Início » Internet » Facebook lança ferramenta para ajudar a encontrar empregos no Brasil

Facebook lança ferramenta para ajudar a encontrar empregos no Brasil

Felipe Ventura Por

O LinkedIn está ganhando mais um concorrente. A busca do Google separa anúncios de emprego nos EUA e no Brasil. E a partir desta quarta-feira (28), o Facebook vai oferecer uma ferramenta semelhante em 40 países.

O "Empregos no Facebook" está chegando a países como Brasil, Reino Unido, França, Alemanha, Itália e Espanha. Ele já estava disponível nos EUA e Canadá desde o ano passado.

É possível encontrar vagas em facebook.com/jobs e nos aplicativos para iOS e Android. Você pode filtrá-las por nome, local, setor e tipo (integral, meio período, estágio etc.).

Caso você se interesse por uma vaga, clique em "Candidatar-se agora": você será levado a outra página dentro do Facebook para ver a descrição completa.

Haverá outro botão "Candidatar-se agora" no final: ao clicar nele, surgirá um formulário já preenchido com as informações de seu perfil, incluindo nome, número de celular, experiência profissional e formação acadêmica.

O Facebook nota que seus dados "talvez sejam enviados como uma mensagem", e avisa que eles "não aparecem no seu perfil" — seus amigos e familiares não saberão que você se candidatou a determinada vaga.

Quanto às empresas, elas poderão adicionar vagas na seção Empregos no Facebook, na própria página, no Marketplace ou em posts patrocinados no feed de notícias. Eis um exemplo de como isso funciona:

"Uma em cada quatro pessoas nos EUA procurou ou encontrou um emprego usando o Facebook", disse o vice-presidente Alex Himel no ano passado. "Mas 40% das pequenas empresas dos EUA dizem que preencher vagas era mais difícil do que eles esperavam. Acreditamos que o Facebook pode desempenhar um papel para preencher essa lacuna."

O LinkedIn teve receita de US$ 1,1 bilhão no quarto trimestre de 2017, e o Facebook quer uma parte desse mercado. Como explica o TechCrunch, a rede social pode ter sucesso com vagas de baixa qualificação, em indústrias como varejo e alimentação, que aparecem com menos frequência no LinkedIn.

Isso também motiva os usuários a passarem mais tempo no Facebook, vendo mais anúncios; e estimula empresas a reforçarem sua presença na rede social.

Com informações: TechCrunch, Engadget.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André G

Não, mas talvez alguma hora você terá a oportunidade de pagar para sua vaga ser mais vista.

Renan

Alguém vai ter que pagar por isso?

johndoe1981

Tem muita gente com boa formação que ainda trabalha lá :(

André G

Só pq não tenho mais Facebook...

Mas vagas sérias com certeza estarão disponíveis em outros lugares. Pela bagunça que são os grupos de vendas, os empregos também devem ser em grande parte no estilo das Vagas Arrombadas.

Ricardo - Vaz Lobo

Boa!

Programador Front-End

FaceUber

Lucas Carvalho

Empresas onde já trabalhou: VASP

Ricardo - Vaz Lobo

Aguardando o FaceFood.

Paçaro

Ultimamente, pelo menos pra mim, Linkedin tá funcionando melhor que Catho, Infojobs e afim. Direto recebo proposta de emprego por lá.

Will

Espero que funcione, pois hoje em dia é bem complicado conseguir uma vaga de emprego pela internet, muitos sites/anúncios falsos se aproveitando da vulnerabilidade das pessoas.