Início » Celular » Ubuntu 10.04 Lucid Lynx prova que o Linux está evoluindo no desktop

Ubuntu 10.04 Lucid Lynx prova que o Linux está evoluindo no desktop

Por
9 anos atrás

Faz pouco tempo que o Ubuntu 10.04 LTS Lucid Lynx foi lançado. O sistema operacional pode ser baixado gratuitamente e tem suporte garantido por três anos. Estreando a participação do leitor no TB, João Pedro Sacheti conta a sua experiência usando o Linux mais amigável de todos os tempos.

• • •

Visão geral e novidades

A nova release do Ubuntu vem com uma roupa nova, abandonando o laranja e o marrom e dando boas vindas a tons de roxo e prata, mas com alguns detalhes ainda na velha cor laranja. Essa novidade era esperada desde a versão 9.10 Karmic Koala (que recebeu apenas retoques no antigo tema Human).

O sistema está mais polido, agora com a versão final do carregador de boot Grub. Ele trabalha em sincronia com o boot rápido do sistema para manter o Ubuntu ágil e veloz. Essa também é a versão mais estável do Ubuntu desde que eu comecei a testar o sistema, lá no Ubuntu 8.04.

Área de trabalho do Lucid Lynx. Clique para ampliar.

Área de trabalho do Lucid Lynx. Clique para ampliar.

Falando em 8.04, o novo Ubuntu passa a substitui-lo como Ubuntu LTS mais recente. Isso significa que o 10.04 vai receber correções, atualizações e suporte por pelo menos três anos no que diz respeito a desktops e cinco anos em servidores. Os tradicionais 18 meses de suporte voltam no Ubuntu 10.10, previsto para outubro desse ano e que não será LTS.

O Ubuntu One, serviço de hospedagem na nuvem criado pela Canonical, está mais bem integrado ao sistema. Agora ele se conecta com a Ubuntu One Music Store, serviço semelhante à iTunes Store da Apple, mas que vende músicas disponibilizadas por meio de licença Creative Commons.

Live CD e instalação

Como na maioria das distribuições Linux, o Ubuntu tem um Live CD. Ele é uma espécie de test drive, no qual o sistema funciona a partir do CD e da memória do computador, sem afetar o HD.

Apesar de um tanto lento devido à velocidade dos drivers de CD, o Live CD oferece o mesmo sistema que você vai obter ao instalar definitivamente o Ubuntu no disco rígido. Você é livre para explorar o sistema da maneira que quiser sem medo de danificar o computador, visto que os dados do LiveCD não ficam salvos na máquina.

No LiveCD ainda existe um instalador de fácil acesso. Se você gostar do Ubuntu, pode iniciar sua instalação com apenas alguns cliques.

A instalação ocorre de forma parecida com as versões anteriores do Ubuntu, exceto pela demora um pouco maior. Enquanto que a instalação do Ubuntu 8.04 levou 35 minutos, a do Ubuntu 10.04 me custou quase uma hora de espera. Mais ou menos como na instalação do Windows, pelo menos o usuário é entretido com slides mostrando os novos recursos do sistema.

Desktop e pós-instalação

Logo de cara, vemos a tela de login reformulada junto com o novo tema, Ambiance. O desktop Gnome vem muito bem configurado e organizado, com 3 menus superiores: Aplicações, Locais e Sistemas. Tudo está bem dividido e configurado de forma a parecer simples e amigável. Se você veio do Mac OS X, não vai demorar a se adaptar. No entanto, se veio do Windows, vai ter que ganhar um pouco de prática com a nova interface gráfica.

No canto superior direito há informações do usuário logado na máquina. A partir de lá você pode controlar sua vida social com aplicativos integrados ao sistema que acessam redes sociais, de Twitter a Facebook. Além disso, ele checa emails e pode ser configurado para usar o Ubuntu One.

Aplicativos nativos

O pacote de software que vem com o Ubuntu faz dele um ótimo sistema, pronto para ser usado. Eu precisei instalar apenas alguns codecs proprietários e o driver da minha impressora HP (que contou com um assistente de instalação).

OpenOffice no Ubuntu 10.04. Clique para ampliar.

OpenOffice no Ubuntu 10.04. Clique para ampliar.

No pacote do Ubuntu, nós temos o player de vídeo Totem, o tocador de áudio Rhythmbox, o Mozilla Firefox (que dispensa apresentações), a suíte de produtividade OpenOffice e o editor de vídeo Pitivi, apenas para citar alguns.

A central de software do Ubuntu

Central de programas no Ubuntu 10.04. Clique para ampliar.

Central de programas no Ubuntu 10.04. Clique para ampliar.

Funciona como o Adicionar e Remover Programas do Windows. No entanto, ao contrário do que acontece no sistema de Bill Gates, ela realmente adiciona software usando o sistema de repositórios.

Aliás, repositórios nada mais são do que um site onde o APT (o núcleo de controle de software do Ubuntu e derivados do Debian) pega os pacotes, descompacta, instala e adiciona um atalho na respectiva categoria do Gnome. Uma verdadeira mão na roda para quem não tem paciência de pesquisar software em vários sites diferentes.

Ubuntu One e Ubuntu One Music Store

Dentro do Rhythmbox – o player de música padrão do Ubuntu – existe uma coletânea de músicas sob Creative Commons. A loja ainda está em beta e tem poucas músicas. Por sinal, o preço delas é exibido em libras esterlinas, mas isso é uma questão de tempo até a Ubuntu One Music Store seja refinada e aprimorada. A comunidade em torno do Ubuntu é rápida no desenvolvimento de novas soluções.

Não menos importante, o player do Ubuntu agora sincroniza com o iPod, gadget de música mais popular do mundo. Enquanto a Apple não lança uma versão do iTunes para o pinguim, até que o recurso novo funciona como uma boa alternativa.

O serviço de hospedagem na nuvem Ubuntu One vem com tudo. Mesmo tendo uma capacidade de armazenamento inferior à da concorrência (2GB), isso pode ser facilmente resolvido com a assinatura de um plano mensal que dá direito a 50GB.

Da mesma maneira que o Dropbox funciona, o Ubuntu One é nativo: já vem integrado ao sistema. Basta jogar os arquivos cujo backup é necessário na pasta do Ubuntu One e ver eles serem enviados para a nuvem.

Conclusão

O Ubuntu é a escolha certa para você que quer testar algo novo e/ou se livrar de alguns problemas incômodos do Windows. Ele é a prova de que o Linux está evoluindo no desktop; só falta a boa vontade das pessoas de aceitá-lo como ele é. Se você usa o Mac OS X, não vai sentir dificuldades de usar o Ubuntu, já que o Linux e o Darwin são “primos”.

A versão 10.04 LTS está bem refinada, sendo uma das melhores que eu já usei. Durante a análise, não houve nenhum Crash do sistema e nenhum bug grotesco como ocorria em versões anteriores.

João Pedro Sacheti (@joaopedrosachet) é um jovem estudante do interior de São Paulo. Depois de detonar instalações do Windows, começou a brincar com Linux e hoje em dia já instala o ArchLinux sem problema algum.

• • •

O download do Ubuntu 10.04 LTS pode ser feito na página do sistema ou diretamente nesse link, que leva para a versão 32-bit em um mirror brasileiro (arquivo .iso).

Aviso | As opiniões do autor do texto não refletem necessariamente as do Tecnoblog.