Início » Aplicativos e Software » Chrome OS ganha suporte a programas do Linux para ajudar desenvolvedores

Chrome OS ganha suporte a programas do Linux para ajudar desenvolvedores

Felipe Ventura Por

O Chrome OS está ficando mais versátil. Além de rodar aplicativos do Android, ele também está ganhando suporte nativo a programas do Linux. A ideia é que mais pessoas usem Chromebooks para desenvolver software.

Para isso, o Google criou uma máquina virtual customizada que roda uma versão do Debian. Os programas podem ser abertos diretamente do launcher, e conseguem acessar os arquivos salvos na sua pasta Downloads.

Já era possível rodar distribuições do Linux em Chromebooks através de uma ferramenta chamada Crouton, mas ela exige que o modo de desenvolvedor seja ativado, e que medidas de segurança do Chrome OS sejam desativadas.

A abordagem do Google é rodar um sistema operacional (Debian) dentro de outro (Chrome OS), o que pode limitar o desempenho. Kan Liu, diretor de gerenciamento de produto, admitiu na conferência I/O que programas como o GIMP (para edição de imagens) podem ser muito pesados para laptops mais modestos.

No entanto, ele disse que sua equipe se dedicou a otimizar a máquina virtual, para não exigir muitos recursos ao rodar programas do Linux. Ou seja, Chromebooks menos potentes devem ser capazes de rodar um editor de código sem problemas.

E o foco parece estar no desenvolvimento de software. Inclusive, o Android Studio terá uma versão para o Chrome OS até o final do ano. Dessa forma, será possível criar aplicativos diretamente a partir de um Chromebook.

Isso pode reforçar a presença do Chrome OS em escolas dos EUA, onde ele domina quase 60% das vendas de laptops para o mercado educacional. A Apple quer conquistar espaço nessa área com uma versão mais barata do iPad, porém o iOS é mais limitado — é possível apenas escrever um aplicativo e rodá-lo em um simulador Xcode.

A primeira prévia do Linux no Chrome OS já está disponível para o Google Pixelbook, e mais dispositivos terão suporte em breve.

Com informações: Engadget, TechCrunch.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Keaton
Ao meu ver, seria o mesmo que programar para Amiga OS. Até tem uns malucos que ainda usam isso, mas tu atingiria bem mais pessoas se programasse para Windows ou Linux.
Felipe Liʍa
educacao
Felipe Liʍa
deve ser por causa dos custos.... modificando o kernel pra otimizar o max para o OS rodar nos notebooks mais simples, o preco nao fica muito elevado!
Molinex
No dia que a google disponibilizar a forma do ChromeOS de rodar apps do android, para todas as distribuições GNU/Linux, talvez eu pense em um treco desses...Por enquanto continua tudo como esta. É Dell (hardware) e arch (software)
Sandro Soares
Eu não entendo muito de Linux, mas o ChromeOS não foi feito em cima do kernel Linux? Se sim, não era mais fácil e eficiente adotar formatos de empacotamento que trazem as bibliotecas que estão faltando no sistema pra fazerem o app rodar (tipo flatpak, snap e appimage), ou criar uma camada de compatibilidade ao invés de uma máquina virtual?
Keaton
Se o Linux rodar perfeitamente no Chrome OS, qual seria a vantagem de programar especificamente pro ChromeOS?
Lucas Cecilio
Uma vez cogitei comprar um chromebook, mas a principal limitação era a falta de programas para desenvolvimento. Vamos ver como vai funcionar, e se agora pode ser viável.
ʞǝʌǝɥs
"primeiro eles te ignoram, depois riem de você, depois brigam, e então você vence":)
Gabriel Arruda
Verdade, os apps Android são interessantes e tinha esquecido que eles rodavam no Chrome OS, apesar de não ser essa maravilha toda segundo alguns.
Gertrudes, a Lhama Morta
Acredito que falta só rodar apps de Android pra uma distro Linux ser exatamente o que o Chrome OS é... só que com uma interface diferente
Gabriel Arruda
Interessante, dependendo de quão bem funcionar...pode ser uma opção às distribuições Linux. Acho que no final não seria muito diferente de usar um Chrome no Ubuntu, mas é interessante pensando em suporte dos fabricantes para oo sistema.
Rafael Schüng
Isso me faz lembrar da compatibilidade binária do FreeBSD
Peterson Alves
Excelente, como já é baseado em linux nada melhor do que dar suporte aos programas.