Para Brian Acton, ser cofundador do WhatsApp não basta. O seu objetivo agora é fazer história com outro aplicativo de mensagens instantâneas, o Signal. Para tanto, ele vai investir nada menos que US$ 50 milhões no serviço. A pergunta que fica no ar é: por quê?

O Signal é frequentemente lembrado por quem faz questão de mais segurança na troca de informações. O seu grande atrativo é a criptografia ponta a ponta que, além de chat e voz, protege chamadas de vídeos. A ferramenta ganhou bastante visibilidade em 2015, depois que Edward Snowden revelou a sua predileção por ela.

Signal

Desenvolvido pela organização sem fins lucrativos Open Whisper Systems, o protocolo de criptografia do Signal é considerado por especialistas como um dos mais seguros da atualidade. Não por menos, o mecanismo acabou sendo implementado no WhatsApp e no Facebook Messenger. Até o Skype entrou nessa.

Apesar de ser bastante eficaz e servir de referência para outros serviços de mensagens, o Signal esbarra em uma limitação importante: na comparação com o próprio WhatsApp ou o Facebook Messenger, o seu número de usuários é baixíssimo. A entrada de Brian Acton no projeto pode ajudar a mudar esse cenário.

Acton deixou de vez o WhatsApp em setembro de 2017, quando anunciou a sua saída do Facebook e o objetivo de criar uma organização sem fios lucrativos focada em tecnologias para o bem público.

Essa organização, de fato, foi criada: ao entrar para o novo projeto, Acton também apresentou a Signal Foundation, nas suas palavras, uma entidade que deverá “apoiar, acelerar e ampliar a missão do Signal de tornar a comunicação privada acessível e onipresente”.

Brian Acton

Brian Acton

Brian Acton vai ocupar o posto de presidente executivo da fundação. Mas o seu envolvimento com o Signal vai muito além de um cargo de liderança: como você já sabe, ele está tirando US$ 50 milhões do próprio bolso para fazer o projeto crescer.
É uma soma gigantesca, mas que não deve fazer falta a Acton, pelo menos se considerarmos o valor que o Facebook pagou pelo WhatsApp em 2014: US$ 19 bilhões.

À Wired, ele explicou que, na nova casa, vai trabalhar com transparência, desenvolvimento open source e proteção de dados. “Agora estou em um lugar onde eu posso dedicar parte considerável do meu tempo e recursos para avançar em tecnologias para essas áreas”.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

FSchmitt

Você é nerd tetudo ou bot?

IAmYourFather-Your Mom Likes

Ele poderia ter injetado usuários na plataforma...

Paul

Uso e APOIO o Telegram, mas morri com esse comentário. Kkkkkkkkkkk

Carlin

E no fim da contas o que importa é o número de usuários, acho difícil o Signal chegar no número de usuário do Telegram, e mesmo que o Telegram possa oferecer "uma experiencia incrível e cheia de utilidades" nunca ira chegar no número de usuários o WhatsApp!

Carlin

hahahahahaha Identidade visual passou longe ai!

Eduardo Braga

Nem é tão feio gente kkkk

André G

Telegram é muito mais que um simples mensageiro

Rodrigo Gommes

que m***a de icone!!!!

Trovalds

Pra quem quer fazer grupos de discussão mais organizados e tal o Telegram tem gerenciamento melhor.

Helmut

Ia zuar os dois, aí fui ver e.... #tamojunto

Luiz Claudio Eudes Corrêa

Únicos usuários do signal que me aparecem são jornalistas e pessoas Tech que baixaram pra testar, mas que já desinstalaram.

Telegram tem vida própria com os grupos.

Ricardo - Vaz Lobo

Tem menos usuários que o Telegram?

Pedro Cavalieri

Já ia te zuar, mas fui ver o ícone... Realmente, que ícone feio!

Daniel R. Pinheiro

Sabe o que eu acho interessante? Houve uma "briguinha" no twitter entre Durov e Snowden (e consequentemente entre seus "discípulos") , apontando o Telegram como "inseguro", simplesmente por não ter a criptografia ponta-a-ponta de forma padrão. Chegaram até a dizer que o WhatsApp é mais seguro.

A resposta de Durov foi precisa: "não se faz esse recurso em um app, cuja finalidade principal é ser cloud-base".

Simples, se a finalidade do Telegram é ser um mensageiro baseado em nuvem, e ainda tem a possibilidade de criptografia ponta-a-ponta, bastando o usuário escolher, o que é que esse povo quer criando caso? Quer segurança "ao extremo", sem se importar com a mobilidade e praticidade? Vai de Signal (ou WhatsApp), oras. O Telegram é mais do que isso.

Ayres Dib 

Não baixei por motivos de ícone feio.