No domingo (18) à noite, um carro autônomo do Uber atropelou uma mulher na cidade de Tempe, Arizona. Ela empurrava uma bicicleta carregada com sacolas de plástico, e caminhou abruptamente da faixa central de uma rodovia para a pista de trânsito.

O Uber retirou todos os seus carros autônomos das vias públicas enquanto o caso é investigado. No entanto, a chefe de polícia Sylvia Moir acredita que o veículo não teria como evitar o acidente.

Ela diz ao San Francisco Chronicle que, ao ver os vídeos das câmeras de segurança, “é muito claro que teria sido difícil evitar essa colisão em qualquer tipo de modo (autônomo ou humano) baseado em como ela saiu das sombras diretamente para a estrada”. (Os vídeos não foram liberados para o público.)

O carro do Uber viajava a 60 km/h de forma autônoma, porém com um motorista humano atrás do volante. Ele disse que “foi como um flash, a pessoa andou na frente deles”, segundo a chefe da polícia. Elaine Herzberg, 49, não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital.

O estado do Arizona tem a maior taxa de mortes de pedestre nos EUA. Na região metropolitana de Phoenix, que inclui a cidade de Tempe, ocorreram dez fatalidades dentro de uma semana — sem contar o acidente do Uber.

As faixas de pedestre são menos comuns do que deveriam; em alguns casos, é preciso andar mais de um quilômetro para poder atravessar as rodovias (e há muitas delas). No entanto, segundo Moir, o acidente do Uber ocorreu dentro de 100 metros de uma calçada.

A chefe de polícia diz: “não vou excluir o potencial de abrir queixa contra o motorista humano”. O carro tem câmeras externas que devem deixar claro o que aconteceu. E se, na verdade, o veículo for o culpado? “Este é um terreno realmente novo em que estamos nos aventurando”, ela explica.

Os veículos autônomos são importantes para o Uber porque podem reverter os prejuízos da empresa — ela perdeu US$ 4,5 bilhões só no ano passado. Substituindo os motoristas humanos, ela poderia reter 100% do valor das viagens, em vez dos atuais 20% (em média).

Com informações: SFChronicle, Ars Technica.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Erick de Macedo Lobo

Eu imaginava que esses carros tinha cameras especiais de visão noturna ou coisa do tipo.

danielnbl

Claro, pq a morte super cai bem pra qualquer pessoa(e falo pessoa, que é frágil, carro não conta) que transgride uma lei de trânsito. Por favor né!

Num sistema enorme que já busca a culpabilização do mais fraco e que não é pensado de forma algum para o uso da cidade para além de carros. Nesse estado em questão é comum a pessoa precisar andar quase 1km pra atravessar uma rua, é insensato culpabilizar alguém por um sistema completamente falho em criar uma cidade para seres humanos.

Sérgio Henrique Fernandes

Tem alguns comentarios tao absurdos que chego a conclusao que a pessoa nao pensa pra escrever
Dizer que é uma falha do sistema pois deveria prever um pedestre atravessar fora da faixa
Eu concordo que pode haver e haverá nao uma mas algumas falhas nesse tipo de autonomia, porem nesse caso em especifico claramente e com base no codigo de transito a falha foi da pedestre
e lamento a morte, mas a verdade seja dita

Fabio Montarroios

Pode ter sido um suicídio tb, claro. Mas acho difícil, pq a mulher tinha, aparentemente, acabado de fazer compras (tem um mercado ali perto) e estava carregada rumando para algum lugar - provavelmente indo pra casa (caso ela não fosse uma moradora de rua). O lugar do atropelamento tem uma bike lane e relativamente iluminado (os postes de luz ficam distantes uns dos outros), a qual ela parecia estar tentando acesso. Ela pode ter visto o carro e achado q ele, o motorista, iria diminuir e, por azar, o carro não tinha motorista e não diminuiu. Esse tipo de situação é comum e se vc anda de bike sabe o q eu estou falando: muita da comunicação com os motoristas se dá pelo olhar. Mas isso, assim como a possibilidade do suicídio, é pura especulação. O vídeo do carro pode ajudar a esclarecer o q houve de fato; só me parece bem pouco provável q ele venha à público sem alguma pressão da imprensa, da sociedade e das autoridades.

Qto a passar um projeto federal no legislativo americano... eu acho q não é tão simples assim, daniel, pq além do lobby, há as agendas políticas e há atualmente um clima político bastante conturbado. eu acompanhei com muito interesse qdo eles lançaram tipo um novo código de trânsito, por assim dizer, já incluindo os carros autônomos. os americanos, claro, não querem ficar pra trás nessa corrida e estão seguindo adiante. se vc reparar no histórico do progresso da indústria automobilística, rapaz, ela é BEM violenta.

Daniel Ribeiro

"Acidente" tem uma definição muito precisa. "Suicídio" não é acidente. Não estou dizendo que foi o caso da senhora que morreu esta semana. Mas se um sujeito pula deliberadamente na frente do carro com o objetivo de dar cabo de sua própria vida, isso não pode ser considerado um acidente, mas sim um suicídio, e dificilmente poderia ter sido evitado por um motorista humano ou um sistema autônomo.

