A Samsung tem mais um smartphone de entrada para o mercado brasileiro: o Galaxy J2 Pro. Com preço sugerido de R$ 749, ele traz hardware básico para competir com aparelhos como o Moto E4 e o LG K8 Novo.

Por dentro, o Galaxy J2 Pro tem processador quad-core Snapdragon 425 de 1,4 GHz, RAM de 1,5 GB e armazenamento de 16 GB, com possibilidade de expansão por microSD; a Samsung explica que o aparelho tem suporte para dois chips e entrada exclusiva para cartão de memória. A bateria é removível e possui capacidade de 2.600 mAh.

A tela de 5 polegadas é Super AMOLED, uma tecnologia que vem se popularizando nos smartphones mais baratos da Samsung, e tem resolução de 960×540 pixels (boo!). As câmeras possuem 8 megapixels (traseira) e 5 megapixels (frontal), ambas com flash e abertura f/2,2. Elas contam com alguns truques de software, como o acionamento rápido (basta dar um duplo clique no botão de início) e o disparo com a palma da mão.

Recursos conhecidos de outros smartphones da Samsung também estão disponíveis no Galaxy J2 Pro, como a Pasta Segura, que protege aplicativos, fotos e outros arquivos com uma senha (o aparelho não possui leitor de impressões digitais); e o Dual Messenger, que permite instalar duas instâncias de aplicativos de mensagens, como o WhatsApp.

O Galaxy J2 Pro já está disponível por R$ 749 no varejo brasileiro, nas cores preta, dourada e rosa.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Celso

O TV seria bom, já que a primeira geração teve.

Je Suis Harambe

Eu compraria pra substituir meu Moto E de primeira geração que eu uso só pra receber ligação
mas por 700 reais nem fodendo, a Samsung poderia ter deixado essa resolução num display menor e ter substituído o AMOLED por PLS que é barato e a qualidade não é ruim, melhor que o IPS e também
eu comprei o meu J5 Pro que é uma porcaria e trava mto por 780 reais, mas não trocaria ele por esse aí

Comentadorzinho

Nasceu morto. Com essas configs e a skin da Samsung, em 8 meses após atualizações e mais atualizações de apps, vai demorar até pra abrir WhatsApp.

Wendel

EU tenho Xiaomi aqui de entrada e estou super satisfeito. Em compensação, meu último aparelho nacional, um Galaxy J3 (2016) nunca recebeu atualização do android e permanece no Lollipop. A diferença em custo benefício é muito grande.

Mickão

Essa resolução de tela em 2018 só pode ser zueira.

Tori

"Só compra aparelho nacional quem simplesmente ENTENDE de smartphones a fundo"

Diogo

"Só compra aparelho nacional que não se informa."

Tori

agora me responde, um brasileiro comum ira confiar em uma marca que ele nem ao menos conhece?
Brasileiro só conhece Motorola, Apple, Samsung e Positivo. Fora isso ele já chama de xing ling.
Se nem a minha tia, mesmo eu falando que o Redmi 4A tinha tudo melhor que o Moto G1 dela, ela falou que não queria um "Xaomin".

E mais, Xiaomi não tem capas na esquina, não tem suporte em tudo quanto é lugar, e muito menos tem película.
Brasileirinho não curte.

Diogo

Comprei pra minha mãe no Mercadolivre um Xiaomi 4A 2GB RAM 32GB Snap 425, paguei R$529 parcelado sem juros, com garantia de 3 meses de um vendedor com praticamente 1000 vendas só deste modelo, só compra aparelho nacional que não se informa.

Não tem nem comparação com qualquer modelo de entrada da Samsung e nem de nenhuma outra marca nacional.

Pereira

Bem nessa, é o Galaxy Y de 2018.

João V. Marchese

agora só falta o Samsung Galaxy J2 Pro TV Dual Neo Plus

Wendel

Os aparelhos de entrada da Xiaomi mandam um "Oi" pra Samsung.

Maicon Bruisma

750 pila tem J5 Pro, tem Moto G5 Plus, zenfone 3 Max por 650. Nem tela HD essa coisa tem. Uma pena.