Início » Internet » Vai ficar mais difícil ganhar dinheiro com o YouTube

Vai ficar mais difícil ganhar dinheiro com o YouTube

Emerson Alecrim Por

A decisão de remunerar apenas canais que tenham 10 mil visualizações ou mais foi considerada dura, mas não há nada que não possa piorar. A partir de 20 de fevereiro, o Google aumentará as condições: só poderão fazer do programa de parcerias do YouTube os canais que tiverem pelo menos 4 mil horas de visualizações nos últimos 12 meses e mínimo de mil inscritos.

O YouTube Partner Program, como é chamado, permite ao canal gerar receita com anúncios que são veiculados nos vídeos ou com assinaturas do YouTube Red. Os requisitos mais rígidos passarão a valer tanto para canais novos quanto para aqueles que já fazem parte do programa. Isso significa que canais que conseguem alguma remuneração atualmente, mas não atendem aos números mínimos deverão ter a veiculação de anúncios interrompida.

2017 foi um ano difícil para o YouTube por conta da proliferação de vídeos classificados como infantis, mas que traziam conteúdo erótico ou violento, e pela disseminação de vídeos extremistas, só para dar alguns exemplos. O serviço chegou a sofrer um boicote de mais de 250 grandes anunciantes preocupados com a associação de suas marcas a conteúdo violento ou preconceituoso.

De acordo com o Google, é necessário garantir que os anúncios vejam veiculados junto a conteúdos que reflitam os valores dos anunciantes. Daí a rigidez das condições. “Em vez de basear a aceitação apenas nas visualizações, queremos levar em conta o tamanho do canal, o envolvimento do público e o comportamento do criador para determinar a elegibilidade para anúncios”, diz o comunicado oficial.

YouTube triste

Até certo ponto, a decisão condiz com a decisão do YouTube de aumentar a equipe de revisores em 2018 para remover conteúdo que viola as diretrizes do serviço. O problema é que a quantidade de vídeos da plataforma é tão grande que não dá para moderar tudo. No entendimento do Google, os novos critérios diminuirão a incidência de anúncios em vídeos que, mesmo tendo poucos acessos, podem associar marcas a conteúdo nocivo.

Canais com grande número de inscritos que estão habilitados para o Google Preferred — plataforma com anúncios mais rentáveis — também estão na mira. Depois que o youtuber Logan Paul publicou o vídeo de uma pessoa morta em Aokigahara, a “floresta dos suicídios” do Japão, o YouTube decidiu monitorar canais populares para impedir que anúncios apareçam em vídeos ofensivos.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

James Silva
qualquer um que tentar concorrência com youtube a Google compra
Qaiq Alves
"(...) só poderão fazer [parte] do programa de parcerias (...)."
Sergio Augusto
Preciso de ajuda imparcial, por favor avaliem https://m.youtube.com/user/SergioBrSamp
Carllo Carlos
Poxa tava tão empolgado com meus 73 inscritos kkkk!
JarbasLopesPublicidade
Li os comentários e vi que tem alguns especialistas aqui, pessoas muito bem informadas. Acho que um substituto do Youtube é apenas questão de (pouco) tempo. Quando menos se espera, aparece um novo produto incrível que aniquila a plataforma anterior quase que instantaneamente. Hoje é assim, vídeos com mais de 5 minutos são uma eternidade e quem assiste usa e abusa do FF, ou seja, assiste apenas o início e o fim do vídeo. Propagandas são fechadas assim que se iniciam ou permitem seu fechamento. Sem conteúdo de qualidade não tem jeito. Se o Youtube cochilar, se achando, já era.
Breno
A intenção é boa, mas isto vai gerar um outro problema: venda de inscritos fakes. Tá aí uma boa forma de ganhar dinheiro com o YouTube.
Felipe Coutinho
Que coisa hein ?
Irineu Migotto
Depois da Magnífica Vitória de Trump... a Trindade Social resolveram tomar medidas de censura cautelares para não levarem outro bypass novamente... POWER TO THE PEOPLE...
Gaius Baltar
E essa é uma das razões para o You Tube nunca ter dado lucro.
Gaius Baltar
E o dinheiro vem de onde?
Joaomanoel
Achei muito válido, filtra aqueles canais fake ou lixos que criam do nada. Os requisitos aí são tranquilaços. Qualquer outro serviço q venha a concorrer com o Yt teria q fazer algo igual se não viraria outro poço de porcaria igual ocorreu com o serviço do Google recentemente.
TunAV
Esse tempo já passou, amigo. Usaram os youtubers de garagem para alavancar a popularidade do serviço e agora estão redirecionando o foco para a produção profissional de vídeos. A meta do YouTube é ser o Netflix do Google.
Uriel Dos Santos Souza
Nuteleiros e troladores não concordam kkk
Uriel Dos Santos Souza
Mas não era essa a ideia do youtube. Vídeos caseiros com edição porca ou sem edição!
Lairton Gomes
os de cozinha são daora. Aprendi a fazer pipoca no microondas sem oleo
Exibir mais comentários