Eu também não disse que as empresas compartilham essas informações entre si (apesar de eu acreditar que de fato o façam). Mas em todo caso, essa situação é bem simples de resolver no âmbito legislativo (criar uma lei para obrigar as empresas a divulgar dados completos sobre os acidentes com veículos autônomos). Não é um absurdo imaginar que uma lei como essa passe sem dificuldades.

Fabio Montarroios

se fosse o guarda de trânsito falando eu deixaria passar, mas foi só a chefe de polícia dando a perspectiva dela. a chefe... percebe? percebe a implicância e o peso ante a opinião pública da chefe de polícia falar alguma coisa e diferença q isso teria se fosse o guarda de trânsito se pronunciando? eu diria mais, especialmente numa sociedade apegada as hierarquias, de uma civilização belicistas e q vive uma militarização de suas forças policiais, q esse tipo de fala é relevante num contexto maior.

Suely Almeida

É sério que até semântica aqui tu quer discutir?

Fabio Montarroios

onde ela foi atropelada tinha uma bike lane... talvez ela tivesse tentando acesso a ela. culpar o pedestre ou ciclista parece correto, mas é preciso entender melhor o q se passou.

o local do acidente foi esse:

https://www.google.com.br/m...

Fabio Montarroios

a gente pode ver a sylvia moir in action e ir formando a nossa opinião aos poucos. um evento não diz tudo, mas diz, pelo menos, alguma coisa sobre a integridade das pessoas.

https://www.youtube.com/wat...

Wagner Melo

O debate não é sobre se a culpa foi do carro autônomo ou do motorista, e sim numa eventual responsabilidade da empresa ou do motorista humano, esse é um precedente novo que ainda vai gerar muita polêmica, nesse caso acredito que a culpa foi exclusiva da vítima, porém a pergunta que se faz é? Se fosse um humano, teria evitado ou diminuído o dano?

Fabio Montarroios

As empresas, pela nova regulação americana, não são obrigadas a compartilhar informações. Sendo assim, pode ser q uber/volvo/ford não deem esses dados desse acidente para outras empresas e elas terão q passar por isso tb pra poder corrigir. E, ainda assim, vc está sendo absolutamente crente q os engenheiros vão conseguir resolver o problema. Dada a complexidade de um evento assim, eu acho q vc está sendo muito otimista.

Fabio Montarroios

“Este é um terreno realmente novo em que estamos nos aventurando”, disse a chefe da polícia. Que bom q eles encaram isso como uma 'aventura'. Esse termo, vindo da polícia, me surpreende muito.

Fabio Montarroios

jonas, na lei brasileira é possível atravessar uma faixa de pedestre se ela estiver, no mínimo, a 50 metros de distância. ou seja, um pedestre fora da faixa de pedestre não é algo anormal em determinadas situações.

estes carros autônomos só conseguiram permissão pra funcionar se tiverem um motorista ali se responsabilizando. algumas cidades nem isso aceitaram. veículos autônomos com motoristas são considerados perigosos, pq se dirigindo vc já se distrai ou o seu tempo de reação é geralmente insuficiente pra evitar determinados acidentes, pq o nosso cérebro reage lentamente a certos eventos, com um carro fazendo 100% do trabalho, aí q vc demora ainda mais pra entrar em ação qdo algo dá errado. pode ter sido isso.

o local do acidente nos eua não parece uma rodovia tipo uma marginal aqui em sp, onde há muitos atropelamentos. as marginais são vias de trânsito ininterrupto. não possuem farol e, além de mal desenhadas e inadequadas ao fluxo de carros, deixam transparecer a nossa miséria e desigualdade social (os atropelados são vendedores, moradores e até assaltantes). veja q tem farol, tipo uma praça - sem árvores, portanto sem sombra, e muito bem iluminada. veja o repórter ao fim, próximo ao local do acidente e repare nessas coisas. uma reportagem bem ruim, diga-se, se fosse aqui os jornalistas teriam mostrando o local exato do acidente - mas o jornalismo americano é o melhor, né?, sei...

e outra: é fundamental esses carros funcionarem bem, pq eles tem capacidades sobre humanas. são várias câmeras e sensores e agem de modo totalmente diferente de um motorista humano. então não dá nem pra comparar direito se um motorista humano conseguiria evitar o acidente, pq um motorista humano tem seus sensores limitadíssimos (visão e audição). o carro autônomo estuda e analisa o trajeto de modo muito mais eficiente, mas ele dificilmente vai conseguir lidar com tantos imprevistos, como é o caso de uma pessoa cruzar a frente dele de repente. e se a mulher estava sobre efeito de algum remédio ou se ele tinha problemas mentais. tudo bem, então? não, né? e um pedestre pode se enganar ou ter medo e querer cruzar a rua por achar q vai ser atacado.

todo mundo quer um trânsito mais seguro e em certos países, mesmo sem tecnologia, o trânsito é mais seguro, pq os motoristas andam na velocidade correta e a maioria dos pedestres não fazem loucuras. mas tem muita grana envolvida nisso. vc, claro, sabe q eles não querem um trânsito mais seguro... salvar vidas.... eles querem é faturar com esse serviço. se empresa dá preju e a forma de fazer ela parar de preju é eliminando os motoristas, vamos seguir em frente... e isso pode ser perigoso.

https://www.youtube.com/wat...

Bruno

SE a situação for "evitável"

Doug

Bom, se UMA policial diz é porque é.

Exibir mais comentários