O Facebook esteve no centro das atenções devido à grande quantidade de informações que coleta de seus usuários, inclusive quando você nem está acessando a rede social. O Google também passou por um problema semelhante com dados de localização. Já a Apple chega a usar a privacidade até como um argumento de venda de seus produtos. Mas será que isso se comprova na prática?

Pelo que parece, sim, não se trata de um discurso vazio. O jornalista Zack Whittaker, do ZDNet, pediu à Apple um arquivo com todos os dados que a empresa possui sobre ele, que é consumidor dos produtos da marca desde 2010, quando comprou seu primeiro iPhone. O resultado foi um conjunto de planilhas de Excel que, somadas, tinham apenas 5 MB.

Estas são as informações que estavam nos arquivos *.xslx recebidos por Whittaker:

  • Nome, endereço, número de telefone, Apple ID e data de criação da conta, bem como o IP do servidor da Apple utilizado no cadastro;
  • Data e hora em que um dispositivo conectado à sua conta baixou sua galeria de fotos, lista de contatos e histórico de navegação do Safari (mas sem os dados em si);
  • Tentativas de comunicação pelo FaceTime e iMessage (as mensagens e ligações não foram registradas, até por serem criptografadas);
  • Todos os dispositivos e acessórios da Apple comprados por ele (com números de série, endereços MAC e se o aparelho era bloqueado ou não);
  • Dados de contato e interações com o serviço de suporte AppleCare;
  • Datas e outros detalhes de cobertura de garantia de produtos;
  • Histórico de downloads de apps, músicas, vídeos e filmes da iTunes Store, além de músicas enviadas ou baixadas do iTunes Match;
  • Data e hora de logins e interações no iTunes e Game Center (e se o login foi bem sucedido ou não);
  • Data e hora de quando você solicitou uma recuperação de senha;
  • Detalhes de manutenção e reparo de produtos da Apple, incluindo qualquer anotação feita por um funcionário da empresa e IMEI do celular;
  • Informações utilizadas pela Apple para entrar em contato com você para fins de marketing.

Chama a atenção a pouca quantidade de informações obtidas pela Apple, especialmente em comparação com o Facebook, que chegou a coletar o histórico de ligações de usuários de Android. Isso aconteceu porque, em vários produtos, como Siri, Mapas e News, a Apple coleta dados de utilização de forma anônima, impedindo que a empresa identifique quem realizou determinada interação.

TB RespondeConfira as informações que o Facebook guarda sobre você

A Apple só peca em não ter uma ferramenta para baixar todos os seus dados: você precisa enviar uma solicitação por escrito neste formulário. Em cerca de uma semana, a empresa enviará um e-mail com um link e uma senha para fazer download de um arquivo compactado com as planilhas. A expectativa é que a Apple automatize o processo até o final do ano.

Comentários

Envie uma pergunta