Durou pouco tempo. o GeForce Partner Program (GPP) foi anunciado oficialmente pela Nvidia em março como uma iniciativa para promover placas e computadores baseados em suas GPUs como produtos premium. Mas a AMD viu ali algo capaz de prejudicar a concorrência no mercado. A consequência foi um fim repentino: a Nvidia decidiu simplesmente cancelar o programa.

A história toda teve início quando Kyle Bennett, responsável pelo site HardOCP, começou a investigar o GPP após receber a informação de um funcionário da AMD de que havia irregularidades na iniciativa. Na época, sete empresas que fabricam placas de vídeo e computadores já tinham aderido ao programa, mas nenhuma topou comentar o assunto.

Nvidia

Bennett passou então a conversar com pessoas ligadas a essas empresas preservando a identidade delas. Ele soube de uma espécie de regra que condicionava os parceiros a direcionarem as suas linhas gamers exclusivamente a produtos com chips Nvidia. Dessa forma, os mesmos parceiros teriam que criar outras linhas para equipamentos baseados em chips da concorrência.

Não está claro se essa regra realmente existia, mas o fato é que linhas baseadas em chips da AMD começaram a surgir. O exemplo mais notável é o da Asus, que apresentou recentemente as placas de vídeo Arez, todas baseadas em GPUs Radeon.

A adesão não era obrigatória, mas trazia vários benefícios, como apoio em engenharia e participação em campanhas de marketing. Porém, algumas fontes também sinalizaram para o temor de ficarem para trás no recebimento de chips em caso de não participação.

Nem todos os fabricantes aderiram. Dell e HP decidiram não participar do GPP por, de acordo com fontes ligadas a essas empresas, acreditarem haver algo antiético e, provavelmente, ilegal no programa.

Fato é que o assunto gerou enorme polêmica, tanto que rendeu até um vídeo de provocação da AMD:

Por conta disso, era de se esperar que a Nvidia fornecesse mais explicações ou afrouxasse as regras do programa, mas a companhia decidiu dar um passo para trás: o GPP foi cancelado. É uma decisão que causa estranheza, pois a Nvidia nunca foi de recuar diante de controvérsias, pelo menos não tão facilmente.

Em comunicado, a empresa declarou que “rumores, conjeturas e falsas informações vão muito além de sua intenção [do GPP]. Em vez de combater a desinformação, decidimos cancelar o programa”.

A companhia também disse que o GPP tinha como objetivo “assegurar que os jogadores saibam o que estão comprando e possam fazer uma escolha clara”. Talvez o plano tivesse sido somente esse mesmo. Mas a desistência foi tão repentina que fica difícil não desconfiar de algo muito errado no programa.

Com informações: ExtremeTech.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

ProMaiden

Lança todo ano geração nova, mas todo ano é simplesmente mais do mesmo com uma ou outra melhoria. Não confunda quantidade com qualidade.

Não estou dizendo que a AMD é melhor por lançar menos, mas lançar todo ano uma geração nova com um socket novo sem inovar em nada que seja relevante e ainda para completar tornar a geração anterior obsoleta e incompatível me parece um caso de obsolescência programada, além de ser um roubo para os consumidores.

Keaton

Finalmente, agora teremos jogos não optimizados tanto para AMD quanto pra nVidia...

Rennan Maldonado Pozzati

O que eu quis dizer com tudo isso é que a AMD está usando muito bem seu tempo e dinheiro em tecnologias novas, enquanto a Intel está a muito tempo no i3/5/7 sem lançar qualquer tipo de inovação, isso porque antes da AMD lançar Ryzen a Intel realmente não tinha com o que se preocupar. Agora tudo que usa mais de 2 núcleos roda muito melhor no Ryzen, por um preço muito melhor, a única vantagem que a Intel realmente tem agora é em jogos, isso porque pouquíssimos são programados para trabalhar com mais de um núcleo.

Mauricio Santiago

corrigindo, os atuais são 12 nm

César

NVidia faz CPU agora? AMD manteve a linha FX por anos e anos sem nada novo enquanto a Intel lança todo ano geração nova. Mas estou falando de VGA que é o foco da matéria.

Rennan Maldonado Pozzati

Você está bem desinformado sobre a AMD, ela já está desenvolvendo CPUs de 7nm (atuais são 14nm) e por enquanto está indo tudo bem, com protótipos vindo ainda esse ano, enquanto a Intel está desenvolvendo de 10nm e já declarou que está com problemas, é bem provável que veremos pela primeira vez CPU mais rápidas e eficientes da AMD em vez da Intel.

Joao Paulo

São coisas complemente diferentes .Intel pode usar Chips Geforce nesses modulos MCM quando quiser ,não há nada que impeça a concorrência de usar sua técnicologia ao contrário desse programa tosco da NVIDIA.
Sobre usar Radeon ,você deve ter a mínima noção do que esta falando.

Gustavo Hofer

fanboy da nvidia é igual dcnauta, ficam nervosas à toa

César

Ninguem falou nada quando AMD e Intel anunciaram parceria para "Enfrentar a NVidia"

https://www.google.com.br/a...

Isso aí é apenas mímimi da AMD por que não tem produtos bom pra enfrentar a concorrência, deveriam usar o tempo pra investir em tecnologias, pesquisas e desenvolvimentos para serem competitivos em vez de ficarem de intriguinha. Hoje em dia quem usa VGA AMD que é fanboy, já foi o tempo dela...

Panino, o Moço

Era óbvio que era questão de tempo até a Nvidia começar a receber processos.
Os safados ainda fizeram discurso de vítimas.

Renne

Simples, NVidia com certeza ia cair na malha da lei americana Antitruste com esse GPP, por mais que apresentem uma propaganda bonitinha, essa jogada é claramente monopolista. No Brasil com alguns malotes, Jensen Huang vira até presidente porém, mais ao norte do continente, fica um pouco mais complicado.

Victor Machado

Kkkkkkkk... E ainda vi fanboys da Nvadia defendendo eles!

leo1313

Cito outro dito popular: "Quem não deve, não teme".
Se fosse isso o que ela diz mesmo não haveria problema em divulgar o documento.

Junior Sousa

Quem cala, consente. Que bom que essa falcatrua veio à tona.