à qual personalidade vc comentou, fake ou a rl! =P
Highlander
Como assim? Você poderia explicar um pouco mais o seu ponto de vista?
Diogo
Prevejo piadinhas com psicografias....
Leandro Nascimento
Podiam testar isso nos Teslas... iam virar autobots os Model da vida kkk
Tenente Figueiredo
Aqui a nvidia já foi deixada de lado. A próxima será a intel.
Trovalds
nVidia não me apetece. Você adota e fica refém deles pra tudo.