O Snapchat está em apuros. O Instagram copiou a maior parte de seus recursos; sua base de usuários quase não cresce; e os prejuízos vêm se acumulando.

Para tentar se salvar, o Snapchat está liberando histórias que podem ser acessadas através da web. Usuários do app para iOS e Android poderão compartilhá-las como um link.

Foto por AdamPrzezdziek/Flickr

Inicialmente, será possível compartilhar:

  • conteúdo da seção Descubra, com parceiros de mídia do Snapchat, envolvendo histórias que expiram em 24 horas;
  • Nossa História, em que o Snapchat reúne histórias sobre um mesmo assunto (cerimônia do Oscar) ou local (Nova York) por até 30 dias;
  • histórias da barra de buscas, que expiram em até 30 dias.

Você só poderá compartilhar histórias quando tiver a versão reprojetada do Snapchat, atualmente em testes no Reino Unido, Canadá e Austrália. Ela será lançada em todo o mundo nas próximas semanas — mesmo após críticas dos usuários.

A Snap Inc. — dona do aplicativo — estreou na bolsa de valores no ano passado, avaliada em US$ 30 bilhões. Após uma ofensiva do Facebook em colocar stories em todos os seus produtos, atualmente ela vale US$ 17 bilhões.

São 178 milhões de usuários ativos diariamente, contra 300 milhões no Instagram Stories. Os investidores querem mais usuários e mais engajamento; os links das histórias vêm com um botão "baixar o Snapchat". Será que adianta?

