A Asus está usando a Computex para apostar suas fichas em novas formas de usar telas. Depois de apresentar seus novos modelos do ZenBook Pro, a empresa divulgou o Project Precog. Trata-se de um conceito de notebook como você conhece, mas no lugar do teclado, há um segundo display.

O aparelho ainda deverá receber ajustes, mas já há algumas definições por parte da Asus. Ele será usado em quatro modos – padrão, livro, tenda e plano – e aproveitará as vantagens oferecidas pela inteligência artificial para melhorar a experiência de uso.

Um dos recursos do Precog é o Touch Inteligente. Com ele, se você estiver usando um teclado físico, o teclado virtual é automaticamente desativado para liberar espaço na segunda tela. Além disso, ele é capaz de posicionar o teclado virtual da forma mais confortável com base na posição dos seus dedos sobre a segunda tela.

Segundo a Asus, o notebook terá um gerenciamento de energia com base na sua agenda. Assim, se você tem uma reunião marcada para um determinado horário, o dispositivo economiza bateria para você usá-lo quando mais precisar.

Ele também oferecerá suporte para a Cortana e a Alexa. Por conta da tela dupla, as assistentes poderão executar ações na segunda tela e deixar a principal livre. O Precog deverá contar com reconhecimento facial e de voz, além de um sensor de proximidade para canetas stylus.

De acordo com Marcel Campos, diretor de marketing da Asus para smartphones e computadores, o projeto realmente sairá do papel. “Nós planejamos torná-lo real, não vaporware”, disse o executivo, referindo-se ao termo usado para conceitos que não chegam às lojas. Ainda não há informações sobre quanto o Precog custará e quando ele chegará ao mercado.

Com informações: AsusCNET.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

𝕵𝖆𝖈𝕶 ⚡𝖎𝖑𝖘𝖆𝖓

Acho que essa idéia de duas telas funcionaria muito melhor num aparelho como o especulado Surface dobrável: algo portátil e usável com as duas mãos.

TiuhhDaKitanda

De fato, o modelo da Acer citado pelo colega, lançado há quase uma década, não foi pra frente (e eu era doido pra ter um na época, kkk...), e foi um grande fiasco mesmo; porém, devemos lembrar que estamos falando de algo que não deu certo 10 anos atrás, pois o público não era preparado pra isso ainda - mal haviam celulares touch, onde este pequeno nicho, era mais dominado mesmo pelos Palms com suas canetas stylus (portanto não um dispositivo propriamente touch), e meia dúzia mais de gadgets voltados para o público de poder aquisitivo maior. Por isso mesmo, a "pegada" de teclado virtual, não colou a época.
Já nos tempos atuais, a maior parcela dos usuários de celulares já se acostumaram com os toques na tela, e consequentemente a necessidade de ter que se olhar para a mesma ao digitar, sendo que isso não chega nem de longe a ser um grande problema - não ao menos para o público de idade até mediana, já que alguns representantes do público da melhor idade, não concordam muito com isso, é claro...
Mas devemos atentar ao fato, de que o suposto público-alvo, possivelmente será essa geração que há uma década era criança ou no máximo adolescente, e que hoje já adultos, estão mais que acostumados com a virtualização ao digitar, sendo que muitos destes, pouco ou nada sabem metodologia Qwerty, já que vivem conectados aos smartphones e tablets, e portanto é consequentemente, não lhes faz diferença a falta da sensação do tato ao tocar uma tecla, ou mesmo ter que olha-la para a inserção de caracteres e outros tipos de entrada, já que afinal diariamente e por horas a fio, estão fazendo isso, o que seguindo então nessa teoria, o dispositivo da Asus seria então só um celular "grandão" e com duas telas, é um processamento bem melhor que o gadget de bolso, no uso para jogos, redes sociais, etc...
Resumindo: o público-alvo mudou em uma década, são pessoas que tiveram como seu primeiro dispositivo de uso pessoal, um aparelho touch screen; e portanto, resta-nos somente aguardar pra ver se essa potencial linha de raciocínio da Asus, estará certa mesmo..

Agora uma coisa é certa: a virtualização de meios físicos, fica a cada dia mais agressiva; ou seja, não me sentirei admirado se em no máximo 5 anos, uma grande parte dos smartphones forem um minúsculo dispositivo do tamanho de um botão, unicamente pra ser o meio de gerar um tela holográfica (portanto no ar), onde lá estarão todos os apps e demais coisas como usamos hoje mas somente através de nossos aparelhos físicos com "tela física"; ou seja: algo bem parecido, e porque não dizer já prefaciado, por filmes como "Minority Report", e mais recentemente por "Iron Man", entre muitos outros antes, e depois destes citados...
Bem, o negócio é aguardar mesmo...

grande_dino_2

Bom, a Lenovo também anunciou a segunda geração do seu Yoga Book, que tem uma propoosta parecida com esse Precog.
O primeiro Yoga Book já não tinha teclado, o que o tornava mais fino do que um notebook. No lugar do teclado, tinha um tipo de trackpad gigante que servia como teclado (mostrava as teclas de algum jeito) e como um tablet (estilo wacom), que tem suporte pra caneta e você podia escrever e digitalizar ao mesmo tempo (a caneta vinha com uma ponta tinteira, bem bacana).
Vamos ver qual vai chegar no mercado primeiro, Yoga Book 2 ou esse Precog. E ver qual vai ser a aceitação do público. :P

Cristina Nascimento

Perguntinha básica: tem como adicionar teclado numérico? Mas acredito q sim. Talvez seja a critério do usuário. Assim espero.

Molinex

E eu achando que o zenbook parecia um DS kkk
Errei kkk
Isso sim me lembra o Nintendo DS kkk

Carlin

Perfumaria. Esse aparelho é só mais um que você olha, "acha" interessante, mais sabe que no fim é só um bando de tecnologias já existentes embargadas em um aparelho que não faz tanto sentido, no fim alguém disse, precisamos de algo "incrível" para o evento, ai veio esse computador do "futuro" ai!

Maicon Bruisma

Só eu que, quando ouvi o nome do projeto, já lembrei de Minority Report?

tuneman

Bem que eu achei essa palavra familiar.... Precogs são os 3 'videntes' de minority report

Kodos Otros

Nem me referia a este, mas de um modo geral.
O fato de pedirem por inovação, não necessariamente a inovação que apresentam seja boa.

No caso deste laptop, mais do que um protótipo é um conceito. Não acredito que chegará assim as lojas. Se sim, é pra entrar em algum nicho.
O fato do teclado ser dessa forma já desanima e muito pra uso convencional.

Henrique Picanço

Este foi o uso mais estranho da palavra "vaporwave" que eu já vi! Mas um notebook com duas telas? Parece um exagero.

Eliézer José Lonczynski

Isso é um protótipo.

Kodos Otros

Mas não é pq saiu da mesmice que significa que tenha ficado bom.

Eliézer José Lonczynski

Galera reclama da mesmice de sempre e também reclama de quem tenta inovar.

tuneman

Esse mesmo! Uma desgraça!

Robert Rey

A ideia é boa, mas na prática pra digitar deve ser uma bosta

Exibir mais comentários