O debate sobre obsolescência programada se tornou mais intenso nos últimos meses, após a Apple confessar que reduz a velocidade de iPhones antigos para evitar desligamentos repentinos. E outras fabricantes também estão envolvidas nesse tema controverso.

Este mês, a organização antitruste da Itália abriu duas investigações separadas contra a Apple e a Samsung, envolvendo acusações de obsolescência planejada.

Samsung Galaxy J7 Pro

A AGCM (Autoridade Garantidora da Concorrência e do Mercado) suspeita que as duas empresas têm uma política de “reduzir o desempenho de seus produtos ao longo do tempo e induzir os consumidores a comprar novas versões”.

Elas fariam isso ao distribuir “atualizações de software para os clientes de seus celulares sem relatar as possíveis consequências, e sem fornecer informações suficientes para manter um nível adequado de desempenho”.

Em comunicado, a Samsung nega fazer obsolescência programada: “não fornecemos atualizações de software para reduzir o desempenho dos produtos ao longo do ciclo de vida do dispositivo”. A coreana promete cooperar com a investigação da AGCM “para esclarecer os fatos”.

Em dezembro, a Samsung também esclareceu que não desacelera seus smartphones por causa da bateria: “não reduzimos o desempenho da CPU através de atualizações de software ao longo dos ciclos de vida do celular”. LG, Motorola e HTC disseram o mesmo.

Foto por Kārlis Dambrāns/Flickr

A Apple, por sua vez, também nega fazer obsolescência programada em seus dispositivos. “Nunca fizemos — e nunca faríamos — nada para encurtar intencionalmente a vida útil de qualquer produto Apple, nem para prejudicar a experiência e forçar o usuário a trocar de aparelho”, diz a empresa em seu site.

Isso não foi o bastante: a Apple está sendo questionada nos EUA, China e França pelo “batterygate”. Além disso, autoridades da Coreia do Sul investigam se a empresa pratica ou não obsolescência programada em seus iPhones.

Em dezembro, a Apple pediu desculpas por não ser transparente quanto à redução de velocidade em iPhones antigos. Ela diz que isso é necessário para evitar desligamentos repentinos. Será possível desativar esse gerenciamento de energia em uma atualização futura do iOS.

Além disso, você pode comprar uma bateria nova por R$ 149, em vez do preço original de R$ 449; isso faz o desempenho voltar ao normal.

Com informações: Nikkei, SlashGear.

Tecnocast 075 – Antiobsolescência programada

No mundo da tecnologia nós sempre ouvimos falar da obsolescência programada, aquela tese de que as empresas deixam os produtos antigos mais lentos a cada atualização de sistema operacional para te obrigar a comprar um novinho em folha.

Mas olhando o copo meio cheio, algumas categorias de produtos ainda conseguem durar, basicamente, até o dia em que efetivamente param de funcionar. E isso entregando uma performance igual ou muito similar ao dia da compra. Neste programa conversamos sobre os gadgets que não atualizamos com tanta frequência. Dá o play e vem com a gente!

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Cleber Souza

Comprei o Samsung Galaxy A9 em jan/17. Em dez/17 veio uma atualização que deixou o S.O. péssimo. Fizeram ajustes: agora a bateria de 5000 mA dura 4 no máximo 5h com uso intenso. Antes eu usava por 12h de forma intensa.

Diego Oliveira
no caso das telas é isso mesmo, PELO MENOS 50% do preço do celular vai no custo de reparação caso a tela quebre (que é o mais acontece)
Sarah Krystian
Está circulando no WhatsApp que o desligamento das TVs analógicas está ocasionando apagões nos microfones sem fio. Isso é verdade?
Peter Bishop
nega mas faz demais
Gustavo Hofer
avisa o cidadão aí que se está falando de smartphones e não desktop
Avôhai
O cara grava dvd em pleno 2018, putz...
Joseph Arimateias Diniz
No caso do Android, uma parte da culpa vem dos próprios programadores de App. Programas com zero otimização, beberrões de RAM, bateria e cpu.
Lucas Gasparotto 

Verdade mesmo isso aí sobre a Samsung não lançar update pra deixar mais lento. Eles não lançam update nenhum depois de um ano. Tenho um S4 Active que tá osso usar. Nada roda bem nele mais. Agora o iPhone 5 que eu tbm tenho, vai bem pra caramba.

Lucas Gasparotto ?
Verdade mesmo isso aí sobre a Samsung não lançar update pra deixar mais lento. Eles não lançam update nenhum depois de um ano. Tenho um S4 Active que tá osso usar. Nada roda bem nele mais. Agora o iPhone 5 que eu tbm tenho, vai bem pra caramba.
Jefferson Rodrigues
Obsolescência programada vai muito além de reduzir o desempenho do aparelho. Cobrar até 70% do valor do smartphone por cada peça avulsa também é um exemplo de obsolescência programada.
ʞǝʌǝɥs

alguns android/linux de sempre já apareceram :)

Jose X.
alguns android/linux de sempre já apareceram :)
zoiuduu .
reduzir o desempenho sem avisar é ruim. aumentar pouco o desempenho de uma versao pra outra, com o motivo de ter mais o que aumentar depois não tem nada demais.
Burnerman_X
Parece obsolescência programada, mas o Android deles já vem lento desde o lançamento.
Shrueak

"Pena que não aguenta mais League of Legends." Ainda bem.

Exibir mais comentários