Início » Internet » Twitter bloqueou usuários temporariamente durante esforço para remover bots

Twitter bloqueou usuários temporariamente durante esforço para remover bots

Por
1 ano e meio atrás

De vez em quando, o Twitter faz uma limpeza nos bots, contas automatizadas que não estão vinculadas a um usuário real. Eles são usados para inflar números de seguidores, e também para disseminar informações falsas.

Desta vez, a limpeza foi mais agressiva. Centenas de pessoas foram temporariamente bloqueadas nesta terça-feira (20), e precisaram verificar um número de telefone para continuarem na rede.

Twitter

Isso inspirou a hashtag #TwitterLockout. Várias contas legítimas foram temporariamente bloqueadas, e era preciso verificar um número de telefone para desbloqueá-las — tática usada por outras redes sociais, não só o Twitter.

Um porta-voz do Twitter diz ao Engadget: “agimos de forma proativa em contas que se comportam de forma semelhante a spam, inclusive solicitando detalhes adicionais, como pedir aos proprietários da conta que confirmem um número de telefone”.

O Twitter suspende contas “que indicam atividade inorgânica, automatizada ou comportamento abusivo”. Em janeiro, a rede social fez uma limpeza após o New York Times revelar que celebridades estavam comprando seguidores falsos da Devumi.

https://twitter.com/Isa4031AMP/status/966215732630622215

Usuários alinhados à direita e defensores do presidente Donald Trump acusam o Twitter de mirar em contas conservadoras. Bill Mitchell diz ter perdido 4 mil seguidores, mas já recuperou 1,2 mil. Paul Joseph Watson perdeu “milhares” de seguidores, porém recuperou quase todos.

Alguns especulam, no entanto, que o Twitter fez uma remoção em massa de bots ligados à Rússia. Os EUA estão investigando campanhas feitas em redes sociais para interferir nas eleições. “A Internet Research Agency LLC é uma organização russa envolvida em operações para interferir em eleições e processos políticos”, diz o governo americano.

“As ferramentas do Twitter são apolíticas e aplicamos nossas regras sem viés político”, diz a empresa em comunicado.

Com informações: Engadget.

Mais sobre: