Início » Brasil Inteligência Artificial » Curitiba terá câmeras com reconhecimento facial e de carros em tempo real

Curitiba terá câmeras com reconhecimento facial e de carros em tempo real

Por
22 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Se o plano funcionar como previsto, Curitiba estará, até o fim do ano, sendo vigiada por um sistema de câmeras capaz de fazer reconhecimento facial e identificar placas de veículos, tudo em tempo real. A ideia é aumentar a segurança em vários pontos da cidade com ações preventivas ou respostas rápidas a incidentes.

De acordo com a Secretaria de Defesa Social de Curitiba, órgão responsável pelo projeto, as câmeras que identificam placas serão posicionadas em vias de grande circulação ou que dão acesso à cidade. Já as câmeras com reconhecimento facial serão instaladas em pontos com fluxo significativo de pessoas, como praças e terminais de ônibus.

Câmera - Curitiba

As câmeras para identificação veicular serão capazes não só de “ler” a placa, mas também de colher dados como cor e marca do veículo. Essas informações podem então ser cruzadas com bancos de dados sobre carros roubados ou com multas pendentes, por exemplo.

Caso o sistema identifique uma situação irregular, um alerta poderá ser disparado imediatamente para acionar a equipe policial mais próxima. Toda a movimentação será acompanhada em um mapa virtual. A Secretaria de Defesa Social espera que o sistema ajude a reduzir em 30% a incidência de veículos roubados ou furtados na região.

Por sua vez, as câmeras para monitoramento de pessoas serão capazes de localizar rostos nas imagens e cruzar uma série de parâmetros para identificação, como distâncias entre os olhos, tamanho do nariz e formato da boca. As informações serão comparadas com bancos de dados de institutos de identificação e, posteriormente, poderão ser cruzadas com listas de foragidos, por exemplo.

Os dois sistemas deverão ainda ser usados para lidar com problemas específicos. As câmeras para veículos poderão, por exemplo, identificar um carro que, apesar de trafegar dentro da velocidade permitida, faz movimentos perigosos. Na sequência, a polícia poderá ser alertada para prevenir acidentes, checando se o motorista está bêbado, se tem habilitação, enfim.

Curitiba

É uma tendência mundial. Estados Unidos e Inglaterra são exemplos de países que já empregam algum tipo de inteligência em seus sistemas de vigilância. Nada, porém, chega perto do monitoramento da China: por lá, um sistema com 170 milhões de câmeras pode identificar uma pessoa em questão de minutos.

No caso de Curitiba, a “muralha digital”, como vem sendo chamada, tem orçamento calculado em R$ 35 milhões. A prefeitura pretende abrir uma licitação internacional para compra dos equipamentos de vigilância e softwares de inteligência. A expectativa é a de que o sistema esteja operando dentro de seis meses.

Com informações: Gazeta do Povo.