O AMP (Accelerated Mobile Pages) surgiu em outubro de 2015 como uma iniciativa do Google para acelerar o carregamento de páginas web em dispositivos móveis, como o próprio nome indica. A ideia deu tão certo que, pouco mais de dois anos depois, o Google planeja fazer do formato um padrão web — ou algo próximo disso.

Accelerated Mobile Pages - AMP

Não é difícil entender o porquê de a ideia ter funcionado (na visão do Google, pelo menos). Boa parte das páginas web é desenvolvida com foco em desktops e, posteriormente, adaptada para dispositivos móveis. Essa adaptação, mesmo quando bem conduzida, frequentemente não elimina o peso das páginas nos smartphones.

Para pelo menos amenizar o problema, o Facebook criou o Instant Articles e a Apple implementou uma grande otimização em sua plataforma de notícias. O Google, por sua vez, recorreu ao AMP, padrão que cria uma página alternativa bem mais leve, sem códigos em JavaScript ou CSS, por exemplo. Você certamente já acessou páginas no formato: elas são identificadas com o ícone de um raio na busca móvel do Google.

Em um post divulgado no site do AMP, Malte Ubl, líder do projeto, sinaliza que chegou o momento de ampliar a iniciativa. A ideia é fazer quase todo tipo de site se beneficiar da tecnologia — hoje, o AMP funciona predominantemente em sites de notícias e blogs.

Para tanto, desenvolvedores web e organizações responsáveis por padronizações precisam concordam com a proposta. O discurso do Google dá a entender que, como não há nada do tipo disponível de maneira ampla e aberta, a tecnologia do AMP poderia servir de pontapé inicial e base para uma web móvel ainda mais amigável e rápida.

Google AMP - Tecnoblog

O plano não é colocar toda a web sob controle do Google ou dependente da plataforma do AMP, mas compartilhar a tecnologia desta, bem como as experiências obtidas com a iniciativa ao longo desses quase três anos. Qualquer organização teria acesso ao formato, inclusive concorrentes do Google.

Apesar da aparente boa intenção do Google, a ideia encontra resistência em comunidades de desenvolvedores. Muitos acreditam, por exemplo, que o AMP é simples demais, ao ponto de impedir a inserção de recursos relevantes nas páginas. Outros suspeitam que o Google esconde suas verdadeiras intenções.

De qualquer forma, não é um processo imediato. Além de convencer desenvolvedores e organizações a adotarem a tecnologia do AMP, o Google precisa definir parâmetros técnicos para que, de fato, não exista dependência da sua plataforma. É um trabalho que requer tempo e, acima de tudo, muita conversa.

Com informações: Mashable.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

johndoe1981

Ah não, odeio essa desgraça de AMP. Paginas com Disqus, outras plataformas de comentários, certos recursos e frames não funcionam em modo AMP. E nem sempre aparece o botão para abrir a pagina normalmente. Tem que editar a URL e remover o "amp". Por mim esse câncer de AMP tinha que ser extinto.

Juaum

Verdade, funciona bem melhor.

Juaum

Se esse troço vira padrão, estamos lascados.

Dispister

Essa bosta quando você vai acessar sites gringos e espera a tradução que não ocorre simplesmente por causa desse AMP genial.
Os caras ainda são os pica do MIT

Porto Velho

Se fosse só isso que não carregasse tava bom. Eu não estaria aqui te respondendo se tivesse acessado o TB por AMP, já que o Disqus também não carrega.

AMP limpa mais que o necessário e isso irrita. Aí carrega a versão AMP e depois é obrigado a carregar a página completa. Acaba usando mais dados que usaria se fosse direto pra página normal.

Fabio Montarroios

Segui as instrucoes e consegui. Se ate um nó cego como eu conseguiu, é sinal que não é impossível. E o próprio "tecnoblog" me instigou a seguir adiante. Este sítio eletrônico, portanto, tem potencial motivacinal não explorado.

Vitor Mikaelson
ochateador

Ainda acho que se os programadores fizerem uma boa programação é mais eficiente que essa coisa do google...

Fabio Montarroios

gracias!

João

É só eu que acho ou isso chegou muito tarde? Agora a tecnologia nos smartphones e internet já anda bem avançada (até no huezil anda melhorando). Isso seria útil quando o 3G era pior que 2G hahuahuahu.

Trovalds

Google: telegram instant view, primeiro link.

CtbaBr©

Na evolução dessa revolução da regressão...
Se a WEB tivesse só textos, seria muito mais rápida ainda.

CtbaBr©

Heil Google o/
Quem serão os WebJudeus?

Fabio Montarroios

Desculpe, me expressei mal: quero saber como um site adere ao instant view do telegram. Tem alguns sites q ajudo a administrar e q gostaria de incluir nesse tipo visualização.

Trovalds

Você adiciona o bot do portal que quer acompanhar. t.me/Tecnoblog o daqui, no caso. O Telegram faz o resto. No caso, aparece a parcial da notícia, reportagem, etc e um botão "Leitura Rápida" logo abaixo.

Exibir mais comentários