A guerra não está perdida. Em uma reviravolta, o Senado dos Estados Unidos votou, na quarta-feira (16), a favor de um projeto de lei que reverte a decisão da FCC (Comissão Federal de Comunicações) — uma espécie de Anatel norte-americana — de acabar com as regras que garantem a neutralidade de rede no país.

Foi uma vitória apertada: 52 senadores votaram a favor, 47 contra. 49 dos votos favoráveis vieram de democratas, o que já era esperado: quando procuradores-gerais de 22 estados abriram um processo contra a decisão da FCC, esses senadores assinaram uma resolução para manifestar apoio à neutralidade.

Sem neutralidade de rede, empresas de telecomunicações podem, por exemplo, priorizar determinados serviços online ou bloquear plataformas. Uma possível implicação é que consumidores podem ter que pagar a mais para acessar determinados recursos, como streaming de vídeo. Outra é que, por terem respaldo da lei, operadoras dificilmente sofrerão sanções se suas ações prejudicarem a concorrência entre empresas.

banda larga

Mas essa foi apenas uma batalha. Para a guerra ser vencida, o projeto favorável à neutralidade também deve ser aprovado pelos deputados. A aprovação requer pelo menos 218 votos. Até o momento, há pretensão de 161, aparentemente. Todos vêm de democratas.

Eles conseguiram apoio de três republicanos para a votação no Senado, mas, na Câmara dos Deputados, o número de apoiadores precisa ser muito maior, pois os democratas ocupam 193 cadeiras. Não vai ser fácil, afinal, estamos falando do partido de Donald Trump. O presidente se posiciona ao lado da FCC na tentativa de derrubar a neutralidade.

O passo seguinte vai ser ainda mais complicado. Se a votação dos deputados for favorável, o projeto precisará ser aprovado justamente por Trump. A expectativa é a de que as vitórias no Senado e na Câmara (se esta ocorrer), o processo movido pelos procuradores-gerais e outras manifestações façam o presidente mudar de ideia.

Com informações: Engadget, TechCrunch.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Leandro Malta

Donald Trump permitiu q as operadoras exercesse o livre mercado que permite que todas as empresas que desejam oferecer serviços de tecnologia aos diversos consumidores finais que possuem demandas e necessidades distintas.

Leandro Malta
Leandro Malta

eu sou contra a privacidade q da brecha pra terroristas usarem tecnologias pra matar pessoas inocentes só sei q se a internet ñ é monitorada vai ser uma baderna feito a deep web onde as pessoas usam as redes pra fazer um monte de coisas erradas esses sites de notícias só falam bosta do Donald Trump só ataca pedras nele e ñ críticam a Hillary Clinton q tá envolvida em financiar grupos terroristas.

Leandro Malta

site totalmente divulgando fake news a maioria desses sites usam este tipo de notícia pra botar uns contra os outros.

Trovalds

E não é quebrar a neutralidade oferecer tráfego livre de franquia pra um determinado serviço enquanto outros estão sujeitos à franquia de dados que a operadora impõe?

‎Michael

Zero rating (Não tarifação) é diferente de quebrar neutralidade da rede.
Se eu usar meu 4G da Claro e demorar para carregar The Good Wife na Netflix ou no Amazon Prime, porém for rápido no Claro Vídeo, aí sim está ferindo a neutralidade, pois os pacotes estão sendo enviados de forma mais lenta.

Ou qnd a NET fazia traffic shapping nos torrents

linuxuser5000

Defina o que é "a garantia da proteção da privacidade" ?

Anayran Pinheiro

Você é contra ou a favor a garantia da proteção da privacidade?

Anayran Pinheiro

Tô percebendo, hauahauahau!

Trovalds

CDN não implica em não monitoramento. Isso é pra não haver congestionamento de tráfego e/ou sobrecarga de servidores. Mesmo que as operadoras tenham uma infra de CDN (seja própria ou terceirizada a serviço deles) o tráfego de origem tem que ser monitorado pra ser direcionado pra eles (servidores). Claro que o custo diminui no final mas na prática pro consumidor fica é uma banana.

jacob

Not really. Netflix, Facebook, WhatsApp e etc possuem CDN, é mais barato pra operadora do que tráfego de fora, além de ser um ótimo chamariz pros clientes. É matar dois coelhos com uma caixa d'água só.

Trovalds

E a nossa "neutralidade" funciona que é uma beleza. As teles "adivinham" que estamos trafegando dados por whatsapp e não descontam o tráfego da franquia (as operadoras que tem isso). Netflix tem franquia de tráfego em dobro, também "adivinham" que é trafego deles. E por aí vai. Claro, fora as franquias de dados na rede móvel que do ponto de vista técnico são pra você pagar mais pra ter mais franquia sendo que na prática o tráfego no "atacado" é pago de acordo com o tamanho da banda somente.

A neutralidade é conversa pra boi dormir. Se não podem limitar ativamente o tráfego, acham outra forma. É simples assim.

Marcos Guilherme

Se eu não me engano o dólar está subindo....Vou começar a dar umas vistas nas minhas criptomoedas, mas acho que elas não estão acompanhando a subida kk.

Trovalds

Interesses das empresas repatriarem seus capitais pros EUA, por exemplo. Antes a alíquota de repatriação era de 32,5% (salvo engano), hoje é de 15%. Trump conseguiu repatriar mais de US$ 1 trilhão em questão de meses, o que praticamente a metade do PIB do Brasil de 1 ano e mais do que o Obama repatriou em toda a sua gestão. E ainda baixou impostos pra evitar que esses capitais voltem a sair do país.

Marcos Guilherme

A galera aqui já se conhece nos comentários do tecnoblog kkkkkkkk

Exibir mais comentários