O Windows 10 possui telemetria que, ao contrário de versões anteriores do sistema, é ativada por padrão. Isso significa que ele envia dados para a Microsoft, incluindo relatórios de bugs, uso de aplicativos e atualizações instaladas.

A Microsoft demorou alguns anos para deixar claro exatamente quais dados ela estava coletando em segundo plano, e chegou a receber advertências da União Europeia por isso.

Desta vez, o Ministério Público Federal em São Paulo (MPF-SP) entrou com uma ação para impedir que o Windows 10 colete seus dados sem autorização explícita.

Foto por Roberto Maldeno/Flickr

O MPF-SP quer que a Microsoft pague multa de pelo menos R$ 10 milhões por danos morais. A empresa é acusada de violar o Marco Civil da Internet, que exige consentimento expresso do usuário para a coleta de informações pessoais.

O órgão diz, em comunicado, que seus técnicos precisam fazer uma análise constante “para evitar que atualizações do Windows 10 modifiquem as configurações e passem a permitir o envio de dados… o que colocaria em risco inclusive informações sigilosas”.

Por isso, o MPF exige que o Windows 10 deixe de coletar informações pessoais por padrão; e, caso o usuário decida liberar isso, que ele seja informado sobre as consequências. Isso deverá ser realizado em até 15 dias, sob pena de multa diária de R$ 100 mil.

Ao instalar o sistema do zero, você se depara com ajustes de privacidade, e todas estão ativas por padrão. Isso vale desde o Creators Update, lançado em março de 2017.

As opções incluem localização, reconhecimento de voz, diagnóstico e anúncios personalizados. É possível clicar em “saiba mais” para ter uma explicação mais clara sobre cada item.

Se você mudar de ideia, pode ativar ou desativar essas opções indo em Configurações > Privacidade.

O MPF também critica a Microsoft por coletar seus hábitos de navegação e histórico de buscas. No entanto, isso acontece somente se você usar o navegador Edge (ou o Internet Explorer). Caso contrário, isso ficará nas mãos de outra empresa — o Google, no caso do Chrome.

Para impedir que o Microsoft Edge colete seu histórico de navegação, é preciso ir em Configurações > Privacidade > Comentários e diagnóstico e, na seção “Dados de diagnóstico e uso”, escolher a opção “Básico”.

Vale notar que não é possível desativar os dados de diagnóstico. Você só pode alternar entre os níveis “básico”, que envia informações limitadas sobre seu dispositivo; e “completo”, que inclui seu ID de usuário e os itens a seguir:

  • dados básicos, como ID e classe do dispositivo;
  • lista de aplicativos instalados, histórico de instalação, e informações sobre atualização de software;
  • dados sobre uso do dispositivo, sistema operacional, aplicativos e serviços;
  • propriedades do dispositivo, preferências e configurações, periféricos conectados, e informações de rede;
  • dados sobre desempenho e confiabilidade do dispositivo.

Desde janeiro, é possível conferir cada informação enviada à Microsoft usando o “Visualizador de dados de diagnóstico”.

O procurador Pedro Antônio de Oliveira Machado, autor da ação, acredita que a Microsoft não está apenas preocupada em corrigir bugs com ajuda dos dados coletados. Ela quer “potencializar ganhos e lucros com essa coleta invasiva de dados de seus consumidores”, afirma ele.

O MPF acionou até a União, acusando-a de ser omissa na defesa dos consumidores. Ela deverá apresentar, em até 30 dias, um plano emergencial de proteção de dados para seus computadores que usam o Windows 10. Isso inclui órgãos públicos como a Justiça Eleitoral, Justiça Federal e diversos ministérios.

Em comunicado ao IDG Now, a Microsoft diz que ainda não foi notificada oficialmente, mas “se coloca à disposição do Ministério Público Federal para eventuais esclarecimentos sobre o funcionamento do Windows 10”.

Segundo ela, “a coleta e uso de dados pessoais se dá mediante o consentimento e conforme controle do usuário”. Além disso, “dados de forma anônima podem ser coletados para aprimoramento da segurança e do desempenho”.

Com informações: MPF-SP, IDG Now.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Espedito Martins

Até onde sei, é um dos maiores mercados de Windows pirateado.
São empresas, pessoas e instituições públicas com o Windows pirateado. Uma empresa de software outro dia estava apresentando o produto dela é na tela estava esboçada a nota que o Windows era pirateado. Se pirateiam um SO que vem original quando compramos um PC, imagine o Office!

Anubis

Mas a Google e FaceBook já deve estar pagando a propina para todos eles.

Anubis

O Windows é um vírus legalizado.

O MacOS é super leve mesmo com um hardware bem pobre.

Cavalinho do Gremio

Tem que multar mesmo, cobram até R$400 por uma licença e ainda querem coletar dados de uso e hardware de graça!

Bruno

De que lado estou? Do MPF ou da Microsoft... Do MPF que não!!! 🤡🔫🔫🔫

Ian Santos

Esses questionamentos são típicos de quem não conhece o funcionamento de SO e programas em geral, é impossível deixar de coletar dados pois o programa precisa de dados pra processar. A Microsoft é uma empresa grande de visibilidade global, o que significa dizer que milhares de pessoas com conhecimento técnico testam essa coleta de dados exaustivamente todos os dias e nunca foi percebido algo fora do normal. Esse processo é simplesmente pra ganhar dinheiro fácil, coisa que o brasileiro adora. Recomendo que você assista esse vídeo pra entender o básico: https://www.youtube.com/wat...

Luís Felipe

por esse motivo que exite o Canal Semianual de atualizações

CtbaBr©

Deveria ser feito sim, mas em benefício dos usuários...
Para onde exatamente vai essa grana das multas?

CtbaBr©

Calma, ($) um ($) de ($) cada ($) vez ($).

CtbaBr©

Claro, como sempre...
Isso não acontecera...
Acho que "eles" possuem departamentos que só ficam buscando (e torcendo por) situações como essas, assim conseguem engordar o caixa (2 e 3) do Estado, tudo com ótimas intenções.

Rafael Moreira

Esse negócio de atualizações automáticas do Windows 10, é um problema. Já tive que reinstalar todo o sistema operacional em 3 maquinas, devido a grande atualização que comprometeu o sistema. Existe alguns procedimentos para banir o processo de update no sistema. Mais para usuários que possui a versão Home Single, é refém dessas atualizações. Pois o recurso (gpedit.msc), responsável por desabilitar as atualizações do sistema, não é acessível nessa versão. Enfim, o sistema não é tão ruim, mais o Windows após a versão 8 em diante, deixou de ser um bom sistema para ambiente corporativo.

Ian Santos

E fica tudo ali exposto naquelas opções pra qualquer zé ninguém desativar? Se eu fosse roubar dados no mínimo ia me preocupar em fazer isso secretamente.

Ricardo Marques

Exatamente, esses caras gananciosos influenciado pela mídia, quer tirar sua lasquinha mas que preço?

Tori

Use gentoo.

Roger Cleber Masters

Para terem uma ideia, além de apresentar as NFE de cada licença e o nome do parceiro onde compramos a licença hoje em dia eles tem a cara de pau de pedir fatura invoice.

Isso e Ridículo , pois se eu tenho a NFE das licenças faço o que eu quero com elas posso usar onde precisar e sem essa de passar fatura invoice , pois a MS já tem todos os dados na nota.

Cuidado pessoal !!

Exibir mais comentários