Início » Internet » YouTube tenta resolver problema de vídeos impedidos de ganhar dinheiro

YouTube tenta resolver problema de vídeos impedidos de ganhar dinheiro

Por
1 ano e meio atrás

Alguns criadores de conteúdo acham que o YouTube está sendo injusto ao definir os vídeos que podem ou não ganhar dinheiro com anúncios. Recentemente, uma atiradora invadiu a sede da empresa após alguns de seus vídeos passarem por desmonetização.

Nesse sentido, o YouTube está realizando testes com alguns criadores para mudar o processo de publicação. A plataforma quer que os usuários informem por conta própria se seus vídeos podem estar descumprindo as regras.

A ideia é evitar que os criadores percam o dinheiro dos anúncios por conta de equívocos dos moderadores da plataforma.

Youtube - logotipos

O piloto envolve algumas perguntas para os donos de canais antes que eles publiquem um vídeo que terá monetização. As questões procuram esclarecer se o vídeo exibe conteúdo sexual, violência, armas de fogo ou drogas, por exemplo.

Os criadores também precisam informar se o conteúdo tem alguma relação com terrorismo ou com questões recentes envolvendo guerras, mortes ou tragédias (uma amostra do questionário pode ser vista na descrição desse vídeo).

Por meio do canal Creator Insider, que apresenta projetos do YouTube em andamento, a plataforma disse que, nos testes, a maioria das respostas estavam de acordo com suas diretrizes. Em breve, as perguntas deverão ser levadas para mais canais.

De acordo com a CEO do YouTube, Susan Wojcicki, o objetivo é fortalecer a comunidade. “Sabemos que o último ano não foi fácil para muitos de vocês. Mas estamos comprometidos em ouvir e usar seu feedback para ajudar o YouTube a prosperar”, disse Susan no blog da empresa.

A executiva também destacou que o algoritmo e os moderadores do YouTube continuarão tendo um papel importante na revisão dos conteúdos publicados no site. Afinal, muitos donos de canais poderiam usar a ferramenta para enviar informações erradas e continuar recebendo dinheiro com anúncios.

Com informações: YouTube, Engadget, The Verge.

Mais sobre: ,