Logan Paul, um YouTuber com mais de 16 milhões de inscritos, se envolveu em uma polêmica após publicar um vídeo na "floresta da morte" no Japão. Desde então, ele continuou produzindo conteúdo de mau gosto, incluindo aplicar choque em um rato morto — mas não espere que ele seja banido do YouTube.

Susan Wojcicki, chefe do YouTube, diz que Logan Paul não fez nada para ser banido da plataforma. "O que você acha que é de mau gosto não é necessariamente o que alguém pensaria ser de mau gosto", ela argumenta na conferência Code Media.

Logan Paul

Para ser banido, um canal precisa receber três avisos em um período de três meses. Entre as violações das diretrizes, o YouTube lista "vídeos que apresentem nudez ou conteúdo sexual, violento ou explícito, nocivo ou perigoso, de incitação ao ódio, ameaças, spam, metadados enganosos ou golpes".

Paul "não fez nada que causasse esses três avisos", diz Wojcicki. "Não podemos simplesmente tirar as pessoas da nossa plataforma... Elas precisam violar uma política. Precisamos ter regras consistentes."

Ainda assim, o YouTube foi forçado a tomar outras atitudes para restringir as formas em que Paul ganha dinheiro com a plataforma. "Nós tomamos duas ações — a remoção de nossa monetização premium, e uma suspensão de conteúdo original com ele", diz Wojcicki. "E devido a um padrão de comportamento problemático, decidimos suspender a monetização".

O YouTube cancelou um filme protagonizado por Paul, e retirou o canal do Google Preferred, plataforma de anúncios mais rentáveis devido ao engajamento maior.

Paul retornou ao YouTube com um vídeo sobre prevenção ao suicídio, mas logo voltou aos hábitos antigos, fazendo respiração boca-a-boca em um peixe, e dando choque em um rato morto. No Twitter, ele fez uma piada sobre ingerir Tide Pods, cápsulas de sabão líquido.

https://twitter.com/loudmouthjulia/status/960572733007581189

Na semana passada, o YouTube também suspendeu temporariamente os anúncios nos canais dele. A justificativa: "acreditamos que ele exibiu um padrão de comportamento em seus vídeos que torna seu canal não apenas inadequado para anunciantes, mas também prejudicial para a comunidade de criadores em geral".

Grandes anunciantes, como a Unilever, ameaçaram retirar anúncios de plataformas online que promovem conteúdo "tóxico". A empresa gastou US$ 9,4 bilhões em marketing no ano passado, e um terço disso foi em publicidade digital.

Com informações: TechCrunch, Engadget.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tite³

Eu assisto o PewDiePie por isso já sabia q os takes q foram usados tinham sido tirados de contexto, mas para quem não sabia o próprio PewDiePie provou .

Guilherme Pereira

Falsamente??? Com base em que voce afirma que a acusação é falsa?

@Sckillfer

Exato... Primeira coisa que fizeram no caso dele? Limitar a monetização dos canais pequenos.

Caleb Enyawbruce
Esses lixos de video tem muita audiencia... Isso que é complicado
Tite³
O estranho é que eles não tiveram o mesmo medo em punir o Pewdiepie, o maior e mais popular criador da plataforma, quando ele foi falsamente acusado pelo TWP.
DumbSloth87
Tem o YouTube Kids que, teoricamente, bloqueia conteúdos impróprios pra crianças, o problema é que o algorítimo é facilmente enganado.
Marcos Soares Santos
pronto... AMAZON, PODE VIR, PASSA POR CIMA DO YOUTUBE
Eduardo Braga
*a chefe
marcos_5000
A "brincadeira" do Tide pod foi feita no Twitter, então não faz sentido o YouTube punir algo feito em outra rede social... Mas acho que ele deveria receber punições mais severas, inclusive de outras redes sociais.
Tori
O cara é quase uma coisa toxica, fazendo tudo em prol de views, e como sempre, o YouTube passou a mão na cabeça de sua galinha dos potes de ouro e disse que seu filhinho não fez nada de errado. YouTube esta uma confusão do cacete, a empresa sabe que esta dando merda e mesmo assim eles não querem assumir que estão errados. O jovem esta colocando as regras do YouTube na linha bamba. Sinceramente...YouTube é a pior empresa em questão de administração de comunidade.
Felipe
O YouTube arregou. Ele é um YouTuber grande, com milhões de seguidores. Se fosse banido do YouTube, iria buscar outra plataforma. Facebook e Amazon querem lançar suas plataformas. Bani-lo seria entregar um produto forte aos rivais.
Cobalto
Agora vamos ver se outros canais, que por muito menos somem, vão receber todo esse carinho, né?
Marcogro®
Os pais podem ter responsabilidade, mas como fazer então se ninguém mais se responsabiliza. Se eu montar uma barraquinha ensinando a montar bomba na pracinha eu serei preso, porque se fizer o mesmo na rede isso dificilmente acontece? Acho que incentivar o consumo de produto químico não comestível, é muita irresponsabilidade... Controle parental para essa garotada de hoje é tipo amarrar o portão com barbante.
Thiago
Nesse caso eu diria que a responsabilidade é dos pais em saber o que o filho(a) deles esta vendo. Algo que o YouTube poderia adicionar é um controle parental. (Já existe algo desse tipo na plataforma?)
Marcogro®
Sei lá... Acho que conteúdo como "ingerir cápsula de sabão" já é forçação de barra. Dependendo do público, ou parte do público, por exemplo, crianças, pode trazer consequências desastrosas. O YouTube não tem como policiar tudo, mas cabe aos "criadores de conteúdo" ter discernimento do que postam (sei, é pedir muito) e, pelo menos, responsabilidade sobre o mal que podem causar...
Exibir mais comentários