Com informações: Engadget, Mashable.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marcus Araújo
Sim, concordo, o Spotify por exemplo ainda sangra dinheiro, mas ainda está crescendo e seu valor de mercado é alto... O valor de mercado do Snapchat caiu, o serviço não está crescendo e cada dia que passa caminha ainda mais para a irrelevância. Estão tentando com essas mudanças, mas eu estou achando tudo agora um tiro no escuro que acerta o alvo errado.
Dayman Novaes
Veremos. Concordo com você que o que parece é que não sabem o que estão fazendo. Mas, como disse, é muito difícil julgar se estão fazendo certo ou errado apenas com as fontes que temos. Mas na minha opinião, enquanto "chegar à 180 milhões de usuários" é um argumento à favor da competência da empresa, "notícias mostrando que estão criticando o novo layout" é um argumento à favor da incompetência. Eu acho que o primeiro argumento é mais forte que o segundo. E se você quer procurar padrões, a maioria das startups de sucesso só sangram dinheiro e num prazo curto de tempo pivotam o modelo de negócio e mercado de atuação várias vezes e falam em reestruturação, essa sim é a "fórmula" do sucesso.
Marcus Araújo
Veremos, uma empresa que só sangra dinheiro e num prazo curto mudou seu foco, deu errado e voltou para o foco inicial (que perdeu espaço para concorrentes) e que já fala em reestruturação não transparece que sabe tanto assim o que está fazendo (ou não chegariam nesse estado)... Pode até ser que seja uma minoria que esteja descontente e reclamando internet afora, mas lembre-se que essa é a única voz que ouvem de quem usa o Snapchat. Ou seja, quem já não é usuário tenderá a continuar não sendo com tanta repercussão negativa. Pra mim, o Snapchat está na fórmula do fracasso. Não porque seja um serviço pouco usado (pois há serviços menores e mais rentáveis por aí), mas porque buscou voar alto demais se distanciando de sua essência e está pagando o preço, também alto, pela ambição.
Dayman Novaes
A forma de se ter sucesso em startup é saber testar novas coisas, recolher feedback, e iterar para melhorar. Usando sua expressão, se a quantidade de Joãos agradados for maior do que a de Marias desagradadas, então é uma mudança positiva, se não, não. Por 'sorte", eles têm uma base de usuário suficientemente grande para conseguir um feedback de alta confiabilidade sobre as mudanças (se você tem apenas 10 usuários e sua mudança agradou 7 pessoas, não é muito confiável dizer que se tivesse 100, a mudança agradaria 70. Mas se você tem 180 milhões, e testa com 10 milhões e sua mudança agrada 70%, é confiável dizer que vai agradar também 70% dos 180 milhões). Dizer que as mudanças do Snapchat está agradando a minoria e não a maioria é muita especulação, porque a única fonte de feedback que nós temos são as notícias que lemos e relatos de algumas pessoas criticando as mudanças. Porém, quem está dentro do Snapchat e tem acesso à base de usuários, consegue tirar conclusões muito mais confiáveis que nós.
Dayman Novaes
Não é algo próximo da morte não. Uma startup pra ter sucesso precisa de 3 a 10 anos tentando resolver o mesmo problema, e nesse trajeto todo, sua base de usuário provavelmente será menor do que 180 milhões, e do mesmo jeito continuará sendo difícil crescer (porque fazer startup é difícil mesmo). E concordo que se sua base de usuários não gera dinheiro, tem algo de errado. Mas não é o caso do Snapchat. Gerar dinheiro é diferente de dar lucro, pois lucro depende do tanto que você gasta, e quando você tem investimento e ainda existe dinheiro no banco (que é o caso), é completamente aceitável, e até desejável que se tenha prejuízo.
pedrowillyam
E essa nova interface é uma bizarrice tremenda, como é que tiram o principal: que é a possibilidade de ver as histórias de quem você segue? Uma bosta terem integrado com a barra de conversas, tem gente que eu não converso porque nunca me adicionou, agora pra ver as histórias da pessoa eu tenho que fazer uma pesquisa manual ou torcer pra que o algoritmo da parte Descobrir mostre pra mim (o que não acontecia nunca). Parabéns, ficou uma merda.
Marcus Araújo
O problema não é nem a quantidade de usuários, nesse caso. O problema é que a plataforma não está crescendo, e não está crescendo porque há opções melhores. Agora estão apelando, reformulando tudo para agradar novos usuários e, nessa onda de agradar João, desagradaram Maria, que gostava da forma como o app era. Ou seja, não estão acrescentando nada de atrativo à plataforma, só repelindo com essas ideias bizarras.
FABIO NEVES
Uma pena. Eu torço sempre para que tenhamos muitas opções. Essa é a típica briga perdida. Por mais que façam algo legal, não vão mais cair no gosto popular. A solução é mirar num nicho de mercado e fazer como o Twitter.
Douglas Siqueira
Se sua base atual de usuários não gera lucro, sua plataforma não consegue expandir e o único diferencial do produto foi copiado pelo concorrente que está sendo bem mais sucedido que você, bem... Se isso não é a morte, com certeza é algo bem próximo.
Dayman Novaes
"São 178 milhões de usuários ativos diariamente...", uma população inteira de um país acessa o aplicativo diariamente, e o pessoal ainda insiste em falar que o "Snapchat morreu", "é coisa do passado" "não passa desse ano" "devia ter vendido pro Facebook". Não entendo isso aí não... 178 milhões de usuários diários me parece muita gente para falar que o aplicativo morreu.
Ricardo - Vaz Lobo
That's all folks!
Marcus Araújo
Eu não entrei no Snapchat porque não tenho interesse no que o Fulano posta lá, então o Fulano vai me enviar um link no WhatsApp do que ele postou e eu não tinha interesse de ver, e que bem provavelmente o Fulano já havia postado também no status do WhatsApp, no Instagram Stories e no Facebook Stories. Bom, já podemos fazer o bolão do Snapchat. Não passa de 2018 com essas ideias tão inspiradoras. Em 2018 finalmente há uma movimentação dos meus contatos nos status do WhatsApp, que dado o seu alcance já é uma forma de enviar pra todo mundo.
Renan Alves
Snapchat já é passado, só os donos nao perceberam ainda... os caras tinham uma otima ideia na mão e deixaram escapar. Isso me lembra o Orkut, os caras ficaram tão cegos com o que tinham que nao perceberam o facebook chegando, eu mesmo sai de lá por frescura deles, deletaram minha conta e de varios amigos sem razao alguma, e com isso fizeram a burrice de mandar de mão beijada vários e vários novos usuários para o facebook
Bruno Pinho
Será que adianta? Não.