Início » Computador » Raspberry Pi 3 Model B+ melhora conectividade e desempenho, mas mantém preço baixo

Raspberry Pi 3 Model B+ melhora conectividade e desempenho, mas mantém preço baixo

Emerson Alecrim Por

Pegando carona no dia do Pi (π), a Raspberry Pi Foundation anunciou nesta quarta-feira (14) a nova versão do dispositivo que leva o seu nome: o Raspberry Pi 3 Model B+, como foi batizado, surge como uma atualização do Raspberry Pi 3 Model B lançado em fevereiro de 2016.

Raspberry Pi 3 Model B+

O processador é o Broadcom BCM2837B0, chip de 64 bits com quatro núcleos Cortex-A53 que, como tal, é bastante parecido à unidade que equipa a placa anterior. A grande diferença está na frequência, que aumentou de 1,2 GHz para 1,4 GHz. A GPU continua sendo a Broadcom VideoCore IV. De igual modo, a placa permanece tendo 1 GB de RAM.

Outra novidade do Raspberry Pi 3 Model B+ é um chip que faz o dispositivo suportar nativamente redes Wi-Fi 802.11ac com frequências de 2,4 GHz e 5 GHz. A certificação de conformidade modular, outra novidade, vai facilitar a aprovação de produtos baseados na placa que precisam seguir normas referentes a conexões sem fio. Por sua vez, o Bluetooth saiu da versão 4.1 para a 4.2.

Raspberry Pi 3 Model B+

Também é possível conectar o dispositivo a uma rede Ethernet Gigabit (velocidades de até 300 Mb/s). Um detalhe interessante aqui é que a conexão Ethernet agora suporta alimentação elétrica (Power over Ethernet), embora seja necessário adicionar um módulo HAT à placa para isso (a ser disponibilizado em breve).

Os demais itens de conectividade não mudaram: assim como o Raspberry Pi 3 Model B, a nova placa traz quatro portas USB 2.0, porta HDMI com tamanho convencional, conector GPIO de 40 pinos (permite que a placa seja conectada a circuitos externos para se comunicar com ou controlar outros dispositivos), além de armazenamento via microSD.

E não, não quebraram a tradição: a exemplo das gerações anteriores, o Raspberry Pi 3 Model B+ está à venda com preço oficial de US$ 35 em lojas como Element 14. A Raspberry Pi Foundation promete manter a produção do dispositivo pelo menos até janeiro de 2023.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Golden Sheik ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

Licença gratis de Office da M$ até existe, o Word Online, Excel Online, etc, tudo rodando do site office.com normalmente sem poder instalar nada, armazenando tudo no Onedrive.

araujo9999

o meu encontra a rede wifi, mas nao conecta, os principais tutoriais na internet nao tive resultados!
o que eu faço pra ele conectar?

Nino M4ster

Ainda esperando eles colocarem Ethernet Gigabit de verdade..

Juliano

Olá amigos, alguém saberia me dizer quantos pinos eu posso efetivamente utilizar como I/O neste novo modelo? Pergunto isso porque faço uso de uma Raspberry Pi 2 B+ que possui 40 pinos de GPIO, porém posso utilizar apenas 26 como entrada/saída e precisaria usar no mínimo 27 pinos.

Abraço

Rogerio Pavão

Comecei usando a Rpi como um emulador de game retrô , um belo dia procurando saber mais da plaquinha no Youtube , me deparei com uma infinidade de utilidades , já fiz uma automação remota da minha casa , até um servidor já montados , cara tô maravilhado com a Rpi . Detalhe , não tenho faculdade e nenhum curso de hardware ou eletroeletrônica ( sou apenas mais um curioso) .

Trovalds

O RPi é um computador diminuto com capacidades de IoT. Então basicamente a sua imaginação e o poder computacional é o limite.

Eliézer José Lonczynski

O principal uso (potencial uso em massa) do Raspberry Pi seria em terminais burros ?

Fabio Montarroios

Prefiro acreditar na boa fé dos agentes públicos. Há limites para essa crença, claro, mas, de largada, espero correção e probidade. Se não vierem, há a lei para puni-los. É assim q deveria funcionar... Mas sabemos q a realidade é dura e cruel com os ingênuos.

Fabio Montarroios

Era pra eles serem dados às crianças. Mesmo depois de concluído o curso, o jovem continuaria com ele. Poderia devolvê-lo se quisesse, ou passar para o irmão mais novo ou, melhor ainda, começar um projeto própria pra, sei lá, melhorar o mundo.

Mas é evidente q são delírios meus q precisariam ser levados ao escrutínio de técnicos do governo, pq pode ter uma lei x,y,z q diz q é crime dar computadores às criançinhas. Vai saber, né? Sinceramente, não duvido q tenha entraves os mais diversos...

Trovalds

O que não vi utilidade: o suporte a PoE via PoE HAT. O módulo à parte custa quase o mesmo que o RPi e você ainda tem que ter um PoE injector ou um switch que tenha portas PoE. A única vantagem a meu ver é um cluster de RPi todos ligados via PoE. Isso economizaria espaço físico por dispensar fontes de alimentação separadas pra cada aparelho. Mas ainda assim o custo seria maior.

Trovalds

Uma coisa é um plano pra adquirir hardware. É um bem físico, precisa entrar como patrimônio, está sujeito a depreciação e mais um monte de coisas que o software não tem. Infelizmente por mais interessante que seja o seu plano ele gera um custo futuro. Não, não estou desmerecendo ele, é ótimo.

Leandro Alves

Faz todo o sentido.

Fabio Montarroios

É... pra fazer os caras instalarem uma fábrica aqui seria uma coisa BEM mais complexa, mas por que não? Teria que negociar. Grana, recursos e pessoal nós temos. O que falta?

Fabio Montarroios

Era pra ser uma democracia participativa. Claro q meu plano não era perfeito e poderia ser melhorado - e muito. Sinceramente não vi nos funcionários da secretaria de educação qualquer busca por uma brecha pra arrancar um grana. O político profissional nem deu as caras, então, não deu nem pra deduzir algo. Depois pude ver q o compromisso dele é com agenda de poder, de perpetuação de poder. Infelizmente é assim e quem perde, nesse caso, são as crianças e professores q poderiam dar aulas mais interessantes e criar um clima diferente na escola - e nas famílias, já q o aparelho era pra ser usado em casa junto com a família da criança. Poderia funcionar se o governo federal desse as isenções necessárias e se a Raspberry Pi viesse pro Brasil. Seria preciso combinar, negociar e facilitar... E, aí, claro, pode entrar a mão grande de um corrupto (público ou privado). Se alguns canalhas fazem mutretas até com a merendinha das crianças, quem dirá com outras coisas... É por isso que o cidadão tem que ficar no pé desses caras e não esmorecer apesar das negativas.

Gaio Cruz

Roda.

Exibir mais comentários