Início » Gadgets » Pilha AA promete recarregar pelo ar e durar para sempre

Pilha AA promete recarregar pelo ar e durar para sempre

Por
11/01/2018 às 14h38
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Imagine um mundo em que você não precise mais trocar as pilhas AA do controle remoto, do mouse, do teclado e qualquer outro gadget. Talvez esse cenário não esteja tão distante assim: a Ossia, empresa que desenvolve tecnologias de energia wireless, anunciou na CES 2018 uma pilha com antenas que capturam energia vinda do ar.

A Cota Forever Battery (um nome bem sugestivo) é uma alternativa às pilhas alcalinas e recarregáveis. Ela tem o formato de uma pilha AA, mas possui antenas escondidas que recebem sinais concentrados de radiofrequência de um transmissor, transformando-os em energia usável.

A tecnologia de energia wireless da Ossia não é nova, mas o fato de a empresa tê-la colocado em uma pilha AA abre bastante o leque de dispositivos compatíveis. Até então, era possível recarregar um smartphone, por exemplo, colocando uma capinha espessa e pesada com antenas; agora, qualquer eletrônico “burro” poderá adquirir a mesma capacidade.

A Ossia afirma que o Cota “pode energizar várias Forever Batteries em movimento, à distância, fora do campo de visão [do transmissor]”. Diz ainda que a pilha é “segura e não interfere com outras tecnologias sem fio”. E, como a Forever Battery pode ser controlada pela internet, os usuários conseguiriam comandar sistemas de segurança, fechaduras e outros dispositivos da internet das coisas à distância.

O produto ainda não está finalizado e a empresa não informa quando ou por quanto as pilhas serão vendidas no mercado. Ainda não temos vários detalhes importantes, como, por exemplo, quanto o “roteador” wireless custa, ou mesmo qual é a eficiência da tecnologia — não adianta consumir a energia de uma geladeira só para alimentar um controle remoto.

Mas o futuro pode ser bem legal.

Com informações: Gizmodo, PR Newswire.

Mais sobre: , , ,
  • FABIO NEVES

    Ainda não estamos preparados para que alguma coisa dure para sempre.
    Aliás: Nós sim! As empresas, não.

    Lampadas de Led, que teoricamente poderiam durar uns 25/30 anos, estão queimando em 1 ou 2 anos, dependendo da “qualidade” do fabricante.

    Duvido muito que vejamos nesta encarnação algo do tipo.

    • Alberto Prado

      Isso é um pouco por culpa nossa mesmo. Existem coisas que duram muito, mais do que o normal. Mas ela são sempre mais caras de serem produzidas. E nós sempre queremos o mais barato. Aí já viu né.
      Só pra exemplifica, existe uma lâmpada incandescente que já está acesa a mais de 100 anos.

      • Fábio

        Concordo em partes.
        A fabricação de lampadas de diodo são relativamente baratas.
        Com a moda de “lampadas de Led”, jogaram o valor lá em cima e a durabilidade lá em baixo.
        Ninguém fabricará uma lampada perpétua.

      • Alexandre Roberto

        La pra 94 ou 95 vi as 1 pela 1a vez uma lampadas economicas dessas que usamos hj em dia acabaram por tomar lugar das incandescentes em nossas casas..uma osram que custou bem carinho por ser a ultima novidade
        Mudei de residencia no final de 99, e a mesma foi junto comigo e queimou em 2001…foram 5 ou 6 anos de uso

        Hoje eu compro uma compacta dessas, que e o padrao atual, e, independente do fabricante, nao chega a 2 anos

    • Gustavo Hofer

      se for aquelas lâmpadas de led do tipo bulbo mais conhecidas como bolinha não dura mesmo não, mas as lâmpadas do tipo tubular ou e as conhecidas como tipo milho (que você enxerga os leds) duram mais e parecem que iluminam melhor o ambiente

    • Luciano#SDV#TIMBETA

      O LEd nao queima, o que queima é a parte eletronica.

      • Felipe Silva

        diz isso pra minhas lampadas de led que queimaram e eu abri pra ver o motivo e tinha leds queimados.

        a combinação de uma tensão alta mais um péssimo sistema de dissipação fazem os leds queimarem em 1 a 2 anos.

    • Diogo Afonço

      obsolescência programada! , simples assim

    • Leu minha mente…

    • Mas os LEDs duram… O que queima é o circuito.
      Mas nesse caso a carga da bateria duraria pra sempre porque ela seria um receptor da energia enviada por um roteador especial, a pilha e o roteador continuariam sujeitos a deterioração.

  • Lucas Lopes

    Achei que não ia comentar do controle remoto, que aliás não vejo outra aplicação hoje em dia.

  • Serviria bem pro meu controle de Xbox hehe

  • Arthur Dantas

    Pra sempre é muito tempo.

  • Programador Front-End

    ta com uma cara de “coisas da CES 2018 que não viraram realidade”. Espero estar errado, mas não to botando fé nesse negócio não

  • Errr … para sempre é impossível. Qualquer material se desgasta com o tempo/uso. Mínimo conhecimento de física e química já deixam isso bem claro.

    • Felipe Silva

      baterias se durarem 10 anos com carga e em uso eu já considero para sempre, kkkkkkkk

  • Certamente é algo desenvolvido para aplicações de ultra-baixo consumo energético… No máximo um controle remoto de TV. Se for algo que demande mais energia, vai ser preciso – no mínimo – colocar um “transmissor” de energia em algum ponto próximo.

  • Git Gud

    Fico em duvida quanto a velocidade de recarga, se eu usar em um mouse ou em um controle de xbox se isso conseguiria manter uma recarga maior que o consumo.

    • Felipe Silva

      mouse bom não deve ter problema, aqui elas duram de 6 meses a 1 ano nos mouses, então mesmo que ela leve uma semana para carregar completamente nunca vai ficar sem carga.

      Controle do xbox já tem uma exigência maior, então teria de ver se tu joga todos os dias e por quantas horas e quanto tempo ela leva pra carregar. Mas se ela levar 1 dias pra carregar e durar 1 dia de jogatina, com 2 controles para ir alternando nunca vai ficar sem bateria.

  • Alessandro

    Não consigo ver a utilidade de ter conectividade com a Internet, e sim, isso não vai vender pq mesmo que funcione para sempre, duvido muito que você va sentir a necessidade disso num controle remoto, talvez drones usem melhor, pois seriam câmeras voadoras de segurança com autonomia bastante alta, claro depende da distância e da potência de carregamento