A Apple confirmou nesta semana que vai repatriar cerca de US$ 250 bilhões que possui fora dos Estados Unidos. Como resultado dessa operação, a companhia terá que pagar US$ 38 bilhões ao governo norte-americano. É uma quantia muita alta, mas poderia ser pior: o presidente Donald Trump aprovou no mês passado uma lei que reduz os impostos sobre dinheiro vindo do exterior.

Se a legislação tributária anterior ainda estivesse valendo, a Apple teria que pagar 35% de imposto sobre o valor transferido do exterior para os Estados Unidos. Isso faria o governo ficar com quase US$ 90 bilhões dos US$ 250 bilhões a serem movimentados.

Não é que o tesouro esteja disposto a arrecadar menos ou venha, assumidamente, tentando favorecer grandes companhias. A nova lei é uma estratégia que tenta evitar que empresas norte-americanas mantenham dinheiro no exterior para não pagar imposto nos Estados Unidos.

A antiga legislação tributária abria brechas para que as companhias só pagassem imposto de renda sobre ganhos em outros países quando o dinheiro entrasse nos Estados Unidos. Por conta disso, muitas empresas optavam por manter os ganhos no exterior. Um cálculo recente do governo estima que esse tipo de manobra fez empresas norte-americanas deixarem U$ 3,1 trilhões em outros países.

Embora a Apple não seja a única a adotar essa estratégia, as atenções caem sobre ela porque a companhia tem um valor de mercado elevadíssimo e foi, em novembro de 2017, uma das protagonistas do Paradise Papers, uma impressionante investigação que mostrou como diversas empresas utilizaram paraísos fiscais para escapar de impostos.

Apple - Campus

Com a nova lei, o imposto a ser pago é de 15,5%. É uma porcentagem bem mais baixa que a anterior, mas ainda expressiva. Não há escolha, porém: agora, o imposto tem que ser pago mesmo que o dinheiro permaneça no exterior.

Como que para mostrar que está determinada a investir na economia dos Estados Unidos mesmo com as elevadas obrigações fiscais, a Apple também anunciou o plano de abrir outro campus no país, este focado no suporte aos usuários, inicialmente.

A localização ainda vai ser revelada. A expectativa é a de os investimentos, na ordem de US$ 30 bilhões, gerem 20 mil empregos nos próximos cinco anos.

Com informações: Bloomberg.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rafael
Você quer dizer que é vitória do Trump OU dizer que é vitória das empresas para pagar menos impostos. Depende do lado que você prefere.
Felipe Liʍa

FCA e o nome da fusão de FIAT-Crysler.

Mas os asiáticos ja estao de olho em adquirir eles.

felipelsp
FCA e o nome da fusão de FIAT-Crysler. Mas os asiáticos ja estao de olho em adquirir eles.
Felipe Liʍa

GM

"GM lucrou US$ 139 milhões com a participação de 49% que ainda detém na GMAC. O prejuízo da divisão de veículos norte-americana da GM caiu acentuadamente para US$ 39 milhões. Um ano antes a unidade havia perdido US$ 3,95 bilhões no mesmo período."

(Estadão - Economia)

***

FORD

"A Ford Motor confirmou nesta quinta-feira uma segunda morte em uma camionete antiga causada por um inflador de airbag defeituoso produzido pela japonesa Takata. A montadora pediu a 2.900 donos dos veículosna América do Norte que parem de dirigir imediatamente até conseguirem peças de reposição."

(VEJA - REUTERS)

***

JEEP

"A investida de grupos chineses para comprar a Fiat-Chrysler Automobiles (FCA) pode gerar uma reviravolta no mercado automotivo mundial, estimulando o retorno das conversas para a fusão entre a FCA e a General Motors (GM). O negócio agradaria inclusive o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, resistente ao avanço dos chineses no setor. Em 2015, a General Motors chegou a ser cotada como parceira pela FCA, em uma possível fusão, mas disse não"

(O TEMPO)

felipelsp
GM "GM lucrou US$ 139 milhões com a participação de 49% que ainda detém na GMAC. O prejuízo da divisão de veículos norte-americana da GM caiu acentuadamente para US$ 39 milhões. Um ano antes a unidade havia perdido US$ 3,95 bilhões no mesmo período." (Estadão - Economia) *** FORD "A Ford Motor confirmou nesta quinta-feira uma segunda morte em uma camionete antiga causada por um inflador de airbag defeituoso produzido pela japonesa Takata. A montadora pediu a 2.900 donos dos veículosna América do Norte que parem de dirigir imediatamente até conseguirem peças de reposição." (VEJA - REUTERS) *** JEEP "A investida de grupos chineses para comprar a Fiat-Chrysler Automobiles (FCA) pode gerar uma reviravolta no mercado automotivo mundial, estimulando o retorno das conversas para a fusão entre a FCA e a General Motors (GM). O negócio agradaria inclusive o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, resistente ao avanço dos chineses no setor. Em 2015, a General Motors chegou a ser cotada como parceira pela FCA, em uma possível fusão, mas disse não" (O TEMPO)
ʞǝʌǝɥs

que coisa hein, esses países comunistas ficam explorando os coitados dos empresários

Jose X.
que coisa hein, esses países comunistas ficam explorando os coitados dos empresários
Alexandre Roberto
So um exemplo...quem compra Fiat, Alfa Romeo, Ferrari, Maserati, Lancia, Dodge e Jeep ta enchendo o cofrinho da crysler
Alexandre Roberto
Producao nos EUA sim....mas receita com suas marcas globais nao..andam muito bem das pernas Lembre que sob o guarda chuva da ford, chrysler e GM tem muitas outras marcas que foram adquirindo com os anos
Cobalto
Engraçado você mandar ler quando obviamente precisa seguir a própria dica.
Renato Oliveira
Transferido... No parágrafo ele escreveu que seria transferido. Leia . Leia . Leia.
Alexandre Roberto
Emerson, na verdade e aquela historia de uns pagarem pelo erro dos outros A maioria absoluta da "midia oficial" usa de eufenismos e apresenta a noticia dando um jeitinho de direcionar a compreensao do leitor pro lado que eles acreditam....e isso e pros 2 lados, apesar de ser mais descarado quando pro "west side"...e o pessoal ja anda vacinado contra isso e naturalmente ja anda "meio armado" com tudo. O tecnoblog, via de regra, ja foge desse lugar comum e ta mais alinhado a funcao da imprensa que eu acho q e a correta, que e informar sem firula e ponto...mas nao e imune a errar ou ser "mal interpretado" por quem lê
Daniel Ribeiro
Mais ou menos né... GM, Jeep e Ford ainda vendem muito bem, tanto dentro quanto fora dos EUA. Ainda é um dos segmentos de mercado mais importantes para a economia deles.
RodrigoCard
enquanto isso aqui no BR, tão isentando 1 trilhão em imposto pra salvar o couro velho do Temer, enquanto querem cortar naonde não devem fazendo propaganda enganosa. É uma beleza esse governinho.
Felipe Liʍa

Setor automotivo dos EUA "morreu".

Exibir mais comentários