Em uma competição cada vez mais acirrada com produtoras de filmes, a Netflix quer investir mais em produções próprias. Para este ano, o serviço destinará 85% de seu orçamento para séries, filmes e outros conteúdos originais.

A informação foi divulgada pelo diretor de conteúdo da Netflix, Ted Sarandos, no MoffettNathanson Media & Communications Summit. Com orçamento de cerca de US$ 8 bilhões, a empresa pretende terminar 2018 com algo em torno de mil títulos originais.

Segundo Sarandos, a plataforma deverá lançar 470 novas produções originais até dezembro. Desse total, serão 80 filmes variando de títulos de baixo orçamento até blockbusters com verbas de mais de US$ 100 milhões.

Para o diretor da Netflix, a estratégia tem duas justificativas principais: o cenário econômico mais favorável, que permite investimento um pouco maior; e o entendimento de que outras empresas terão seus próprios serviços de streaming em breve.

Uma dessas empresas é a Disney, que pretende oferecer uma nova plataforma de streaming no próximo ano. Para isso, vários títulos têm sido retirados do catálogo da Netflix e outros sequer aparecerão na plataforma.

Apesar da expectativa de um novo participante no mercado de streaming, Sarandos disse que não se surpreendeu com os planos da Disney. Na verdade, ele entende que o movimento da concorrente tem sido mais lento que o esperado. “Eu não sei o que os levou tanto tempo”, disse.

O foco em produções originais também é explicado a partir de dados de audiência da Netflix. Os filmes respondem por cerca de um terço de tudo o que é assistido na plataforma. Os filmes licenciados, no entanto, não têm uma contribuição tão expressiva nesse número.

Na visão da Netflix, os usuários não se sentem tão interessados em assistir a um filme que eles possivelmente já viram meses antes nos cinemas. “Nós dissemos, talvez possamos colocar os bilhões de dólares que colocaríamos em um acordo de produção em filmes originais”, explicou Sarandos.

A plataforma também analisa a possibilidade de investir mais em produções como Queer Eye, que não segue um roteiro fechado. Esses títulos são responsáveis por 40% da audiência da televisão americana, mas apenas 7% na Netflix.

A programação ao vivo de esportes e notícias, porém, não deverá ter espaço tão cedo na Netflix. Sarandos disse que a empresa só pensará em um grande acordo esportivo quando tiver um orçamento em torno de US$ 10 bilhões.

Com informações: Variety.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Luiz Fernando

Pois é, não fazia ideia da existência dessa série

Luiz Fernando

Perdido em Marte, o único que tem em Belém, mas a Netflix não lançou só 2 séries não, eles lançam muitas e ninguém conhece

Ednei P. de Melo

"(...) e o entendimento de que outras empresas terão seus próprios serviços de streaming em breve." -- Em suma: a pirataria "voltará" com mais força, pois nem todo mundo vai "aceitar" a idéia de ter que assinar meia dúzia de serviços só para ver os seus filmes e seriados favoritos! &;-D

Marlos

Está bem na cara que a Netflix quer 100% de conteúdo original. Que bom.

CtbaBr©

Concordo em parte, mas não se engane, geralmente criticamos aquilo que gostamos, na esperança de ver melhoras.

CtbaBr©

É... Os "Originais da Marvel" foram decepcionantes, parecem novelas, "roteiros pegajosos", pouca ação e muita falação!

King Zeus

Conteúdo original da Netflix é na maioria um lixo.

Je Suis Harambe

única série boa era House Of Cards
os conteúdos originais da Netflix são bem ruins, HBO por outro lado tem excelência em tudo, até as séries que eu menos gosto eu consigo ver mérito

Netflix só é essa gigante pq não tem custos de produção, sendo que a maioria é conteúdo comprado
Sense8, Séries da Marvel de super heróis e todos os filmes de originais, td porcaria

Eduardo Braga

Faz sentido

Por isso mesmo. Se tivesse tempo pra ver os filmes, perceberia quão ruim é o catálogo

Drax

Vejo muita propaganda no instagram

Eliézer José Lonczynski

Ai sobra menos verba pras manter licenciadas as séries e filmes de outras produtoras. Já tem muita série que só estão mantendo só a última temporada disponível.

Wellington Gabriel de Borba

Pena que ela tem esquecido os documentários de lado. Medo mesmo é ela fazer mais um Trato Feito ou uma Febre do Ouro. Ninguém merece.

Eduardo Braga

O catálogo de filmes é horroroso pra alguns né? A minha lista tá cheia de filme que nunca arrumo tempo de assistir.

Felipe Silva

Foram bonzinhos em dizer que as pessoas não querem ver filmes que passaram a meses no cinema, quando é raro a netflix colocar um filme com menos de 2 anos de lançamento e que tenha feito sucesso nos cinemas, mas a culpa não é só dela, e conteúdo próprio é o caminho natural do mercado no momento.

Exibir mais comentários