Tecnoblog

Uber desativou freio de emergência em carro autônomo que matou pedestre no Arizona

Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Uma nova informação relacionada ao acidente fatal causado por um de seus carros autônomos pode piorar ainda mais a situação do Uber. Segundo investigações, a empresa desabilitou o sistema de freios de emergência do Volvo XC90 usado no teste.

A informação foi divulgada nesta quinta-feira (24) em relatório preliminar do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes (NTSB, na sigla em inglês). De acordo com o documento, os sistemas de radar próprios do veículo identificaram uma pessoa seis segundos antes do acidente acontecer.

No entanto, o sistema do Uber “classificou a pedestre como um objeto desconhecido, como um veículo, e depois como uma bicicleta”. A 1,3 segundo do acidente, o sistema da empresa determinou que o freio de emergência era necessário, mas ele estava desativado.

O Uber diz que o dispositivo original do Volvo XC90 foi desligado para reduzir as chances de ocorrerem comportamentos erráticos.

Procurada, a empresa não questionou o relatório, mas destacou a contratação de Christopher Hart, ex-diretor do NTSB, para ser seu conselheiro. “À medida que a investigação deles continua, iniciamos nossa própria análise de segurança de nosso programa de veículos autônomos”, afirmou o Uber.

Com a repercussão negativa, a empresa decidiu encerrar os testes de carros autônomos no estado do Arizona. Eles já estavam suspensos desde o acidente por decisão própria e por determinação do governo local.

Os testes ficarão restritos a Pittsburgh e a duas cidades na Califórnia e deverão ser retomados até setembro, com menos carros e rotas menores.

Com informações: Reuters.