Comprar bitcoin no Brasil é relativamente simples: você faz sua conta em uma corretora especializada, deposita um valor em reais, e adquire a criptomoeda. Para esse processo funcionar, a casa de câmbio precisa ter conta em um dos bancos tradicionais — e eles estão se opondo à prática.

Segundo a Folha de S. Paulo, a corretora Mercado Bitcoin entrou na Justiça para manter sua conta ativa no Santander, que foi encerrada unilateralmente por “desinteresse comercial”.

Foto por Antana/Flickr

Na ação judicial, a Mercado Bitcoin diz que isso é uma “retaliação a um novo mercado que surge… pelo fato de que a comercialização de bitcoins pode diminuir consideravelmente” o lucro do banco.

O Itaú encerrou a conta da corretora em 2015, e manteve sua decisão após venceu um processo no STJ (Superior Tribunal de Justiça); enquanto o Bradesco nem quis abrir uma conta.

Por sua vez, a CoinBR teve contas fechadas no Bradesco, Sicredi, Itaú e Santander. Ela venceu uma ação judicial contra o Itaú em 2016, obrigando-o a manter sua conta ativa; e também processou o Bradesco. “Estamos começando a operar com boleto bancário para resolver”, diz o fundador Rocelo Lopes à Folha.

A Foxbit também passou pelo mesmo problema. No ano passado, ela foi notificada pelo Banco do Brasil de que teria sua conta encerrada. A corretora entrou com ação contra o banco. O BB diz em comunicado que “inicia a reavaliação da manutenção do relacionamento negocial” quando detecta “qualquer tipo de ilícito”.

Aparentemente, os bancos têm medo que parte do dinheiro circulando em bitcoin tenha origem ilícita. Eles podem ser responsabilizados criminalmente caso seus clientes movimentem recursos ilegais.

A pena é proporcional ao volume das operações: ou seja, a multa pode ser muito maior que o retorno obtido em manter as corretoras. Em 2017, o Mercado Bitcoin movimentou R$ 2,5 bilhões; enquanto a Foxbit teve giro de R$ 1 bilhão.

Foto por antana/Flickr

No ano passado, tivemos duas grandes fraudes no Brasil envolvendo criptomoeda. A Polícia Civil desarticulou um esquema envolvendo uma moeda digital falsa chamada Kriptacoin; os estelionatários movimentaram mais de R$ 250 milhões. Por sua vez, a empresa Adsply — que prometia rentabilidade altíssima em bitcoin — pode ter causado mais de R$ 450 milhões em prejuízo.

Este mês, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) proibiu que gestores de fundos de investimento comprem bitcoin, ether e semelhantes. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quer proibir financiamentos de campanha com criptomoedas. E o Banco Central alerta sobre os riscos de investir nelas, incluindo a “possibilidade de perda de todo o capital”.

Os bancos tradicionais talvez se oponham às corretoras de criptomoeda, mas têm interesse no blockchain. Eles farão testes com a tecnologia este ano utilizando dados reais.

Com informações: Folha.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

jonscravit
e como não é obrigação, casos como os que postei acontecem direto... e próprios funcionarios de la ajudam ... mas ai os funcionarios do banco não é obrigação dos bancos né
Veritas
Não, filhote. Falei "Não é obrigação dos bancos saber se o dinheiro é ilícito ou não."
jonscravit
mas vc falou que não tem coisas ilícitas em bancos ué
Porto Velho

Não precisa pagar a taxa pro banco (que na maioria das vezes já não paga), mas precisa pagar um valor absurdo pra alguém com uma mineradora poder confirmar a transação.

Emanuel Schott
Não precisa pagar a taxa pro banco (que na maioria das vezes já não paga), mas precisa pagar um valor absurdo pra alguém com uma mineradora poder confirmar a transação.
G. Croft
Sim, estou certo.
Veritas
O relatório diz que os gestores da instituição descumpriram normas internas ao liberar R$ 2,79 milhões Cara, pelo jeito tu não sabes a diferença entre uma OPERAÇÃO FINANCEIRA ILÍCITA e DINHEIRO ILÍCITO. Dinheiro ilícito é dinheiro advindo de operações criminosas. Operação financeira ilícita é uma transação que não cumpre as regras do BC (Banco Central). Por exemplo: se eu for no Banco do Brasil e pedir um empréstimo para o banco mas não comprovar renda nem apresentar documentos e o banco me liberar a grana, é uma OPERAÇÃO FINANCEIRA ILÍCITA. Agora, se eu for no caixa do banco e depositar 5.000 reais em dinheiro que ganhei com o tráfico de drogas, o BANCO TEM QUE ACEITAR porque ELE NÃO SABE A ORIGEM DO DINHEIRO E NÃO TEM COMO PROVAR QUE ESTE DINHEIRO QUE EU DESEJO DEPOSITAR É PROVEM DO TRÁFICO! Traduzindo: o banco não é uma força policial, investigativa. E nem é esta a função dele. Novamente, para tu tentar entender: o banco tem que cumprir as normas do BC à risca e ponto. Fora disto, as responsabilidades são de outros órgãos.
robsonc
Mais ou menos isso, só que virtual.
robsonc
Você leu a matéria? Foi UM banco em UMA corretora. Já aconteceu antes. Não muda muita coisa ainda.
jonscravit
nenhum banco pode garantir que dinheiro que sai é ilicito né, são todos anjos e honestos joga no google Financiamento para Val Marchiori no Banco do Brasil foi irregular, diz TCU "O relatório diz que os gestores da instituição descumpriram normas internas ao liberar R$ 2,79 milhões para uma empresa da qual ela é sócia." "O Ministério Público Federal em São Paulo (MPF-SP) informou hoje que denunciou Joesley Batista, presidente do conselho de administração da JBS, controlada pela J&F, da qual é presidente, e João Heraldo dos Santos Lima, presidente do Banco Rural, por crime contra o sistema financeiro. Outros executivos da J&F e do Banco Rural também foram denunciado" "Descontados os impostos e taxas da operação, o Banco Rural transferiu R$ 39,650 milhões para a J&F e R$ 39,650 milhões para a Flora. Ainda segundo o MPF, esses recursos teriam sido imediatamente transferidos para a conta da J&F no Banco Original"
jonscravit
comer nota de 2 reais é mais barato
jonscravit
basta criar leis e regras para a nova moeda, mas sabemos oque acontece quando governo cria normas e regras para coisas novas... o foco é arrecadar primeiro
jonscravit
se eu quiser passar meu dinheiro físico para bitcoin hoje sem precisar usar sistema financeiro atual dos bancos? caras do bicoin vão criar bocas de moeda virtual em becos e favelas?
brunocabral
Se fosse o caso de os bancos terem feito algo a pedido do governo, teria que ser todos, mas nem todos aderiram. Foram apenas alguns é em épocas diferentes
William Jacinto Venancio
Eles precisam de bancos para poder fazer transação da moeda convencional para a digital, por exemplo, para o cliente pagar a corretora com um cartão de crédito, a corretora vai precisar de uma conta bancária para receber este dinheiro. Este monopólio bancário é exatamente o que a moeda digital quebra. Se num futuro você receber seu salário em moeda digital, você não vai precisar pagar taxa de transferência para o banco para enviar dinheiro da sua conta para a de sua mãe, por exemplo, você simplesmente faz a transferência direta de sua carteira digital para a dela
Exibir mais comentários