Início » Celular » Testes mostram grandes diferenças entre Galaxy S9 com Snapdragon 845 e Exynos 9810

Testes mostram grandes diferenças entre Galaxy S9 com Snapdragon 845 e Exynos 9810

Galaxy S9 é equipado com processador da Qualcomm ou da Samsung, dependendo do país

Por
1 ano e meio atrás

Diferente do que a Samsung costuma fazer, a versão brasileira do Galaxy S9 será equipada com o Snapdragon 845, da Qualcomm, em vez de trazer um processador próprio da sul-coreana. E os benchmarks mostram que há diferenças significativas entre os dois chips.

Os processadores

O Qualcomm Snapdragon 845 que equipa o Galaxy S9 nos Estados Unidos, China, Japão e Brasil tem quatro núcleos Kryo 385 Performance de até 2,8 GHz e mais quatro Kryo 385 Efficiency de 1,77 GHz. A GPU é uma Adreno 630, que trabalha a 710 MHz.

Enquanto isso, o Samsung Exynos 9810, que estará nos aparelhos vendidos no resto do mundo, possui quatro núcleos Exynos M3 de até 2,7 GHz (2,314 GHz quando dois núcleos estão ativados e 1,794 GHz com três ou quatro núcleos ativados) e quatro Cortex-A55 de 1,79 GHz, com uma GPU Mali-G72MP18 de 572 MHz.

Melhor na teoria, mas na prática…

Ambos os chips são fabricados pela Samsung em 10 nanômetros, mas os projetos são distintos. Tanto que, no Geekbench 4, que mede o desempenho bruto das CPUs, há uma diferença gritante: o Exynos 9810 atinge 3.734 pontos em single-core (inteiro), enquanto o Snapdragon 845 fica em 2.718 pontos. Os dois perdem do Apple A11 do iPhone X (4.630 pontos) e do A10 do iPhone 7 (4.007 pontos), mostra o AnandTech.

No entanto, em todos os benchmarks que tentam simular uma utilização mais próxima do real, o Exynos 9810 perde feio: em navegação na web no PCMark Work 2.0, por exemplo, ele atinge 5.450 pontos, contra 7.455 pontos do Snapdragon 845. Isso se repete em muitos outros testes. O que aconteceu?

Em resumo, o Exynos 9810 demora mais para atingir a velocidade máxima. O AnandTech explica que, em 65 milissegundos, o Snapdragon 845 migra uma tarefa dos núcleos econômicos (Efficiency) para os de alto desempenho (Performance) a 2,8 GHz. O Exynos 9810 leva o mesmo tempo, mas os núcleos Exynos M3 começam trabalhando a uma frequência de 650 a 741 MHz; eles só chegam a 2,7 GHz depois de 410 ms (!).

É como nos automóveis: talvez o carro A atinja velocidade máxima de 220 km/h e o B chegue a apenas 190 km/h, mas a aceleração de 0 a 100 km/h do A é de 10 segundos, enquanto o B faz em 7 segundos. O carro A deve se sair melhor em uma longa pista de corrida (benchmarks sintéticos), mas o B é mais ágil no anda e para dentro da cidade (uso real).

E quanto ao desempenho gráfico? Nesse caso, não há o que argumentar: a GPU Adreno 630 do processador da Qualcomm é significativamente superior, com média de 35,48 fps no GFXBench Manhattan 3.1, contra 26,9 fps da Mali-G72MP18. Na verdade, até o desempenho gráfico do Snapdragon 835, da geração passada, é melhor que o chip atual da Samsung na maioria das situações.

A conclusão do AnandTech é que “a variante com Exynos 9810, como evidenciado por todos os dados que coletamos, é a mais lenta dos dois”. O processador da Qualcomm também se deu melhor no consumo de bateria, mas os dados não são conclusivos, porque os chips estavam em modelos distintos (S9 e S9+), com baterias e tamanhos de tela diferentes.

Lançamento amanhã

A boa notícia é que o mercado brasileiro receberá a variante mais rápida do Galaxy S9. O aparelho será revelado oficialmente pela Samsung na manhã desta terça-feira (27), durante um evento em São Paulo. Nosso review completo também será publicado amanhã.